NESTA QUINTA-FEIRA (18/7) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 – AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - AVENIDA GETÚLIO VARGAS (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - AVENIDA MORUMBI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

A Polícia Civil de Araraquara confirmou na tarde desta terça-feira (4) que a morte do policial militar Elias Mathias Ribeiro, de 50 anos, teve motivação passional. Desde o início das investigações essa era a principal suspeita. Duas mulheres já foram identificadas e presas pelos policiais. 

Segundo informações, o policial teve relacionamento com as duas e elas teriam planejado o crime. O executor, no entanto, foi um parente das mulheres que ainda está foragido. 

Na madrugada desta terça-feira (4), o corpo de um Policial Militar foi encontrado carbonizado, dentro de um carro, no canavial de uma usina, entre Américo Brasiliense e Araraquara. O veículo foi  encontrado ainda em chamas num canavial, por volta de 2h30.

No banco de trás, os Bombeiros e Policiais encontraram o corpo do PM Ribeiro. No banco da frente, havia uma arma, além de um colete a prova de balas e algemas.

Segundo informações apuradas pela reportagem do Portal Morada, o policial teria sido agredido violentamente com golpes de martelo enquanto dormia. Em seguida, o corpo teria sido retirado pelos três envolvidos e levado no veículo para o canavial. No local, o veículo foi incendiado e o corpo carbonizado. 

As investigações devem ser concluídas nas próximas horas.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo