NESTA SEGUNDA-FEIRA (17/12/18) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS: 

RADAR 1 – RUA MIGUEL PETRONI, 338  - CENTRO/BAIRRO - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 – AVENIDA JOÃO DE GUZZI X RUA MARCOS VINÍCIUS DE M. MORAES  - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 – AVENIDA TRABALHADOR SÃOCARLENSE, OPOSTO 1130, RODOVIÁRIA/USP - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 M/H.

 

Aconteceu na última segunda-feira (03) na 2º Vara do Trabalho de São Carlos a audiência relativa ao processo ajuizado pelo Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos Municipais de São Carlos (SINDSPAM), contra a Prefeitura Municipal e a empresa Ecopag que administrava os cartões tíquete alimentação dos servidores públicos.

A audiência foi presidida pelo Juiz Luís Augusto Fortuna e contou com a participação dos representantes do sindicato e da Prefeitura. A empresa Ecopag, apesar de notificada não enviou nenhum representante e nem apresentou qualquer tipo de defesa. Esta ação foi proposta pelo sindicado para liberar o mais rápido possível o dinheiro do servidor que ficou retido nos cartões da antiga operadora do serviço.

O Departamento Jurídico do SINDSPAM pediu na ação, Tutela de Urgência, mas o pedido foi indeferido. A Prefeitura Municipal apresentou sua defesa a agora aguarda manifestação do sindicado que deverá ocorrer em até 10 dias.

Devido à ausência da Ecopag, os advogados do SINDSPAM, pediram a condenação da empresa à revelia o Juiz por sua vez só irá analisar o pedido por ocasião da prolação da sentença. Após, os autos deverão retornar a conclusão para análise sobre a necessidade de realização de prova pericial contábil ou uma sentença definitiva.

 

 



Comentário(s) 

0
cesar | 06 Dezembro 2018
Vai terminar essa gestão e a Suzantur vai ficar até o fim, o Boné e horrível e cercado de secretários ruins. O povo ruim de serviço, o Dr dos Bondes Coca, não consegue fazer a licitação do Transporte público, mas arrecadar é campeão (GM, Agente, radares, área azul, multas e mais multas).
+5
Nina | 22 Janeiro 2018
Mais um capitulo da grande novela que se arrasta a décadas. A falta de respeito para com os cidadães de São Carlos é uma afronta a ética, a moral, a civilidade.
+1
usuária d sistema ZS | 20 Janeiro 2018
Creio que a colocação da concessionária não foi bem essa. Ela quer receber o subsídio, que aliás é de direito, mesmo não gostando do péssimo serviço de transporte urbano em São Carlos temos que admitir que é justamente o subsídio que torna o serviço viável. Quem plantou essa frase "Suzantur pede R$ 2,5 milhões para ficar mais 90 dias em São Carlos" foi a própria prefeitura e não a empresa.