OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO EM OPERAÇÃO NESTA SEGUNDA-FEIRA (17/6) NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - AVENIDA TRALHADOR SÃO-CARLENSE (RODOVIÁRIA/USP) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - AVENIDA BRUNO RUGGIERO FILHO (BAIRRO/shopping) - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - RUA MIGUEL PETRONI - (RODOVIA/CENTRO) - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

O mês de maio foi marcado pelo Projeto Leitura na Escola Municipal “Julio Benedicto Mendes”. Durante todo o mês os docentes abordaram a importância da leitura, debatendo sobre um tema de extrema relevância, o bullying.

Para o Diretor Alexandre Moraes Gaspar, as crianças e adolescentes passam a maior parte do tempo na escola, e ela tem função de estimular o desenvolvimento das aptidões, do senso crítico, da aprendizagem e da formação de cidadãos que sejam capazes de conviver em sociedade. “Dentro da proposta pedagógica adotada, acreditamos que através de projetos os alunos têm a oportunidade de aprender conceitos que possam levar por toda a vida, como conviver em harmonia, respeitar o próximo, aprender trabalhar em grupo, ser criativo, ter uma linguagem bem desenvolvida, constituir uma leitura de mundo de forma inteligente e que lhe abra novas perspectivas, ser perceptivo aos fatores críticos, dentre outros”.

Para contextualizar o que os docentes trabalharam em sala de aula, na última quinta-feira (30), a turma do 4º Ano B da professora Mariana Masselli Biacnhi e 4º Ano D da docente Ana Maria dos Santos Barbosa fizeram emocionantes apresentações.

Para a coordenadora Rosangela Aparecida da Silva Cruz, o bullying pode ocorrer no ambiente de trabalho ou entre vizinhos, por exemplo, mas a escola é o local mais suscetível a essa prática. “As crianças e os jovens, por estarem em fase de formação, também vivenciam necessidade de autoafirmação e, às vezes, não estão acostumados a conviver com diferenças. Pode vir daí a origem dessas práticas inaceitáveis de discriminação e superioridade. É importante ficarmos atentos as formas que os agressores usam para intimidar as vítimas, sendo elas: dar empurrões e pontapés, insultar, criar boatos humilhantes, criar situações vexatórias, inventar apelidos que ferem a dignidade, captar e difundir imagens (inclusive pela internet, que configura um caso de cyberbullying), ameaçar presencialmente e por mensagens, excluir de atividades sociais ou pedagógicas (como trabalhos em grupo), entre outras”, comentou Rosangela.

Segundo Gaspar, expor quais são as causas e suas consequências são formas de prevenir o bullying. “Diversas são as consequências do bullying para a vítima, por isso é importante que família e escola conversem e conscientizem os jovens para combater essa prática. Quanto mais informações os alunos tiverem sobre respeito, empatia, tolerância, diversidade e solidariedade, menores as chances de desenvolverem atitudes discriminatórias. Pensando nisso os discentes do 4º Ano B da professora Mariana Maselli fizeram uma apresentação sobre a música “Amigo sim! Bullying não”.

Já os alunos do 4º D da professora Ana Maria fizeram um teatro mostrando quais são os sentimentos de uma pessoa que é vítima de bullying. Além disso conversamos e ressaltamos mais uma vez quais os valores da nossa Unidade de Ensino. Educação, respeito e gentileza, ressaltando que a E.M. Julio B. Mendes é muito mais do que um local para estudar, é uma escola que visa o desenvolvimento pleno do cidadão, preparando nossos alunos para a vida”, destacou Gaspar.

O prefeito José Luiz Parella (PSDB) parabenizou a escola pelo Projeto e destacou a importância de trabalhar sobre o tema. “Parabéns para a direção, coordenação, professores e funcionários da escola Julio Mendes pelo excelente trabalho que estão realizando. Vemos diariamente na TV e nos jornais que as escolas, alunos e professores sofrem com o bullying. Essa prática é inaceitável. Conversar e conscientizar sobre essa prática é de extrema importância, já que os alunos são multiplicadores do que aprendem no ambiente escolar e dessa forma o bullying diminuirá e/ou deixará de existir.

As nossas escolas encararam o assunto com seriedade e trabalham o tema com os alunos desde cedo, conscientizando sobre o respeito às diferenças e à individualidade. Os nossos professores e funcionários estão preparados para identificar e dar a devida orientação aos alunos envolvidos. É por isso que os pais devem estar sempre em contato com a escola, o que pode acontecer através de reuniões, festas, palestras, entre outras atividades. Através da educação e do constante diálogo construiremos uma sociedade mais justa, humana, fraterna e solidária”, finalizou o chefe do Executivo.

 



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo