NESTA SEGUNDA-FEIRA (26/08) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - Rua José Bonifácio x Rua 1º de Maio (CENTRO/bairro) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 - Avenida Morumbi (CENTRO/bairro) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 3 - Avenida Getúlio Vargas (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

 

O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde e do Departamento de Imunizações e Doenças Transmissíveis (DEIDT), encaminhou as regionais de saúde dos estados, que por sua vez repassou aos municípios, a Nota Informativa Nº 9/2019 que dispõe sobre a situação atual de distribuição de imunobiológicos.

Segundo o documento o Ministério da Saúde não está realizando a distribuição total e somente parcial de algumas vacinas e soros. Foi reduzido o repasse de vacinas como BCG, Meningocócico C conjugada e DTP, bem como, de soros antivenenos, antitetânico e antirrábico humano. O Governo Federal também informa sobre imunológicos em substituição, caso da vacina Tetra Viral e em desabastecimento, o que ocorre com a vacina Pentavalente.

O DEID informa que da Vacina BCG somente foi distribuído quantitativo correspondente a 41% da cota mensal estadual; da Meningocócica C conjugada foi distribuído 70% da cota mensal; da Vacina Difteria, Tétano e Pertussis (DTP) 84% da cota. As justificativas para a redução das cotas, no caso das vacinas, são as seguintes: que as doses em estoque ainda passam por análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e que algumas vacinas chegaram ao país com excursão de temperatura e aguardam parecer da Organização Panamericana de Saúde para liberação do produto.

Quanto aos soros o DEID afirma que foram distribuídos conforme análise criteriosa realizada pela Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis (CGDT), considerando a situação epidemiológica dos acidentes por animais peçonhentos, ressaltando que a situação atual de fornecimento dos soros antivenenos e soro antirrábico humano permanece delicada e também de forma parcial.

Segundo o Ministério o problema ocorre em virtude das reprogramações apresentadas pelos laboratórios produtores para cumprir as normas definidas por meio das Boas Práticas de Fabricação (BPF), exigidas pela Anvisa, além das pendências contratuais de alguns laboratórios produtores, referentes aos anos anteriores, o que impacta diretamente na distribuição dos imunobiológicos às Unidades Federadas. 

SÃO CARLOS – De acordo com a Vigilância Epidemiológica de São Carlos o município recebeu nesta quarta-feira (17/7), somente 500 doses da BCG, vacina que previne a tuberculose, aplicada em recém-nascidos, imunológico que já estava zerado no estoque. A Vacina Pentavalente continua em falta e sem previsão de repasse pela Diretoria Regional de Saúde. A Pentavalente protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite, imunização aplicada aos 2 meses, 4 meses e 6 meses de vida dos bebês. Nenhum tipo de soro está em falta, no momento, na cidade.

De acordo com a supervisora da Vigilância Epidemiológica de São Carlos as doses que chegaram da BCG já estão sendo encaminhadas para a Maternidade Dona Francisca Cintra Silva já que vacina deve ser aplicada em recém-nascidos. “As crianças que nasceram e não receberam vacina, nós estamos entrando em contato com os pais para que levem os bebês até a sede da Vigilância para que receber a imunização. Quem nasceu aqui, mas é de outro município deve procurar a Vigilância da cidade onde reside”, explica Kátia Spiller.

A Secretaria Estadual da Saúde afirmou que, "até que haja regularização pelo Ministério, o Estado está buscando o remanejamento entre regiões”.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo