OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO EM OPERAÇÃO NESTA SEXTA-FEIRA (22/3) NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 – Av. Trabalhador SÃO-carlense (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - Av. Trabalhador SÃO-carlense (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - Av. Francisco Pereira Lopes (SHOPPING/USP) – VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

Após denúncias feitas ao Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (GAEMA), de que a Represa do Lobo, mais conhecida como Represa do Broa, em grande parte localizada no município de Itirapina, estava poluída, o órgão do Ministério Público Estadual, em parceria com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CESTESB), e a Prefeitura de Itirapina, por intermédio de funcionários do Departamento de Água e Esgoto (DAE) e o químico responsável, decidiram em 2017 dar início e acompanhar, monitorar a represa com medições periódicas (semanais), analisando a real situação da água.

Na ocasião, 3 funcionários da Prefeitura foram enviados para a CETESB/São Paulo e receberam treinamentos para estarem habilitados a realizar coletas das amostras da água do Broa de forma extremamente técnica, atendendo aos altos padrões exigidos pela CETESB. Os dias, horários e os locais das coletas foram decididos levando em conta que neles são registrados maior número de banhistas e em alta e baixa temporada.

Classificação

Conforme a resolução 274/2000 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA), as águas doces destinadas à recreação, são classificadas próprias ou impróprias. Quando própria, ela é subdivida em categorias: satisfatória, muito boa e excelente. Para ser considerada própria dentro das 3 categorias é necessário que pelo menos 80% de um conjunto de 5 amostras analisadas consecutivamente sejam classificadas como própria. Na categoria excelente o valor máximo é de 250 coliformes fecais, ou 200 Escherichia Coli ou 25 Enterococos por 100 mililitros de água que, é o parâmetro usado para classificação de balneabilidade conforme a resolução do CONAMA.

Interessante observar que o limite de tolerância para as águas serem consideradas próprias é de até 800 Escherichia Coli por 100 mililitros de água. Portanto, todos os valores dentro desses intervalos classificam-se a água como própria para efeito de balneabilidade.

Em todas as medições realizadas e analisadas no laboratório da CETESB/Campinas, o maior valor medido até hoje foi de 102 Escherichia Coli por 100 mililitros de água, classificando a água da Represa do Broa como própria, uma das melhores do Estado de São Paulo, tratando-se de balneabilidade, ou seja, uso para lazer e banho. Por isso a bandeira verde da CETESB hasteada em alguns pontos da represa.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo