NESTA SEXTA-FEIRA (15/02/19) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS:

RADAR 1 – AVENIDA Dr. Heitor José Realli (RODOVIA/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 – AVENIDA Dr. Heitor José Realli (BAIRRO/RODOVIA) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 AVENIDA Comendador Alfredo Maffei - (CENTRO/BAIRRO) - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

A chefe da Seção de Apoio à Vigilância em Saúde e Informação da Secretaria Municipal de Saúde, Denise Scatolini, em reunião realizada na manhã desta terça-feira, dia 5 de fevereiro, do Comitê de Combate a Dengue, revelou que mais um caso de Dengue foi confirmado, passando para 20 casos, sendo 10 autóctones e 10 importados. Já de Chikungunya são 10 notificações, porém nenhum caso foi positivado.

“O que nos preocupa nesse momento é que novos casos estão aparecendo em diferentes regiões da cidade. Além da Vila Prado, já temos casos autóctones, que são os contraídos aqui na cidade mesmo, confirmados nos bairros Jockey Clube, Monte Carlo, Eduardo Abdelnur, Jardim São Carlos, Antenor Garcia e Cidade Aracy II. As notificações subiram de 164 para 216, portanto poderemos ter mais casos confirmados em breve”, explicou Denise Scatolini.

Esse período do ano é propício para à proliferação do mosquito Aedes aegypti. Altas temperaturas, chuvas intensas e alta umidade são os ambientes preferidos do mosquito, por isso a Vigilância Epidemiológica pede a colaboração da população para que elimine criadouros. “Primeiro os moradores devem receber o agente de endemias que faz a vistoria e quando necessário faz também bloqueio-controle de criadouros. Quando o caso é confirmado faz o bloqueio de nebulização, bem como a pesquisa larvária em imóveis especiais e pontos estratégicos. Além de todas essas ações é necessário que a população faça sua própria vistoria pelo menos duas vezes por semana nessa época que a incidência da doença é maior. A eliminação dos criadouros ainda é a principal medida preventiva de combater o mosquito transmissor”, ressalta a chefe da Seção de Apoio à Vigilância em Saúde e Informação.

Denise acredita que o sorotipo 2 da Dengue já esteja circulando na cidade, o que deixa São Carlos em estado de alerta.  Desde 2015, apenas o sorotipo 1 trafegava nos municípios paulistas. Pessoas infectadas por subtipos diferentes podem ter uma evolução para formas mais grave da doença. “O risco está relacionado, na verdade, à superposição de vírus. Estava circulando o tipo 1 até agora, e quando aparece um novo sorotipo do vírus, pode ter uma evolução mais grave entre quem já teve dengue”, explicou.

A circulação do sorotipo 2 da  Dengue já foi confirmada pelo Governo do Estado em 19 cidades paulistas, entre elas Araraquara, Andradina, Barretos, Bauru, Bebedouro, Catanduva, Espírito Santo do Pinhal, Indiaporã, Ipiguá, Itajobi, Mirassol, Pereira Barreto, Piracicaba, Pirangi, Ribeirão Preto, Santo Antônio de Posse, São José do Rio Preto, Uchoa e Vista Alegre do Alto.

 A Vigilância Epidemiológica também já está organizando mutirões que devem ser realizados nas demais regiões de risco, ou seja, em locais onde foram confirmados os casos autóctones. No último sábado (2) as ações foram realizadas na Vila Prado.

Os moradores que tiverem alguma dúvida sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti podem entrar em contato com Vigilância Epidemiológica pelo telefone (16) 3307-7405.

Também participaram da reunião os secretários de Saúde, Marcos Pelermo, de Governo, Edson Fermiano e representantes das demais pastas.

 



Comentário(s) 

0
DINAEL | 03 Março 2018
A COMISSÃO QUE APRECIARÁ ESTE PROJETO DEVERÁ ACRESCENTAR QUE EM CHÁCARAS, DEVERÁ CONTAR COM FOSSAS SÉPTICAS, ALÉM DE ALVARÁ DOS BOMBEIROS, INSTALAÇÃO DE EXTINTORES, RESPEITO A LEI DO SILÊNCIO DO MUNCÍPIO,