NESTA SEXTA-FEIRA (07/08) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - RUA RUI BARBOSA (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 40 KM/H;

RADAR 2 - RUA MIGUEL PETRONI (BAIRRO/RODOVIA) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA JOÃO DE GUZZI X RUA MARCOS VINICIUS DE M. MORAES - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

Bastante conhecido dos são-carlenses e em outras cidades da região, o médico Flávio Freitas foi demitido do Hospital Mário Covas, em Ilha Bela, litoral de São Paulo, por defender o uso da cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento do novo coronavírus e segundo ele, esse teria sido o motivo do seu desligamento. O médico foi desligado do hospital onde trabalhava desde 2017 nesta quarta-feira, após ofício encaminhado à direção do hospital através do secretário de Saúde da Ilha, Gustavo Barboni.

De acordo com Flávio, os desentendimentos com o secretário Barboni tiveram início há dois meses, quando ele fez uma postagem nas redes sociais indicando uma possível subnotificação de casos covid no município, fato que teria desagradado o secretário.

“Na postagem, comentei o fato da Ilha ficar por mais de 20 dias com apenas oito notificações da doença. Comentei que era preciso ampliar a testagem, pois entendia, que existia uma subnotificação de casos devido a falta de testagem pela prefeitura. O secretário fez um print da postagem e encaminhou à direção do hospital pedindo a minha demissão, que não foi aceita”, contou.

Depois deste atrito, Flávio passou a defender o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com covid-19 em Ilha Bela. Segundo ele, o secretário Barboni que é contra o uso desses medicamentos, enviou um novo ofício à direção do hospital solicitando que seu contrato não fosse renovado.

Os médicos que trabalham no hospital Mário Covas são contratados pela prefeitura através da Santa Casa e o contrato é renovado automaticamente a cada seis meses.

“Estou muito triste com essa situação. Trata-se de uma demissão política. Gostaria que a prefeita Gracinha reconsiderasse a decisão do secretário. Tenho o direito de manifestar sobre assuntos médicos. Acredito no bom senso da prefeita para reverter isso”, disse.

O doutor Flávio tem ligações profundas com a cidade Ilha Bela. Seus pais estão enterrados na Ilha, seu avô, Edgar Freitas, já falecido, foi provedor da Santa Casa da Ilha de 1943 a 1970.

Prefeita testa positivo - A prefeita de Ilhabela, Maria das Graças Ferreira, a Gracinha, testou positivo para o novo coronavírus (Covid-19), nesta quinta-feira (23). A gestora, de 59 anos, ficará afastada para tratamento em casa, durante 14 dias.

Segundo o secretário de Saúde, Gustavo Barboni, Gracinha está em boas condições de saúde e continuará trabalhando de casa. Ele contou ainda que a prefeita se sentiu mal nesta manhã, com sintomas gripais, e fez o teste rápido no hospital municipal Mário Covas. Dentro de alguns dias ela deve realizar o exame de PCR para confirmação.

O município de Ilhabela registra 586 casos da doença, além de seis mortes confirmadas e oito pessoas internadas, sendo uma na UTI, segundo o boletim da secretaria de Saúde.

(Com informações do Portal Tamoios News)



Comentário(s) 

Luca | 27 Julho 2020
Qual o profissional mais preparado para abordar sobre procedimentos médicos, receitar remédios, acompanhar paciente enfermos, propor tratamentos médicos, etc., um médico que tem todo o direito de discordar sobre protocolos enfiados goela abaixo com seus fundamento calçados em 5 anos de estudos mais 4 de residência, fora os cursos de pós graduação/especialização ou um advogado?