NESTA SEGUNDA-FEIRA (21/10) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - Av. Comendador Alfredo Maffei (bairro/centro) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H; 

RADAR 2 - Av. Bruno Ruggiero Filho (shopping/rodovia) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H; 

RADAR 3 - Rua Miguel Petroni (bairro/rodovia) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

Uma servidora pública registrou nesta quarta-feira (10) um boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher, por atos de racismo e assédio moral contra uma chefe de gabinete da secretaria da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida. 

A servidora esteve na delegacia acompanhada do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos Municipais de São Carlos (SINDSPAM), Adail Alves de Toledo. A servidora relatou que era ofendida pela sua superiora criando situações vexatórias. 

Outra situação diz a respeito de uma funcionária de uma empresa terceirizada. A acusada teria segundo relatos confirmados pelo sindicato chegado a trancar a funcionária em uma sala. Ela também é negra. Os relatos de racismo e assédio moral foram registrados no boletim de ocorrência. 

De acordo com o presidente do sindicato os fatos são verdadeiros e existem gravações que comprovam todas as falas e ações da chefe. 

“Nós recebemos uma ligação da servidora que fica na secretaria da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, falando que é perseguida e sofre racismo por parte da chefe. 

Segundo o presidente do Sindspam, a servidora concursada foi ofendida várias vezes por ser negra. “Há outra servidora terceirizada, que também é negra e foi, por várias vezes, trancada em uma sala e sem ter acesso as pessoas. Tudo isso porque ela era negra”, contou. 

Após o registro do boletim de ocorrência, Adail e a servidora manteve contato com alguns membros do primeiro escalão da Prefeitura, relatando o ocorrido e apresentar o boletim de ocorrência. 

A chefe até o momento não se manifestou em relação às acusações. A Prefeitura Municipal, também no início da noite disse que não iria se pronunciar neste momento.



Comentário(s) 

+1
Valdir de Santis | 11 Julho 2019
Essa chefe precisa ser suspensa de suas atividades, após constituir uma comissão interna, e se de fato comprovado a prática de racismo, ser exonerada da função e demitida por justa causa, além disso, ser indiciada por racismo.
+11
Eleitor | 24 Julho 2018
Quando ele fica uns dias fora da mídia, ele arruma um jeito de aparecer, e a imprensa ajuda.
+7
Cesar | 24 Julho 2018
Desta vez o edil está correto e o único com coragem para cobrar o Boné, os demais se acovardam e "deixam como está, para ver como fica", pior legislatura da história da cidade. O Boné falta, quando vai sai antes do horário, deve ser para ficar em seu pseudo gabinete na Vila Neri " gabinete R de galo". kkk