NESTA QUARTA-FEIRA (11/12) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 – AVENIDA GETÚLIO VARGAS (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 – AVENIDA GETÚLIO VARGAS (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 – RUA LOURENÇO INNOCENTINI (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

Foi realizada no último sábado (9/11) em São Carlos a Ultramaratona Caminho da Fé, evento organizado pela BR 135 com apoio da Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Renda, por meio do Departamento de Fomento ao Turismo.

A prova de São Carlos faz parte do Circuito Nacional de Ultramaratona Brasil 135 (BR 135), sendo classificatória para a Ultramaratona de 2020 que pontua para provas internacionais. A largada aconteceu às 7h no Santuário Nossa Senhora Aparecida da Babilônia e contou com atletas de diversas partes do país que participaram das modalidades de 5, 10, 20, 50, 80 e 100 km.

“A Ultra de Rua Brasil 135 São Carlos é uma prova diferenciada das demais não só pelo ambiente acolhedor e também pela própria estrutura que o local oferece, o seu percurso além de lindo faz parte de um trecho do Caminho da Fé que é um local encantador um caminho mágico”, disse a ultramaratonista e organizadora, Mônica Otero, agradecendo toda equipe da Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Renda.

Anderson Luis da Silva de Américo Brasiliense, primeiro atleta a finalizar o percurso de 20 km, descreve como foi a experiência em sua segunda participação. “Treinei muito para essa prova, percurso bem pesado, porém quando treinamos, com certeza alcançamos nosso objetivo, em 2020 estarei na próxima edição da Ultramaratona”.

Eliseu Godoy de Praia Grande foi o primeiro atleta de 50 km a chegar e relata como foi a prova. “Percurso desafiador exige muito do atleta, mas é assim, é só treinar bastante e se Deus quiser no próximo ano estarei aqui com meus alunos novamente”.

Marlene Cristina Alves, atleta de São Carlos, foi a primeira mulher a completar a prova de 50 km com o tempo aproximado de 6h37m. “Lancei esse desafio até então tinha corrido apenas maratona, foi uma experiência dura porque o percurso foi difícil, mas valeu a pena, pois fiz um treinamento para isso e tenho uma meta para 2021. É uma emoção alcançar essa proposta de se tornar uma ultramaratonista, já tenho projetos para o próximo ano que é correr a Ultramaratona de Londres no Reino Unido”.

A região se destacou na Ultramaratona com Fábio Varalda da Silva da cidade de Araraquara, ele foi um dos atletas que aceitou o desafio e foi para a pista, em entrevista ele fala quais foram as dificuldades e obstáculos enfrentados nessa prova. “Uma prova muito pesada devido à chuva, lama, muita subida, a altimetria foi de 980, quase mil metros de inclinação na qual dificulta muito para os atletas, eu estava inscrito para o percurso de 100 km, porém nos 30 km pedi para baixar minha prova para 50 km, durante o evento constatei que vários atletas também haviam baixado sua categoria devido à dor muscular e por causa do excesso de lama e altimetria”. O atleta fez questão de falar sobre a organização e suporte dado a todos os participantes. “A Cidade de São Carlos está de parabéns pela organização da BR 135, evento muito bem organizado na parte de alimentação, na estrutura geral que nos recebeu muito bem. No ano que vem estarei de volta”.

Mais uma mulher se destacou na Ultramaratona Caminho da Fé. Kátia Sanae Noda da cidade de São Paulo completou a prova de 80 km com muita garra. “A princípio foi cabeça e coração, teve momentos que pensei em desistir não imaginava que as pernas iriam aguentar tanto esforço. Um percurso desafiador para 80 km foi necessário muito foco e determinação, pra mim essa prova foi osso”.

Na prova de 100 km o destaque foi Kleber Felipe dos Santos da cidade de Caxambu/MG, campeão da prova mais difícil dessa Ultramaratona, finalizando com tempo de 9h15m. “Uma Ultramaratona exige muito da cabeça da gente por ser muito longos, 100 km, em alguns momentos vem a vontade de desistir, quando chega aos 60 km dá aquela caída de novo ai tenho que voltar a me motivar, voltar a correr. Tem várias motivações, porém a mais importante para um atleta de Ultramaratona é o apoio da equipe, o apoio das pessoas que tem bom coração e não medem esforços para que o atleta tenha um bom desempenho para superar todos os obstáculos da prova”.

“Maravilhoso fazer parte de um evento como esse, a Ultramaratona veio para São Carlos unir atletas de todas as regiões do país, unir pessoas, empresários e amantes do esporte e fomentar o Turismo de nossa cidade, fazer parte do Circuito Caminho da Fé é coisa boa”, comenta o Diretor de Fomento ao Turismo, Alexandre Aparecido Tello.

“Com a confiança que nos é dada, estamos trabalhando sério para trazer eventos, fomentar o turismo, gerar trabalho, renda e oportunidades na cidade de São Carlos. Com a Ultramaratona BR 135 não foi diferente, fomentamos o turismo local recebendo equipes dos corredores, espectadores e população local, assim gerando renda nos hotéis, restaurantes, transportes e muito mais, a Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Renda está firme no propósito de fortalecer nossa cidade através de nossos atrativos turísticos e riquezas históricas. Em 2020, novas realizações para desenvolver o Turismo de São Carlos”, disse Walcinyr Bragatto, secretário municipal.

O evento fez parte das comemorações do aniversário de 162 anos de São Carlos.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo