NESTA SEXTA-FEIRA (6/12) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 – AVENIDA FRANCISCO PEREIRA LOPES (USP/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 – AVENIDA HENRIQUE GREGORI (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

A Justiça de São Carlos, por meio da Vara da Fazenda Pública, concedeu a empresa Autovias S/A, uma liminar que proíbe manifestações na área onde está sendo construído a nova praça de pedágio no quilômetro 254 da rodovia Engenheiro Thales de Lorena Peixoto Júnior (SP-318) em São Carlos.

A Ação de Interdito Proibitório, proposta pela concessionária é contra Deonir Tófollo e João Figeredo Mascarenhas que estariam liderando uma manifestação programada para ocorrer neste sábado (06) às 10hs.

O protesto pretendia interditar uma faixa da rodovia com tratores e caminhões. A juíza Gabriela Muller Carioba Attanasio concedeu parcialmente a liminar, para o fim de determinar a realização do referido protesto do sábado “no leito carroçável da rodovia, bem como no canteiro central, acostamento, faixas de domínios, acessos, refúgios, postos de atendimento, balanças, demais instalações, integrantes do sistema rodoviário na rodovia administrada pela autora, em quaisquer dias, ou praticar qualquer ato capaz de turbar a posse da autora sobre rodovia, em qualquer quilômetro do limite territorial do município de São Carlos, sob pena de multa de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) por hora de turbação.

Deonir Tofollo que já foi secretário municipal da Agricultura no governo do prefeito Airton Garcia, lamentou a decisão da Justiça. Para ele a medida é autoritária e fere a Constituição Federal. “Mais uma vez vemos o autoritarismo do Governo do Estado de São Paulo. Vamos recorrer desta liminar para tentar derrubá-la, mas o protesto de sábado ficou prejudicado e vamos marcá-lo para um outro dia. Enquanto isso vamos continuar com os protestos pelas redes sociais”, destacou.



Comentário(s) 

0
Aécim Pódemais | 05 Julho 2019
No Brasil, o direito ao protesto é garantido constitucionalmente pela combinação de três direitos elencados no artigo 5º da Constituição Federal. Será que essa juíza é da mesma escola de Sergio Moro ? não entende nada de leis ? ou apenas pau mandado de tucanos , assim como Moro.
+2
cesar | 05 Julho 2019
Sou contra o pedágio, porém, o Boné e os edis, sabiam e apoiaram o governador Alckmin, agora se fazem de esquecidos e para ganhar votos ano que vem, fingem ser contra, bando de mentirosos, sabiam e não fizeram nada. Próxima eleição vamos trocar todos, sem exceção, não nos representam, bando de falastrões.