NESTA QUARTA-FEIRA (05/08) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - RUA MIGUEL PETRONI (RODOVIA/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - RUA MIGUEL PETRONI (CENTRO/RODOVIA) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - RUA RAY WESLEY HERRICK (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

O diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), através de seu presidente Erick Silva, divulgou na noite desta quarta-feira (08), uma nota se solidarizando com a população de São Carlos que foi atingida pelas fortes chuvas dos últimos dias na cidade. A nota também enaltece as ações e obras de combate às enchentes realizadas pelos ex-prefeitos petistas, Newton Lima (2000-2008) e Oswaldo Barba (2009-2012). Confira a nota na íntegra:

"O Diretório do Partido dos Trabalhadores de São Carlos se solidariza com a população são-carlense, sobretudo com aquelas pessoas que foram atingidas pelas fortes chuvas dos últimos dias. Felizmente, por piores que tenham sido os transtornos, prejuízos materiais e os momentos de tensão vividos por muitas delas, não tivemos feridos e nenhuma morte.

As chuvas dessa época costumam causar estragos em várias cidades e, em São Carlos, como sabemos, existe ainda os impactos e destruições ocasionados pelas enchentes e alagamentos que sofremos há décadas. Dessa vez, os principais problemas foram registrados no Pontilhão da Travessa 8, Rotatória do Cristo, Cemitério Nosso Senhora do Carmo e baixada do Mercadão.

Esse é um problema antigo de solução complexa e a longo prazo. Nas gestões petistas – Newton Lima (2000-2008) e Oswaldo Barba (2009-2012) – as ações e obras de combate às enchentes foram colocadas em prática de maneira inquestionável.

Em 12 anos, foram investidos R$ 22,4 milhões nas regiões dos córregos Monjolinho e Gregório em canalizações, contenções de margens, aprofundamento da calha dos córregos e construção de pontes. No Varjão, o problema foi eliminado. Também foram reconstruídas 20 pontes em concreto, substituindo as antigas de lata. (Veja abaixo a relação mais detalhada).

Porém, a descontinuidade dessas ações pelo governo municipal do PSDB (2013-2016) e a lentíssima retomada na atual gestão contribuem decisivamente para o estado de destruição dos últimos dias.

A gestão Oswaldo Barba, por exemplo, deixou recursos, projeto e área conquistada para a construção do piscinão no CDHU. A gestão anterior simplesmente não executou. Estamos na torcida para que a atual gestão consiga executar essa obra fundamental. Na Rotatória do Cristo, além do projeto e dos recursos conquistados junto ao Dnit para o alargamento da passagem do córrego Mineirinho, as gestões petistas deixaram dinheiro em caixa para o aumento da vazão do córrego Mineirinho (Santa Felícia) sob a avenida Francisco Pereira Lopes.Pasmem, essa obra também não foi executada pela gestão anterior!

É lamentável que gestores eleitos para governar coloquem interesses partidários e políticos acima dos interesses dos munícipes. O Plano de Macrodrenagem, inclusive com projetos executados, feito nas gestões petistas em parceria com a sociedade civil organizada mapeou problemas e apontou soluções. Em muitos pontos esses problemas foram solucionados, mas em outros somente ações continuadas poderão trazer algum alívio ou eliminar definitivamente o problema.

As autoridades constituídas, legitimamente eleitas pelo povo, têm a obrigação de colocar em prática o Plano de Macrodrenagem, e/ou os demais, ou liderar junto à sociedade seu aperfeiçoamento.

Obras e ações realizadas nas gestões petistas (2001-2012) no combate às enchentes

  • Plano Diretor (2005)
  • Código de Obras
  • Lei de Preservação de Mananciais
  • Plano de Macrodrenagem (inclusive c/ projetos)
  • Eliminação das enchentes no Varjão
  • Destamponamento do Tijuco Preto (2009) próximo à Rodoviária
  • Canalização do Córrego do Gregório (R$ 6,7 milhões) entre a rua Visconde de Inhaúma e a Rotatória do Cristo, inclusive com a criação da Ciclovia e Pista de Caminhada
  • Obras na Rotatória do Cristo na confluência dos córregos Monjolinho, Gregório e Mineirinho
  • Rebaixamento da calha do Córrego Gregório em 60 cm no trecho defronte ao Mercado Municipal e alteração no ângulo de confluência do córrego Simeão sob à praça
  • Obras de contenção e troca de pontes, como a da ruaSão Joaquim, no trecho do Gregório entre a Rotatória do Educativa e o Mercado Municipal, inclusive com a criação do Parque da Chaminé 
  • Obras de contenção das margens do córrego Monjolinho em alguns trechos críticos, como a Curva do Joinha 
  • Construção ou substituição de 20 pontes de lata por concreto

Ações e recursos conquistados e não continuados pela gestão do PSDB (2013-2016)

  • Duplicação do viaduto da Praça Itália (R$ 10 milhões) com obras essenciais de drenagem da região da Lagoa Serena e CDHU da Vila Izabel 
  • Alargamento (5,3 milhões) da passagem do córrego Monjolinho sob a linha férrea na Rotatória do Cristo 
  • Em março de 2013 (já na gestão do PSDB), o governo federal liberou R$ 6,4 milhões conquistados pelo PT para obras de pavimentação, drenagem nos bairros Parque São José e Jardim São Paulo e a construção do piscinão no CDHU
  • Continuidade das contenções das margens do Monjolinho (Marginal Francisco Pereira Lopes)"


Comentário(s) 

+1
Ulisses | 13 Janeiro 2020
Faço minhas as palavras do geólogo Álvaro Rodrigues dos Santos - ex-diretor do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT):

“Não deixem criar piscinões nas cidades de vocês”, defendeu. “O piscinão ocupa uma área que poderia ter outras funções e vai ser uma bomba sanitária com água contaminada. É uma despesa absurda porque ele tem que estar limpo, não pode assorear, tem que ser conservado e o material que sai tem alto grau de poluição, tem que ser levado para uma área específica que não pode ser muito longe porque o transporte é caro”, explicou.
“O piscinão virou indústria e querem vender como panaceia. É uma técnica que tem qualidade hidráulica, mas tem que ser a última opção”, pontuou o ex-diretor."