OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO EM OPERAÇÃO NESTA SEXTA-FEIRA (17/5) NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - Rua Lourenço Innocentini (centro/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H;

RADAR 2 - Rua Ray Wesley Herrick (centro/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H;

RADAR 3 - Rua Dr. Marino da Costa Terra (centro/bairro) - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 kM/H.

 

O vereador Rodson Magno do Carmo (PSDB) anunciou a realização, no próximo dia 21, quarta-feira, às 20h30, no Clube Ítalo Brasileiro, o lançamento de um Projeto do Movimento de Faculdade, nos moldes implementados na capital paulista e em diversas cidades do interior, cujo objetivo é ajudar pessoas que não podem arcar com valores integrais em faculdades privadas.

A Associação Educar para a Vida foi fundada no ano de 2003 por Cleuza Ramos, presidente da Associação dos Trabalhadores Sem Terra de São Paulo e pelo deputado estadual Marcos Zerbini.

“Da mesma forma que está sendo negociado com um proprietário de terra, estamos negociando com reitores de faculdades”, disse Rodson.

Os estudantes que concluírem o ensino médio em escolas públicas, não consideram o ingresso em universidades particulares devido ao valor elevado. A opção seria as universidades públicas. Contudo, jovem que conclui o ensino médio tem 0,7% de chance de frequentar uma universidade estadual ou federal. 

Segundo o vereador Rodson, trazer para São Carlos essa iniciativa que vem obtendo êxito em outras localidades, estará mudando a realidade com a realização de um sonho para muitos jovens.

“É importante que as pessoas interessadas procurem comparecer no Clube Ítalo Brasileiro, localizado rua General Osório, 1094 – Centro, neste dia 21, às 20h30 quando serão prestadas todas as informações necessárias para concretizar esta conquista”, finalizou o parlamentar.

 


Comentário(s) 

0
leitor assíduo | 13 Novembro 2018
A iniciativa é interessante, mas não pode transformar-se em movimento inócuo como parece estar sendo aquele que se propõe a possibilitar a compra de lotes a preços acessíveis por família de baixa renda. Até hoje, nenhuma área de terra foi comprada e os participantes da reuniões começam a ficar inquietos. Quando, efetivamente, a gleba será adquirida, loteada e repassada a preço de custo para as famílias necessitadas? Espera-se que não se trate, apenas, de jogada política para alavancar a candidatura do esperto vereador.