NESTA SEGUNDA-FEIRA (17/08) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - AVENIDA DR. HEITOR JOSÉ REALLI (BAIRRO/RODOVIA) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - RUA RUI BARBOSA (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 40 KM/H.

A Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) e a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP) vão disputar as finais do 1° Prêmio de Tecnologias em Geossintéticos, organizado pelo CTG – Comitê Técnico de Geossintéticos da ABINT (Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e Tecidos Técnicos). Ambas concorrem com 16 projetos de outras 10 instituições de ensino superior. No total são 13 na categoria “Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)” e cinco na “Iniciação Científica (IC)”. A previsão é que os vencedores sejam anunciados no dia 17 de junho.

A Ufscar concorre na categoria IC com o trabalho intitulado “Resistência ao cisalhamento de interface em sistemas de barreiras impermeáveis com geomembranas reforçadas”. A EESC-USP, por sua vez, concorre na categoria TCC com o projeto “Análise de métodos de dimensionamento de muro de solo reforçado com geogrelha e estimativa de custo”.

Participam do Prêmio alunos de graduação, pós-graduação e coordenadores de cursos de engenharia. O propósito da premiação é contemplar trabalhos que apresentem pesquisa ou estudos de casos que tragam desenvolvimento tecnológico para aplicação desses produtos. As instituições finalistas estão localizadas em nove Estados do país.

Segundo o coordenador do CTG, Fabricio Zambotto, esse tipo de iniciativa contribui para a promoção dos benefícios dos geossintéticos em aplicações diversas na engenharia e de alto valor agregado. “A realização de ações como essa evidenciam as vantagens competitivas do uso de geossintéticos a partir da aplicação adequada e revela o quão importante essa indústria é para o desenvolvimento econômico do país, além de incentivar alunos e trazer novos profissionais ao mercado”, afirma Zambotto.

O segmento de geossintéticos de modo geral tem um papel importante em obras de engenharia, trazendo desempenho, segurança de produtos controlados por meio de tecnologia industrial, além de serem soluções que possibilitam a redução na utilização de recursos naturais, função fundamental na engenharia moderna.

 

1º PRÊMIO CTG

 

Classificados

 

 

 

Categoria IC

Aluno

Instituição

José Wilson Batista da Silva

Universidade Federal de São Carlos

Leonardo Sanches Previti

Instituto Mauá de Tecnologia

Luiza Kifer Nascimento

Univer. Est. do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF

Mariana Barbosa Juarez

Instituto Mauá de Tecnologia

Wesley Silva de Oliveira

Universidade Federal de Minas Gerais

 

 

Categoria TCC

Nome

Instituição

Caio Sales Campos

Universidade Federal de Goiás

Cynthia Darrigo Vidal

Universidade do Vale do Paraí­ba

Fabricio Souza Innocente

Universidade Catolica de Santos

Henrique Fiorentino

Instituto Mauá de Tecnologia

Karolina de Souza Araujo

Instituto Mauá de Tecnologia

Larissa Ferandes sasso

UNIJUÍ – Univ. Reg. do Noroeste do Est. do R.G. do Sul

Luis Paulo Andrioli Vieira de Oliveira

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Marcus Vinicius Melo de Lyra

UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mariana Barbosa Juarez

Instituto Mauá de Tecnologia

Rodrigo Vasconcelos Medea

Instituto Mauá de Tecnologia

Samira Tessarolli de Souza

EESC - USP - Escola de Engenharia de São Carlos

Vitória Sousa Ciraulo de Oliveira Lima

Centro Universitário de João Pessoa

Wesley Silva de Oliveira

Universidade Federal de Minas Gerais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo