NESTA SEXTA-FEIRA (19/7) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - AVENIDA HENRIQUE GREGORI (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - AVENIDA FRANCISCO PEREIRA LOPES (USP/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Araraquara concluiu, no final da manhã desta quarta-feira (5) as investigações sobre o assassinato do policial militar Elias Mathias Ribeiro, de 50 anos. O corpo do PM foi encontrado carbonizado dentro de um veículo em um canavial entre Araraquara e Américo Brasiliense.

Horas depois do crime, a Polícia Civil prendeu duas mulheres, mãe e filha, por participação direta no crime. Segundo informações, Mathias mantinha um relacionamento amoroso com Jaciane Maria, de 40 anos, mas acabou se envolvendo com uma filha dela, de 20. O relacionamento tornou-se público e Jaciane armou uma emboscada para se vingar do namorado (leia mais). Para isso, ela teve como cúmplice outra filha, Larissa, de 22 anos, e o tio Genivaldo da Silva.

Genivaldo estava foragido, mas foi localizado em uma residência no Jardim Cruzeiro do Sul. Ele foi levado para a DIG onde prestaria depoimento. Com a terceira prisão, a Polícia considera que o caso esteja esclarecido.

A jovem de 20 anos esteve na delegacia na manhã desta quarta-feira e na saída, disse a reportagem que espera que a mãe pague pelo que fez. Ainda, relatou que realmente teve um relacionamento com o policial e não teve qualquer envolvimento no crime. 



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo