Nesta sexta-feira (17/11), os radares móveis estarão nas seguintes vias: 

RADAR 1 – Av. Morumbi (Centro/Bairro) velocidade máxima permitida de 50 km/h; 

RADAR 2 – Av.Dr. Heitor José Realli (Rodovia/Bairro) velocidade máxima permitida de 60 km/h; 

RADAR 3 - Av.Dr. Heitor José Realli (Bairro/Rodovia) velocidade máxima permitida de 60 km/h.

O combativo vereador Leandro Guerreiro (PSB), trouxe a tona na sessão da Câmara desta terça-feira (18), possíveis irregularidades que podem ter ocorrido na compra de ovos de páscoa que foram distribuídos aos alunos da rede municipal de Ensino. Guerreiro explicou que a licitação estabelecia a compra de ovos de chocolate ao leite, mas no lugar destes, foram entregues ovos de chocolate fracionado, que possui a adição de gordura vegetal. 

“O problema é que foi estabelecida a compra de chocolate ao leite e o que foi servido às crianças é chocolate fracionado”, disse. “Na quinta-feira, no dia da entrega, constatei que não era chocolate ao leite, nem aqui e nem na China. Então, resolvi investigar essa compra no Portal da Transparência da Prefeitura”, esbravejou Guerreiro. 

Ele ainda citou que a empresa que venceu a licitação não fabrica ovos de Páscoa. “Assim que ganhou a licitação, foram atrás de uma empresa que forneceu os ovos de Páscoa por R$ 169 mil. Foram 22 mil ovos”, afirmou. Guerreiro ainda estranho a quantidade de ovos comprados. Na rede atualmente existem 19,6 mil alunos, Guerreiro quis saber o destino que foi dado aos outros 2,4 mil ovos. 

Outra dívida levantada pelo vereador foi em relação ao valor que foi pago pelos ovos. Ele fez uma cotação na empresa para adquirir 2 mil ovos, lhe foi informado que a unidade ao leite custaria R$ 6,20 e o fracionado R$ 5,10. “Enquanto isso, a Prefeitura pagou R$ 7,53 a unidade de um ovo de chocolate ao leite e recebeu o fracionado”. 

Guerreiro disse que alertou o prefeito Airton Garcia (PSB) sobre a irregularidade e que o mesmo teria suspendido o pagamento à empresa. “Já mandei o ovo para um laboratório de análises para comprovar a qualidade dos ovos”, avisou. 

O vereador ainda serviu aos colegas da casa, público presente e imprensa, amostras de ovos que foram distribuídos aos alunos da rede que na opinião dele é de chocolate fracionado e de ovos ao leite que são produzidos por uma empresa de São Carlos, a fim de que eles percebessem a diferença de um chocolate para o outro.   

Em nota, a Prefeitura de São Carlos informou que a licitação para compra de ovos de chocolate para os alunos da Rede Municipal de Ensino “seguiu todos os trâmites previsto em lei”. Os ovos de chocolate, com 130g cada unidade, foram adquiridos por meio de Pregão Eletrônico ao custo de R$ 169.499,99. 

“Uma análise técnica foi apresentada pela empresa e comprovou que o produto avaliado era chocolate ao leite, porém a Prefeitura vai solicitar uma nova análise do produto. Até o resultado da contraprova o pagamento da empresa está suspenso”. (Com informações do Jornal Primeira Página)



Comentário(s) 

+6
bobona | 20 Abril 2017
combativo onde diz respeito. Queria ver investigar a ong que cuida dos cachorrinhos a vinte anos. Ai falta coragem né?