NESTA SEXTA-FEIRA (19/7) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - AVENIDA HENRIQUE GREGORI (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - AVENIDA FRANCISCO PEREIRA LOPES (USP/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

O polêmico vereador Leandro Guerreiro (PSB), arrumou mais uma confusão durante a sessão desta terça-feira (14) na Câmara Municipal. Depois de arrumar entraves com vários setores da sociedade, Guerreiro ontem “bateu pesado” no promotor de justiça Mário José Corrêa de Paula, do Ministério Público de São Carlos.

O promotor acusou o vereador pelo crime de abuso de autoridade no episódio em que o Guerreiro arrancou da parede de uma escola municipal cartazes de ideologia de gênero e intolerância religiosa. O parlamentar deverá participar nesta quarta-feira (15) de uma audiência às 13h50, no Fórum Criminal.

Na sessão Guerreiro subiu na Tribuna e com fotos do promotor disse com tom de ironia que mais uma vez um criminoso de São Carlos enfrentaria a Justiça e chamou o promotor de acusador e irresponsável.

“O promotor se acha acima do bem e do mau, mas para cima de mim não”, declarou. “Este elemento travestido de promotor disse que eu cometi crime de abuso de autoridade. Primeiro que nem autoridade eu me considero. Segundo que o senhor não estava lá, seu irresponsável e acusador. Terceiro que nem me chamou para eu dar um depoimento para saber o que aconteceu na escola. E quarto estávamos em quatro vereadores, imprensa, o sindicato (SINDSPAM)”, assegurando o vereador que tinha testemunhas que poderiam confirmar sua versão.

 A visita aconteceu na escola municipal EMEB Carmine Botta no dia 18 de setembro depois de Guerreiro estava acompanhado do atual presidente da Câmara Municipal, vereador Lucão Fernandes (MDB), bem como dos vereadores Edson Ferreira (PRB) e Moisés Lazarine (DEM). Os vereadores alegaram que mobilizaram até o local após receberem reclamação de alguns pais.

 O promotor caracterizou a atitude de Guerreiro de abuso de autoridade e que ele atentou contra liberdade de consciência e de crença dos professores e estudantes.

Guerreiro disse que está ansioso para encontrar o promotor diante do juiz nesta quarta-feira.  Nesta quarta-feira pelo Facebook, Guerreiro pediu para que orem por ele: “Orem a Deus por mim meus amigos, a audiência será as 13:50h. Não me importo com o que pode acontecer, foi para isso que fui eleito para defender as pessoas e defender aquilo que acredito. Não entrei para enriquecer nas costas da população então dane-se o que pode acontecer comigo. Deus seja louvado, em nome de Jesus Cristo”, encerrou.



Comentário(s) 

+5
leitor assíduo | 15 Maio 2019
O pegador de novinhas incautas crê em Deus, ou em deus? No triste, lamentável, preconceituoso e intolerante episódio na escola Cármine Botta, Lucão, Edson, Moisés e Guerreiro deram monstra de preconceito e intolerância inaceitáveis em homens públicos. Misturaram religião com política e revelaram imaturidade no exercício do cargo eletivo. Com os ataques ao promotor, Leandro exacerba novamente e nada acrescenta ao decoro parlamentar. Ao contrário, macula-o, outra vez. Se nada deve, não há nada a temer. Os eleitores de São Carlos precisam refletir melhor na hora de votar. Alguns vereadores não tem estatura para representá-los.