NESTA SEXTA-FEIRA (15/12) RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS: 

RADAR 1 – RUA LOURENÇO INNOCENTINI (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 – RUA DOUTOR MARINO DA COSTA TERRA (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H;  

RADAR 3 – RUA DOUTOR MARINO DA COSTA TERRA (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H;

Suspensão, freios, tração, conforto e velocidade. Esses são alguns critérios analisados na Competição Baja SAE Brasil, etapa regional Sudeste, que será realizada entre os dias 18 e 20 de agosto, na cidade de Piracicaba (SP). A equipe Genau Baja UFSCar, da Universidade Federal de São Carlos, está entre as participantes e correndo contra o tempo para alcançar um bom resultado.

O programa Baja SAE Brasil é um desafio lançado aos estudantes de Engenharia que oferece a chance de aplicar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, visando incrementar a preparação dos jovens para o mercado de trabalho. Ao participar do programa Baja SAE, o aluno se envolve com um caso real de desenvolvimento de um veículo off road, desde sua concepção, projeto detalhado, construção e testes.
Os estudantes que participam devem formar equipes para representar a instituição de Ensino Superior à qual estão ligados. A equipe de Baja da UFSCar teve início em 2010 como um projeto de extensão. Desde então, vem participando das competições, tanto no âmbito regional, quanto no nacional.

Atualmente, a equipe da UFSCar conta com 47 alunos e alunas dos cursos de Engenharia Física, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia de Materiais, Engenharia Química, Engenharia Mecânica, Química, Física e Linguística. "Participar da equipe é um ganho profissional. Vivenciamos problemas reais no desenvolvimento do veículo e encaramos de forma séria a busca por soluções", afirma Murilo Riscalla, estudante de Engenharia de Produção e Diretor Administrativo e Financeiro da equipe.

Para uma melhor organização das atividades, a equipe tem um capitão e três diretorias, a Administrativa/Financeira, a de Projetos e a de Manufatura. Todas as etapas devem ser feitas pelos alunos, orientados por um professor, o que inclui desde a concepção do carro, projeto, cronograma de execução, motor, até o baja pronto. O nome vem dos veículos Baja, que eram carros de corrida construídos por amantes de aventura off road e que corriam no deserto de Baja nos Estados Unidos.

"Uma organização como essa, em condições realistas tal qual uma empresa de engenharia, tem preocupações diversas em relação ao seu produto, sua gestão, seus recursos materiais, financeiros e humanos, além de conflitos humanos e técnicos que surgem naturalmente. E isso é muito enriquecedor aos estudantes", afirma Sergio Henrique Evangelista, docente do Departamento de Engenharia Mecânica (DEMec) e orientador da equipe.
A competição é feita em etapas: credenciamento; apresentação de projetos de freios, suspensão e direção, transmissão, eletrônica e estrutura; plano de negócios; provas de segurança estática, segurança dinâmica (conforto e freio), dinâmicas (aceleração, tração, manobra etc); e, finalmente, o enduro de resistência. A equipe que somar o maior número de pontos é a campeã da etapa regional.

Para Victor Victor Nishiguchi, aluno do curso de Engenharia Mecânica e capitão da equipe da UFSCar, a expectativa é boa em termos de colocação. "Estamos melhor preparados", garante ele. Luis Antonio Oliveira Araujo, professor do DEMec e que também apoia o projeto, define a equipe como experiente, empenhada e organizada. "Hoje, temos quase 50 membros, muitos novos e alguns velhos integrantes, com bastante experiência em competições e projeto, o que aumenta as chances de boas colocações", conclui Araujo.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo