NESTA QUARTA-FEIRA (23/09) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - RUA MIGUEL PETRONI (RODOVIA/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - RUA MIGUEL PETRONI (CENTRO/RODOVIA) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA BRUNO RUGGIERO FILHO (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

 

Os Rotary Clubs de São Carlos e o Distrito 4540 entregaram para o hospital 8.210 máscaras e 12.900 luvas descartáveis. A doação foi feita pelo Fundo de Desastre do Rotary International: “ajudar a Santa Casa é fundamental pelo atendimento que o hospital está dando e salvando a vida das pessoas neste momento sem precedentes. Além disso, pela coragem e dedicação que todos os funcionários, que têm que se expor diariamente para cumprir essa missão. Os Rotary Clubs e as Casas da Amizade de São Carlos reconhecem isso e estão se empenhando em várias ações para ajudar”, afirma o Governador-Assistente, Guilherme Parsekian.

A LATAM AIRLINES de São Carlos também contemplou a Santa Casa com 150 máscaras modelo “Face Shield”. Essas máscaras protegem de forma mais segura a face dos profissionais que realizam procedimentos em pacientes com suspeita de COVID-19. Segundo o Gerente Sênior do Centro de Manutenção da LATAM, Marcos Melchiori, não foi preciso fazer nenhuma adaptação nas máquinas para a fabricação das máscaras: “nós confeccionamos as máscaras nas oficinas que, normalmente, fabricam peças para o interior de aeronaves. A mão de obra, as ferramentas e os materiais foram redirecionados para esta finalidade. Usamos os recursos que já tínhamos, como o ABS (um tipo de plástico resistente), usado para fazer braços de poltronas, mesas de refeição e outros. Estamos felizes em poder contribuir com a Santa Casa de São Carlos. Essa doação reforça o nosso compromisso de ajudar os profissionais da saúde a salvar vidas".

A Advogada Regina Oioli, preocupada com a proteção dos profissionais, doou duas bobinas com 100 metros de elástico, que vão ser usadas na confecção de máscaras: “mesmo em momentos difíceis, sempre temos algo a oferecer, seja algo material ou uma palavra de acolhimento. Essa é a importância da doação, pois sempre tem alguém precisando de ajuda”.

As Universidades também se uniram para ajudar a Santa Casa. Uma parceria entre o campus da Unesp em Araraquara e a UFSCar resultou na doação de 40 galões de 5 litros de álcool em gel: “buscamos entidades na cidade que precisavam desse produto. Contamos com a ajuda do Instituto de Química da UNESP em Araraquara e nos unimos na ação. Tivemos também o apoio da 3M do Brasil que doou os insumos para a fabricação do álcool gel e do Tenente-Coronel da Polícia Militar, Paulo Belonci, junto à Guarda Municipal de São Carlos, que viabilizaram a logística necessária para a entrega dos produtos”, explica o Doutorando da UFSCar, Eduardo Backes.

A Vice-Diretora do Instituto de Química da Unesp em Araraquara, Dulce Helena Siqueira Silva, conta que essa doação teve a participação de mais de 30 voluntários do próprio Instituto de Química e de empresas doadoras de insumos e embalagens para a fabricação e enchimento do recipiente com o produto: “inicialmente, recebemos a doação de álcool hidratado de uma usina. Já tínhamos alguns insumos e buscamos parcerias para a doação ou empréstimos de equipamentos, embalagens e espessante para a produção do álcool em gel. Sem essas parcerias, não conseguiríamos dar essa contribuição para ajudar na contenção da disseminação da COVID-19”.

O hospital recebeu outras doações de EPIs. O Tonin Superatacado doou 125 litros de álcool gel para a higienização das mãos dos profissionais e pacientes. De acordo com o gerente da unidade de São Carlos, Leandro Luiz da Silva, o Tonin Superatacado tem uma preocupação com a comunidade: “é um trabalho de responsabilidade social que a rede Tonin faz em todas as cidades onde atua. Nos preocupamos com toda a população e com o hospital. Essa foi uma forma que o Tonin encontrou de ajudar a combater e minimizar essa pandemia. Somos gratos por fazer parte da história da cidade”, conclui o gerente.

SHOW VIRTUAL

O empresário Emerson Peronti organizou um show virtual, que aconteceu no dia 25 de abril e contou com a animação da Banda Vinil 78. Cerca de 1.700 pessoas assistiram à live. Durante a apresentação, foi possível arrecadar, através da vaquinha virtual, um total de R$ 2.865. Com esse valor, vai ser possível comprar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os profissionais que estão no trabalho de linha de frente.

“Como empresário da cidade, queria ajudar o hospital de alguma maneira. Pensamos em três critérios: ajudar o artista local, fazer a doação para uma Instituição de credibilidade e despertar um pouco de interesse nas pessoas sobre o trabalho da loja Peronti. A Santa Casa foi escolhida como parceira do show, por ser uma Instituição que inspira a confiabilidade que a gente queria levar para o evento, por ter uma tradição e por ser uma centralizadora de casos nesse momento de pandemia. O show virtual teve uma transmissão profissional e de qualidade e contou também com a doação do trabalho por parte da equipe técnica e também dos equipamentos.  Todos abraçaram essa causa”, conta Emerson. 

DOAÇÃO DE FLORES PARA CAPELA E ENTREGA DE KITS DOS VOLUNTÁRIOS DO GRUPO DA SAÚDE  

A Capela São José da Santa Casa ganhou um pouco mais de cor. A Capelinha, como é conhecida, é visitada por pacientes e familiares e leva conforto espiritual e esperança em momentos difíceis diante das enfermidades. Pensando nisso, a gerente da Floricultura Águas Claras, Carolina Moraes, resolveu doar quatro vasos de flores para a decoração: “nosso intuito é sempre levar um pouco de alegria e cor pra onde a gente puder. As pessoas que frequentam a Capela, normalmente estão passando por situações delicadas. As flores são apenas um pequeno gesto para amenizar esses momentos de angustia e levar um pouco de alívio aos corações”, afirma Carolina.

Outra ação para levar um pouco de conforto espiritual para os profissionais e pacientes que estão no hospital, foi do Grupo da Saúde da Igreja Universal de São Carlos. Uma equipe com 14 voluntários se mobilizou e levou 120 kits de café da manhã para os profissionais do noturno. Além disso, o grupo se organizou em frente à Santa Casa, para orar pelos colaboradores do hospital: “fizemos um trabalho de valorização aos profissionais da saúde que estão nessa batalha contra o Coronavírus. Como nesse momento não podemos fazer as visitas religiosas, oramos do lado de fora pelos pacientes e profissionais. Temos que contar sempre com o poder da fé.  Tentamos mostrar o quão importante é o trabalho desses profissionais que tanto se dedicam pra ajudar a população” explica o Pastor, Robson de Lima Santana.

RECONHECIMENTO AOS PROFISSIONAIS

Como forma de valorizar e homenagear os profissionais pelo Dia do Enfermeiro(a), o proprietário da UltraEco Lavagem Ecológica de Veículos, Claudinei Martins Silveira, presenteou 10 profissionais com os serviços de lavagem completa, descontaminação, resina protetora e higienização dos bancos: “conheço bem as necessidades dos hospitais. Vendo a situação mundial, sei o quanto esses profissionais são necessários. Essa foi a maneira que encontrei para homenageá-los”.

Mais um morador de São Carlos demonstrou um gesto de solidariedade. O bombeiro aposentado, Rodrigo Lopes, contou com parceria do Laboratório Nobrevie e da Farmácia Magistral, para doar 100 unidades de creme hidratante para as mãos. “Trabalhei por quase 27 anos no Corpo de Bombeiros da cidade. Tenho uma relação muito próxima com o SMU e com a Santa Casa e sei o quanto é difícil trabalhar num hospital. Por isso, conheço de perto o trabalho desses profissionais. O fato deles estarem usando o álcool em gel em excesso, fazem com que as mãos fiquem ressecadas. Pensei em levar um cuidado maior pra eles com o apoio do Laboratório e da Farmácia. É importante que eles saibam que a população está torcendo por cada um eles e que logo tudo isso vai passar”, ressalta Rodrigo.

DOAÇÕES DE ALIMENTOS

E por mais uma semana, o Mesa Brasil do Sesc São Carlos ajudou a enriquecer a alimentação dos colaboradores e pacientes do hospital. O projeto, que visa recolher alimentos fora dos padrões de comercialização e destinar para as entidades, doou diversos tipos de legumes, frutas, verduras, mistura para bolo e 25 quilos de farinha de trigo. Além disso, foram doados vários tipos de salgados como empada, esfiha e kibe, que foram usados para complementar o chá da tarde dos pacientes. 

 



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo