NESTA QUINTA-FEIRA (18/7) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 – AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - AVENIDA GETÚLIO VARGAS (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - AVENIDA MORUMBI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

A 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza para os grupos prioritários se encerrou no dia 31 de maio, em todo país. A partir dessa data o Ministério da Saúde liberou a vacina para o público em geral.

Em São Carlos durante a campanha foram aplicadas 52.135 doses da vacina, o que correspondeu auma cobertura vacinal de 65,16% do público alvo, porém a meta era imunizar 90% de uma população de 58 mil pessoas.

“Após a liberação da vacina para o público em geral, o que ocorreu no dia 3 junho, foram aplicadas mais 18 mil doses em São Carlos. Apesar de continuar até sexta-feira, dia 14 de junho, somente temos em estoque 2 mil doses, portanto solicitamos para quem é do grupo prioritário e não se vacinou, mesmo não tendo mais exclusividade, para que procure o mais rápido possível uma unidade de saúde para se imunizar”, solicita Kátia Spiller, supervisora da Vigilância Epidemiológica de São Carlos.

A supervisora da Vigilância ressalta, ainda, que terminando as doses destinadas para o município, termina a vacinação.

Febre Amarela - 

Para aumentar a cobertura vacinal em todo o Estado, a Secretaria de Estado da Saúde começou nesta segunda-feira (10/6), uma campanha de vacinação contra a febre amarela. Em São Carlos, a vacina está disponível em todas as unidades de saúde para as pessoas que ainda não tomaram nenhuma dose.

Desde 2008, São Carlos é área com recomendação permanente da vacina contra a febre amarela. Todas as pessoas que moram no município devem receber uma dose da vacina durante a vida.

Atualmente, a recomendação da vacina contra a febre amarela vale em todo o estado de São Paulo, devido à circulação do vírus silvestre. A diretora de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde, Helena Sato, destaca a importância da vacina. “A imunização é a principal forma de proteger a população contra a febre amarela. Por isso, é imprescindível que todas as pessoas ainda não imunizadas aproveitem essa campanha e tomem a vacina”, disse.

Devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV, pacientes com tratamento quimioterápico concluído e transplantados. Não há indicação de imunização para grávidas, mulheres amamentando, crianças com até seis meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticóides em doses elevadas (como por exemplo, Lúpus e Artrite Reumatoide). Em caso de dúvida, é fundamental consultar o médico.

Na cidade, não há nenhum caso da doença registrado em 2019. Desde 1942, não há casos de febre amarela urbana no Brasil.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo