NESTA SEXTA-FEIRA (6/12) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 – AVENIDA FRANCISCO PEREIRA LOPES (USP/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 – AVENIDA HENRIQUE GREGORI (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

A partir desta terça-feira (9), o Plenário da Câmara dos Deputados começa a discutir a proposta de reforma da Previdência (PEC 6/19). O texto, que foi aprovado na comissão especial na última semana, amplia o tempo para se aposentar, sobe as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS e estabelece regras de transição para os trabalhadores.

Para serem aprovados, o texto e os chamados destaques, trechos que podem ser alterados pelos deputados em Plenário, precisam do voto favorável de, ao menos, 308 deputados em dois turnos de votação.

Em relação à proposta original do governo, o parecer do relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), deixou de fora mudanças na aposentadoria de pequenos produtores e trabalhadores rurais, no pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), além de excluir o sistema de capitalização (poupança individual) e estados e municípios, que até então precisarão aprovar leis próprias.

O tema, no entanto, é alvo de impasse entre governadores e parlamentares. A maioria dos estados já manifestou interesse da inclusão na PEC que altera as regras de aposentadoria, principalmente por conta da grave crise fiscal.

Segundo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a possibilidade de inclusão de estados e municípios na reforma pode atrapalhar a votação do texto em Plenário. Maia afirmou que essa mudança pode tirar cerca de 60 votos da reforma e que “alguns governadores compreenderam que é mais fácil assumir esse enfrentamento nas suas assembleias do que votar a favor de uma reforma encaminhada pelo governo Bolsonaro”.

Rodrigo Maia se reuniu com líderes no último fim de semana para organizar o procedimento de votação e a contagem dos votos, mas não deu detalhes sobre quantos parlamentares já estariam dispostos a votar em favor da PEC.



Comentário(s) 

+13
Seu Maddruga | 20 Julho 2018
Tópico Braçadas...
Chega né! Quantas viaturas do Samu o Parrela dá manutenção? Quantos leitos de UTI adulto e neo natal tem Ibaté?
Quantas Upas são [...]istradas por esse super prefeito? As crianças da educação especial (surdas) continuam estudando em São Carlos? Médicos quantos Cardiologistas tem lá? Ou vai no manda tudo para São Carlos e Araraquara que tá certo.
Com o ICMS gerado somente pela Usina da Serra é Possível fazer muito mais que isso.
Obs: tentei ver no Portal da Transparência do município e parece que ele não funciona muito bem.
+7
Eleitor | 20 Julho 2018
Ia falar dos problemas da santa Casa( o leitor assíduo já disse quase tudo) 2 , 3 dias ninguém fala mais nada.
Quanto ao ex prefeito, sem comentários.
+11
leitor assíduo | 20 Julho 2018
Marcos Palermo não é da área, mas poderá ser um bom secretário de saúde. Quanto às irregularidades nas cirurgias em parceria com a santa casa, deveria confirmá-las antes de procurar a mídia. Parece encenação para ganhar popularidade. Se confirmadas, poderá sofrer retaliações dos responsáveis. Lembram-se de quem foi o responsável pela expulsão da Dra. Denise de São Carlos? O vereadorzinho de carreira que promete denunciar ilegalidades, mas se cala por conveniência. Poderá exigir a cabeça de Marcos Palermo. Quanto ao altomaníaco, bem esse já é caso de saúde pública. Sua permanência na política continuará a fazer muito mal para São Carlos.
+10
Aécim Pódemais | 20 Julho 2018
Talvez Altomani tenha perdido as eleições por mentir demais e se apropriar de obras que não fez , todo mundo sabe que Planalto Verde , Zavaglia , e Abdelnur foram conquistas dos Petistas e não dos tucanos , nem as obras deixadas pelo Barba esse infeliz não consegui terminar , e olha que tinha obras com 80% pronta , sumiu com a grana das transposições da linha férrea como o projeto da Praça Itália e os viadutos da Morumbi e da estação , projetos inclusive aprovados pelo DNIT , será que não foi por esses motivos que o povo lhe deu a resposta, mas o povo tirou um ruim e colocou um pior. Quanto a saúde sindicância na Santa Casa JÁ.
+6
Cesar | 20 Julho 2018
Esquema milionário de desvio na saúde, aqui em Sanca tem Min Público ainda? Maestro maluco, se foram feitas cirurgias, não foram com seu dinheiro, se fez foi obrigação, você não ganha nunca mais nada. Detecta excelente, porém a intenção é utilizar em aumento da "fabrica de multas" como em outras cidades, nada funciona nesta gestão, mas a fabrica de multa não para de aumentar a arrecadação.