NESTA SEGUNDA-FEIRA (17/12/18) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS: 

RADAR 1 – RUA MIGUEL PETRONI, 338  - CENTRO/BAIRRO - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 – AVENIDA JOÃO DE GUZZI X RUA MARCOS VINÍCIUS DE M. MORAES  - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 – AVENIDA TRABALHADOR SÃOCARLENSE, OPOSTO 1130, RODOVIÁRIA/USP - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 M/H.

 

A meia maratona Água Vermelha-Santa Eudóxia realizada nesse domingo (2) pela Prefeitura de São Carlos, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, reuniu 950 competidores entre homens e mulheres. A largada foi na frente da Igreja São Roque, no distrito de Água Vermelha, e a chegada próximo ao Terminal Rodoviário de Santa Eudóxia. O percurso foi de 21 km entre as duas localidades e durou cerca de três horas.

Júlia Zabeu, de São Carlos, foi a primeira mulher a cruzar a linha de chegada com o tempo de 1 hora e 34 minutos. “Eu participei ano passado, esse ano repeti a dose e consegui a primeira colocação. Gosto demais desse trajeto por conta da paisagem que proporciona. A organização está de parabéns. Tudo bem planejado, com diversos pontos de hidratação. Foi bem legal”. Talita Fernanda Cândido e Adrielle Dourado Gonçalves, ficaram, respectivamente, em 2º e 3º lugares. 

Masculino teve bi-campeão - Já entre os homens, o bi-campeão foi Fábio Paiva, de Itirapina, com o tempo de 1 hora e 14 minutos. “Essa prova serve de motivação e inspiração já que na semana que vem encaro uma ultra maratona de 70 km em Botucatu. Gostei muito de ter participado e me alegro, mais ainda, pelo primeiro lugar. Essa iniciativa da Prefeitura de São Carlos merece ser seguida por outras cidades”. Valdecir Gustavo, de Ibaté, ficou em segundo lugar com o tempo de 1 hora e 28 minutos. “Contente demais com essa colocação. Consegui superar a do ano passado, quando fiquei em terceiro”. Sebastião Paulo dos Santos, também de Ibaté, e que ficou em terceiro lugar no masculino, reconheceu a qualidade do percurso. “Exige muito esforço porque tem muitas subidas. Mas esse desafio que vale à pena. Ano passado fiquei em 4º lugar e esse ano consegui o pódio. Maravilha!”. 

Participação em dobro - Para a competição, a Prefeitura de São Carlos colocou à disposição dos atletas um kit com chip descartável, número de identificação, camiseta, além de água, frutas e até massagem com equipe especializada, além de troféus para diversas categorias. Guarda Municipal e Agentes de Trânsito também ajudaram no evento que também teve o apoio indispensável da Polícia Militar.

Segundo o secretário de Esportes e Lazer, Edson Ferraz, a avaliação é positiva. “Ano passado foram 450 inscritos e, esse ano, conseguimos mais que o dobro: 950. São Carlos tem inúmeros corredores e eles sempre esperam que haja oportunidades como essa para testarem suas condições ou simplesmente participar por paixão. E foi o que todo o conjunto da Prefeitura conseguiu colocar em prática. Acredito que estamos todos, nós e os participantes, de parabéns”.

O prefeito Airton Garcia, que prestigiou a meia maratona, disse que esse tipo de atividade deve fazer parte das ações do poder público. “Além do olhar do dia a dia com saúde e educação, precisamos, também, dar atenção às iniciativas esportivas. Afinal, elas sempre acabam, de alguma forma, promovendo um pouco disso. Eu não corri aqui, é verdade, mas a minha ‘maratona’ foi no sentido de apoiar esse encontro que, sejamos francos, tá bonito demais”.

De acordo com Marcos Amaro, diretor de Fomento ao Lazer da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, a meia maratona já é esperada por atletas de toda a região. “Os maratonistas esperam a corrida de São Carlos para treinar para a São Silvestre, portanto é um evento esportivo que atrai um público grande para o município. Apesar do grande número de participantes tudo ocorreu conforme o programado”.

Antônio de França, policial militar em São Paulo (capital), elogiou o trajeto da meia-maratona e ressaltou que cumpri-lo em menos de duas horas é muito difícil. “Eu fiz em 1 hora e 58 minutos. Nesse tipo de prova, esse percurso aqui foi bem interessante”. José Luís Rigo, de 67 anos, de São Carlos, disse que esse percurso exige muito treinamento. “Se não souber administrar fôlego e tempo não dá. Fiz em 2 horas e 5 minutos, mas foi bem difícil mesmo. O importante é que consegui concluir. Eu, graças a Deus, consegui”.

 



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo