NESTA SEGUNDA-FEIRA (21/10) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - Av. Comendador Alfredo Maffei (bairro/centro) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H; 

RADAR 2 - Av. Bruno Ruggiero Filho (shopping/rodovia) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H; 

RADAR 3 - Rua Miguel Petroni (bairro/rodovia) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

O vereador Gustavo Pozzi (PR) teve aprovadas na sessão ordinária desta terça-feira, 12, duas moções de sua autoria tratando da Reforma da Previdência. Na primeira, destinada ao Presidente da República, Jair Bolsonaro, manifestou repúdio pela inclusão dos professores na Reforma da Previdência. A segunda, de apelo, será entregue aos deputados federais e senadores pedindo a não aprovação da Reforma para professores. 

O edil lembrou que a maioria dos que exercem a função de professor são mulheres e elas terão que trabalhar 10 anos a mais. 

Sobre o rombo da previdência, Gustavo lembrou ainda que a aposentadoria dos professores da rede estadual não contribui para o déficit, pois eles tem um regime de aposentadoria próprio. Apontou que a profissão é uma das mais estressantes, devido às atuais condições dentro de sala de aula. 

Disse também ser um absurdo a intenção do governador do Estado de São Paulo, João Dória, de aumentar a alíquota de contribuição dos professores da rede estadual de 11 para 14%. "O professor vai trabalhar mais e contribuir mais. É um absurdo. A dobradinha Bolsodória quer acabar com a educação no Brasil.", disse o vereador.



Comentário(s) 

0
Regina Silva Costa | 15 Março 2019
Nossa essa monção vai parar toda a reforma. Ele esta se achando o fiel da balança! Menos simples vereador. Se quer fazer alguma coisa pelo professor vai lá na escola defender o professor que esta apanhando de alunos
0
cesar | 13 Março 2019
Edil vida mansa, todas as profissões tem espinhos, não apenas uma classe, se tem que fazer a reforma que sejam para todos; se a situação chegou a esse ponto, foi por culpa de má gestão, como está ocorrendo em São Carlos. Todos queremos aposentar, com o mesmo tempo e direitos, professores, garis, trabalhado rural, urbano, etc. Não pode haver divisão.