NESTA SEXTA-FEIRA (07/08) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - RUA RUI BARBOSA (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 40 KM/H;

RADAR 2 - RUA MIGUEL PETRONI (BAIRRO/RODOVIA) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA JOÃO DE GUZZI X RUA MARCOS VINICIUS DE M. MORAES - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

No próximo dia 25, aniversário de 466 anos de fundação de São Paulo, a cidade receberá a exposição Heranças de um Brasil Profundo, que apresenta a arte dos povos e etnias originários do país. A abertura da mostra, no Museu Afro Brasil, no Parque do Ibirapuera, terá entrada gratuita.

A exposição contará com mais de 500 objetos indígenas como utensílios, obras de arte plumária, adornos, máscaras e arte contemporânea de diversas etnias, como Karajá, Marubo, Kayapó, Mehinako, Yanomami, Rikbaktsa, Tapirapé, Waurá, Tapayuna, Baniwa, Ashaninka, Parakanã, Panará e Juruna.

A mostra reune ainda o trabalho de fotógrafos que se dedicaram à documentação de populações indígenas brasileiras, como Claudia Andujar, Rosa Gauditano, Maureen Bisiliat, Nair Benedicto, Manuel Rodrigues Ferreira, Rodrigo Pretella, e Jamie Stewart-Granger.

“Essa ideia da herança tem o objetivo de trazer de volta à nossa memória a arte dos povos da floresta no que ela tem de mais esplendoroso, que são as artes plumárias, mas também a arte dos objetos de uso, objetos simbólicos dessa cultura brasileira extraordinária. E também traz ao mesmo tempo uma visão de fora, de alguns dos mais importantes fotógrafos do Brasil”, disse o curador da exposição, Emanoel Araujo.

O Museu Afro Brasil fica no Parque do Ibirapuera, avenida Pedro Álvares Cabral, portão 10. Funciona de terça-feira a domingo, das 10 horas às 17 horas.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo