NESTA SEXTA-FEIRA (28/02/2020) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - AVENIDA HENRIQUE GREGORI (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - AVENIDA HENRIQUE GREGORI (SHOPPING/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - AVENIDA BRUNO RUGGIERO FILHO (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

 

 

.

O ministro Luiz Fux recebeu em audiência, nesta segunda-feira (20/1), o procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, diversos outros integrantes do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais (CNPG) e dirigentes da Conamp para tratar da ação direta de inconstitucionalidade ajuizada junto ao Supremo Tribunal Federal sobre o pacote anticrime. 

Na ação, questionam-se dispositivos e expressões mais afetos à atividade do Ministério Público, como os artigos 3º-A, 3º-B (incisos IV, VIII, IX, X e XI, alíneas ‘d’ e ‘e’), parágrafo único do artigo 3º-D, o art. 28 e o artigo 28-A, incisos III e IV, e parágrafos 5º, 7º e 8º e o parágrafo 4º do art. 310, todos do Código de Processo Penal. 

Smanio e os demais participantes da audiência apresentaram a Fux os fundamentos da inicial e a necessidade da suspensão da eficácia dos dispositivos citados.

Em relação ao artigo 28, os representantes do Ministério Público apresentaram ao ministro do Supremo apoio à adoção do princípio acusatório, mas eles ressaltaram a importância de dilatar-se o prazo para a implementação da estrutura necessária ao acolhimento da medida. Caso Fux decida não conceder o prazo mais extenso, o grupo de trabalho instalado no MPSP por iniciativa da Procuradoria-Geral de Justiça e da Corregedoria-Geral da instituição concluiu que os arquivamentos devem ser encaminhados ao PGJ para homologação. Smanio editará um ato normativo nesse sentido.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo