NESTA QUINTA-FEIRA (14/11) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - Avenida Bruno Ruggiero Filho (BAIRRO/shopping) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H; 

RADAR 2 – Avenida Henrique Gregori (bairro/shopping) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H; 

RADAR 3 - Avenida Comendador Alfredo Maffei (bairro/centro) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

 

A EdUFSCar está lançando o livro "Leituras Oitocentistas", organizado por Franco Baptista Sandanello e Wilton José Marques. O lançamento acontece no dia 7 de novembro, no Campus São Carlos da UFSCar.

A obra surgiu como forma de comemorar os 15 anos do Núcleo de Estudos Oitocentistas (NEO), grupo de pesquisa sediado na UFSCar e coordenado por Marques, docente do Departamento de Letras (DL) da Instituição. "Assim, para marcar essa data simbólica e sobretudo pelo fato de que, nos tempos atuais, as pesquisas acadêmicas têm sido alvo de críticas que, no fundo, tentam deslegitimar a importância da universidade pública brasileira, a publicação do livro é uma forma de mostrar que, a despeito das dificuldades, as pesquisas continuam vivas e atuantes", diz Marques.

Os 10 textos que compõem o livro são resultados concretos de algumas das pesquisas desenvolvidas por membros do NEO. Fundado em 2004, o Núcleo prioriza os estudos das manifestações literárias brasileiras ao longo do século XIX. No entanto, no caso deste livro, tais estudos também procuram, cada um a seu modo, estabelecer diálogos literários, seja com obras estrangeiras do mesmo período, seja com obras contemporâneas.

A publicação está estruturada em três partes: Leituras românticas; Leituras machadianas; e Leituras de final de século e um diálogo contemporâneo. "Organizado em três unidades temáticas, o livro assinala a importância de se (re)pensar os impactos da produção literária oitocentista no processo de consolidação da literatura brasileira. Em sentido amplo, os textos discutem aspectos da literatura oitocentista bem como seus eventuais reflexos na literatura moderna, evidenciando que a revisitação do passado é um necessário exercício crítico para não apenas apresentar novas leituras como também para ajudar a compreensão histórica dos desdobramentos literários até o presente", afirma o organizador.

Estudioso da obra de Machado de Assis, Marques explica os textos dedicados ao escritor: "Machado de Assis, além de ser um dos principais autores do século XIX, é sem dúvida o mais estudado. Nesse sentido, na segunda e maior unidade do livro - Leituras machadianas - são discutidos aspectos diversos da literatura do escritor. Inclusive, alguns desses aspectos nem sempre são contemplados nos estudos críticos: três dos textos são centrados na poesia e dois, na prosa".

Para Marques, a leitura e o estudo da literatura ajudam, como sugere o crítico literário Antonio Candido, não apenas a "conhecer os sentimentos e a sociedade", mas, sobretudo, "a tomar posição em face deles". "Dessa forma, democratizar o conhecimento na forma de livro é, entre outras, uma maneira legítima de resistência a todo e qualquer tipo de pensamento que tente impedir a livre circulação do saber. E, como se sabe, o acesso plural ao saber é um dos pilares fundamentais para o próprio aperfeiçoamento da sociedade", conclui o pesquisador da UFSCar.

O lançamento de "Leituras Oitocentistas" será aberto ao público e acontece às 17 horas, no Auditório da Educação Especial, no Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH), localizado na área Sul do Campus São Carlos da UFSCar. Na ocasião, haverá a mesa-redonda "A pesquisa de literatura nos dias atuais: o que fazer? - A experiência do Núcleo de Estudos Oitocentistas".

Mais informações sobre o livro podem ser obtidas no site da EdUFSCar.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo