Nesta sexta-feira (17/11), os radares móveis estarão nas seguintes vias: 

RADAR 1 – Av. Morumbi (Centro/Bairro) velocidade máxima permitida de 50 km/h; 

RADAR 2 – Av.Dr. Heitor José Realli (Rodovia/Bairro) velocidade máxima permitida de 60 km/h; 

RADAR 3 - Av.Dr. Heitor José Realli (Bairro/Rodovia) velocidade máxima permitida de 60 km/h.

As audiências de custódia, que obrigam que presos em flagrante sejam levados à frente do juiz antes de efetivada a prisão, têm sido motivo de queixas tanto por parte da Polícia Civil quanto da Polícia Militar. Pela nova regra, cabe ao magistrado confirmar a voz de prisão dada pela autoridade policial.
 
A queixa, reverberada nesta quinta-feira (18) pelo delegado Seccional, Fernando Giareta, é de que as autoridades judiciárias têm liberado boa parte dos detentos após o empenho da Polícia em efetuar a detenção dos suspeitos.
 
O descontentamento resultou num desabafo de policiais militares de Araraquara. Eles  disseram à reportagem que, após a audiência, a juíza de plantão teria perguntado se os suspeitos estavam com fome. Diante da confirmação, foi ordenada a compra de lanches e solicitado aos policiais que servissem o grupo. Diante da recusa dos PMs, os indivíduos teriam sido conduzidos a sala de trabalho da juíza, onde fizeram a refeição, conforme a foto revela.
 
Ainda de acordo com os policiais, dos três flagrantes realizados na noite anterior, dois por tráfico de drogas e outro por roubo, todos  foram colocados em liberdade. Um dos detidos portava mais de 200 pinos com cocaína, enquanto outros indivíduos foram apreendidos com material produto de roubo e reconhecidos pelas vítimas. 
 
 


Comentário(s) 

0
Apenas especulando | 23 Maio 2017
Vai ver eles liberam porque tem medo de represálias, ou o que eu não acredito, mas pode ser, se identificam com o estilo de vida dos acusados, não que este seja o caso, mas você vê tanto policial corrupto, professor sem educação, médico mercenário, político que enriqueceu as custas de dinheiro público, trabalhador que mal tem comida na mesa sendo esfolado pelo IRPF ou pelos bandidos, que você começa acreditar que tudo é possível neste aglomerado de pessoas que costumam chamar de país.
+1
leitor incrédulo | 19 Maio 2017
A juíza pagou os lanches com dinheiro próprio, ou dinheiro público. Se usou verba do gabinete, deve repor o quanto gastou. Ora, vejam, os infratores da lei comem melhor que a população miserável deste país inverossímil.