NESTA TERÇA-FEIRA (29/09) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - RUA MIGUEL PETRONI (RODOVIA/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - RUA JOAQUIM RODRIGUES BRAVO (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

 

 

O novo coronavírus já está em 70,5% das cidades do estado de São Paulo e provocou 4.501 mortes até o momento, conforme balanço desta sexta-feira (15). Em decorrência da expansão da doença no território, hoje, mais de 40% dos casos e óbitos por COVID-19 referem-se a pessoas que residiam no interior, litoral e Grande São Paulo.

Essas regiões totalizam, nesta sexta (15), 1.827 mortes e 24.386 pessoas infectadas, entre um total de 58.378 casos confirmados em todo o estado. Houve um ou mais infectados em 455 municípios, dos 645 que integram o estado, e 209 deles têm registro de pelo menos uma vítima fatal da doença.

Nesta sexta, há 10,1 mil pacientes internados em São Paulo, sendo 3.904 em UTI e 6.205 em enfermaria. A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento a COVID-19 é de 68,8% no estado de São Paulo e 84,4% na Grande São Paulo. “Nós já totalizamos 70 mil testes que foram liberados em relação à COVID-19”, afirmou o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann, durante coletiva de imprensa desta sexta (15).

“Desde o dia 9 de abril, nós fizemos 55 mil testes de PCR. Pacientes leves e com sintomas gripais, a partir da semana que vem, serão incluídos na testagem RT-PCR”, destacou o Coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo e diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas, também durante a entrevista coletiva.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais, estão 2.673 homens e 1.828 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73% das mortes. Observando faixas etárias subdividas a cada dez anos, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (1.089 do total), seguida por 60-69 anos (1.029) e 80-89 (873).

Também faleceram 293 pessoas com mais de 90 anos. Fora desse grupo de idosos, há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (643 do total), seguida pelas faixas de 40 a 49 (330), 30 a 39 (188), 20 a 29 (39) e 10 a 19 (12), e cinco com menos de dez anos.

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58,7% dos óbitos), diabetes mellitus (43,7%), doença neurológica (11,4%), doença renal (10,8%) e pneumopatia (9,7%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática.

Esses fatores de risco foram identificados em risco: 3.636 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,8%) do total. A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada em: https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo