Nesta sexta-feira (16/08) os radares móveis estarão operando nos seguintes locais: 

RADAR 1 - Rua Miguel Petroni (RODOVIA/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - Avenida Comendador Alfredo Maffei (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - Avenida Trabalhador São-carlense - (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

A Câmara Municipal realizará nesta quarta-feira (29) uma audiência pública para discutir a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020. Agendado pelo presidente da Casa, vereador Lucão Fernandes (MDB), o evento será realizado às 15h, na sala das sessões do Edifício Euclides da Cunha. 

O projeto de lei da LDO foi protocolado na Câmara pela Prefeitura e lido em plenário na sessão ordinária do dia 30 de abril. Conforme cronograma estabelecido pela presidência, o prazo para apresentação de emendas pelos vereadores se estende até o dia 31 de maio. As comissões de Legislação, Justiça e Redação e de Economia, Finanças e Orçamento deverão emitir seus pareceres no período de 1º a 14 de junho. 

A votação do projeto de lei em primeiro turno ocorrerá na sessão do dia 17 de junho às 10h e a apreciação em segundo turno será na sessão ordinária de 27 de junho no mesmo horário. 

LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS – É a lei que estabelece os objetivos e prioridades da Administração Pública para o ano seguinte. É com base nela que a proposta do orçamento (Lei Orçamentária Anual) é elaborada. Para tanto, a LDO fixa os recursos que o governo pretende economizar, traça regras, limites e aumentos de despesas, entre outras disposições. 

Lucão Fernandes destacou a importância da realização da audiência pública, observando que a população deve participar, uma vez que serão dados esclarecimentos sobre metas e projetos de ação governamental para 2020. 

A audiência é aberta ao público e será transmitida pela TV Câmara (NET Canal 8) e Portal da Câmara (www.camarasaocarlos.sp.gov.br) que pode ser acessado em computadores, tablets e celulares.



Comentário(s) 

+2
Mario | 14 Junho 2018
Parabéns ao judiciário pela decisão, tem que bloquear os bens e mais tornar inelegíveis esses maus políticos que de forma escandalosa usaram mal o dinheiro público, o triste é ver alguns nomes dessa lista ainda na política e outros exercendo ainda cargos de confiança, deveriam ser simplesmente proibidos de terem cargos públicos, execrados da vida pública.
+3
Eleitora | 14 Junho 2018
A justiça tarda mais não falha, que bela notícia ver esses picaretas devolvendo aos cofres públicos o dinheiro usado de forma irregular por eles, e essa de penhorar até espólio é sensacional.
+2
leitor assíduo | 14 Junho 2018
Se houve pagamento irregular, por erro, os valores a serem devolvidos devem ser corrigidos; se houve má-fé, o devido processo penal deve ser formalizado. Passa da hora de os cargos de confiança agirem com a confiança da população, que lhes paga os salários, e não apenas dos políticos que os indicam, muitas vezes sócios dos indicados no quesito compartilhamento salarial.
+7
pingo no i | 13 Junho 2018
Resumo do circo na câmara ontem:

--Rodson fazendo o barulho que faz a cada dois meses para não sumir da mídia;
- Berreiro usa a tribuna para fazer Campanha mais uma vez para Julio Cesar; (é Legal isso? pode usar o plenário para fazer campanha política?);
- Laíde que parace uma boneca de cera pois nunca se manifesta, aproveitou a deixa para querer VENDER o serviço de sua clínica particular de castrassão para a prefeitura. Disse que seria a única maneira de resolver o problema do Canil (Pode isso? vender um serviço duma empresa dela própria para a Prefeitura?)
- Malabim cobra fortemente a Prefeitura em relação a iluminação pública, mas se esquece que o diretor da pasta responsável pela iluminação é o Anderson, cabo eleitoral a anos e indicação do próprio vereador;