O Diário Oficial do Município desta sexta-feira (27/03) publica a Portaria Nº 09/2020, assinada pelo secretário municipal de Transporte e Trânsito, Antônio Clóvis Pinto Ferraz (Coca Ferraz), autoridade de trânsito do município de São Carlos, suspendendo no período de 27 de março a 30 de abril de 2020 a fiscalização por meio dos três radares móveis.

 
 
Com sessões aos sábados, às 20 horas, o Cineclube do Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) da USP em São Carlos promoverá no mês de fevereiro a seguinte programação:

Dia 5
A MENINA SANTA
La Niña Santa, Argentina/Espanha/Itália, 2004, Drama, 104 minutos
Direção: Lucrecia Martel
Elenco: Mercedes Morán, Carlos Belloso, Alejandro Urdapilleta, María Alche, Julieta Zylberberg.

Amália e Josefina são duas adolescentes católicas que se encontram diante da tênue linha entre religiosidade e profanação. Ambas cantam no coro da igreja e discutem a Bíblia, ao passo que fantasiam com a sexualidade da professora de catecismo, além de elas mesmas terem seus desejos juntamente com suas crenças. Amália procura por um sinal sagrado que determinará a sua vocação, no entanto essa busca a colocará dentro desse sistema paradoxal.

Helena, a mãe de Amália é gerente de um hotel no qual acontece um congresso de medicina que Dr. Jano participa. O médico e a mãe da moça acabam se aproximando. No entanto, este tenta molestar a menina e ela interpreta isso como o sinal que procurava: libertar esse homem do pecado. A tensão é evidente nas atitudes do médico que se esquiva de qualquer proximidade com a garota, visto que ele não quer manchar sua reputação de pai de família. Contudo, a menina santa quer mostrar que a atitude pecaminosa de Jano tem redenção.

Sutileza para abordar questões morais é um excelente predicado a ser dado para Lucrecia Martel nesse inquietante longa-metragem. A diretora utiliza a câmera muito bem, talvez seja essa a melhor qualidade de Martel: ela suprime parte do personagem, isto é, não há o enquadramento dos atores por inteiro, mostrando que os personagens nunca se apresentam por inteiro como são, somente se vê parte deles: a parte que eles querem mostrar.

Algumas vezes utiliza planos fixos em alguma parte do corpo humano, em particular as orelhas, uma metáfora conveniente, pois todas as relações discutidas no filme parecem sempre rodeadas por segredos.
O filme conta com a produção executiva de Pedro e Agustín Almodóvar.
Fabrício Borges Moreira
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Tema: Cumplicidade entre amigas
Contém: Nudez, relação íntima

Dia 12
12 HOMENS E UMA SENTENÇA
12 Angry Men, Estados Unidos, 1957, Suspense, 96 minutos
Direção: Sidney Lumet
Elenco: Henry Fonda, Lee J. Cobb, Ed Binns, Joseph Sweeney, Martin Balsam
A primeira tomada mostra um fórum de justiça que rapidamente leva à sala do Tribunal, onde o juiz diz que os doze jurados irão se reunir em uma sala isolada para decidir o futuro de um jovem acusado de matar o pai a facadas e que a decisão deveria ser unânime entre os doze, ou seja, todos deveriam declará-lo culpado ou inocente caso houvesse dúvidas de sua culpa.

O júri dirige-se para a sala. O filme foi praticamente rodado na sala, com exceção da primeira tomada que mostra o fórum e da última cena.
Dos doze homens, onze estão certos da culpa do rapaz, no entanto o jurado número oito não tem tanta certeza assim se o crime realmente foi cometido pelo jovem.

Sidney Lumet mostra um ambiente claustrofóbico nessa pequena sala onde os doze estão trancados até tomarem a decisão. Este clima vai aumentando durante o desenrolar do enredo, pois pequenos detalhes inseridos pelo diretor – como panos para secar o suor, o ventilador que não funciona e a chuva que faz as janelas serem fechadas- trazem essa sensação.

Enfim, os enquadramentos utilizados, a sala escolhida, o clima quente têm a função de transmitir a sensação agoniante e de peso na consciência que o elenco do júri enfrenta.

A obra é uma excelente exposição do comportamento humano em grupo, uma vez que faz análise intrínseca de cada um e o modo como a partir dessas características há a interação com a sociedade. Uma aula de narrativa, visto que os diálogos são redigidos de forma coesa e trazidos com uma argumentação lógica impressionante: questionar provas, que a princípio pareciam irrefutáveis, no entanto detalhes são suprimidos e esquecidos pela promotoria e pela defesa.

É um longa-metragem que dirige diretamente à razão e mostra que as escolhas e opiniões devem ser repensadas sempre!
Fabrício Borges Moreira
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Tema: Justiça

Dia 19
DO OUTRO LADO
Auf der anderen Seite, Turquia/Alemanha/Itália, 2007, Drama, 122 minutos
Direção: Fatih Akin
Elenco: Nurgül Yesilçay, Baki Davrak, Tuncel Kurtiz, Hanna Schygulla, Patrycia Ziolkowska

Ali, um velho solitário, conhece Yeter uma prostituta. Por gostar de mulheres da mesma nacionalidade dele, resolve contratá-la para serviços exclusivos e a convida para morar em sua casa. Nejat, quando conhece a nova namorada do pai, não gosta muito da madrasta. Quando Ali mata, acidentalmente, Yeter, Nejat se afasta dele e decide procurar Ayten, filha de Yeter, que vive na Turquia para ajudá-la.

Ayten é de um grupo de revolucionários esquerdistas que está descontente com a política de seu país. Quando uma empreitada do grupo dá errado e alguns amigos de Ayten são presos, ela decide fugir para a Alemanha e procurar a mãe. A moça acha que a mãe trabalha em uma loja de sapatos e daí vem o dinheiro que recebe dela. Ela procura então em todas as lojas de sapatos da cidade e não descobre o paradeiro de sua mãe; a jovem conhece Lotte, por quem acaba se apaixonando.

Elas decidem viver juntas até que a moça turca é presa e extraditada. Lotte vai para a Turquia com o intuito de ajudar à namorada.
Nejat que já está instalado em Istambul tem uma livraria para alemães. No local, acaba conhecendo Lotte e esta conta que está lá para ajudar uma amiga presa, no entanto Nejat não sabe que se trata de Ayten. Lotte vai morar na casa de Nejat enquanto essa não consegue seu objetivo.

A fotografia de Rainer Klausmann é dura e pouco trabalhada, porém não há grande comprometimento no trabalho final.

O filme de Fatih Akin aborda questões contemporâneas graves: imigração e cidadania. Tem-se hoje um discurso liberal de livre circulação de capital, mercadorias e cultura, entretanto até que ponto esse liberalismo aborda a livre circulação da força de trabalho? O longa-metragem mostra a quantidade de imigrantes de diversas etnias que habitam a Alemanha, mas que não têm os mesmos direitos civis.

A questão de inclusão de imigrantes não é só da União Europeia, como mostra a obra, nas ruas de Istambul existem muitas crianças curdas viciadas em drogas que assassinam uma das personagens.
Para finalizar, as cenas dos caixões de Yeter e Lotte nos aeroportos da Alemanha e Turquia, respectivamente, mostram que não há diferenças finais entre turcos e alemães, todavia há fronteiras abstratas que os separam entre um lado e o outro lado.
Fabrício Borges Moreira
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Tema: Militância
Contém: Agressão física, assassinato, insinuação sexual, prostituição

Sábado, dia 26
SEXO, MENTIRAS E VIDEOTAPE
sex, lies and videotape, Estados Unidos, 1989, Comédia, 100 minutos
Direção: Steven Soderbergh
Elenco: James Spader, Andie MacDowell, Peter Gallagher, Laura San Giacomo, Ron Vawter

John Mellaney e Ann Bishop Mellaney vivem um casamento sem vida sexual ativa. John tem um bom e invejável emprego e Ann é uma dona de casa dedicada. Porém mudanças acontecem quando o casal recebe a visita do amigo de John, Graham.

Ann consulta e desabafa seus sentimentos com um psicanalista, contudo suas maiores preocupações não estão diretamente ligadas a sua satisfação, mas sim com problemas gerais como as famílias das vítimas de acidentes aéreos, lixo etc. John se relaciona secretamente com a irmã da esposa, Cynthia Bishop, uma jovem ninfomaníaca. Quando Graham chega na casa do casal, percebe que sua amizade com John já não é a mesma.
Graham teve problemas com um relacionamento antigo e se tornou impotente, então resolveu gravar em fitas de vídeo mulheres dando depoimentos sexuais.

O filme se mostra interessante por essa abordagem libertária do sexo e dos relacionamentos amorosos de diversas formas.

Há também a discussão do que seria a vida feliz para um casal classe média: fica claro que as pessoas ditas “normais” vivendo vidas “convencionais” estão encenando uma peça de teatro nesse grande palco, tentando se mostrar equilibradas e preparadas para viver na louca atualidade, entretanto, estão usando máscaras para passar essa impressão.

Fabrício Borges Moreira
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Tema: Sexo
Contém: Conflitos psicológicos, desvirtuamento de valores, insinuações de sexo

Apoio Cultural VIDEO 21

O CDCC fica na Rua Nove de Julho, 1227, Centro.


Mais informações:
Tel.: (16) 3373-9772
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.




Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo