NESTA SEGUNDA-FEIRA (28/09) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - AVENIDA TRABALHADOR SÃO-CARLENSE (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA DR. HEITOR JOSÉ REALLI (BAIRRO/RODOVIA) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

 

 

A arrecadação registrada no Brasil em fevereiro deste ano, da ordem de R$ 70.560 milhões, foi a segunda maior para esse mês entre os últimos cinco ano, ficando abaixo apenas em relação a janeiro de 2015. O montante representa um aumento de 14,5% em relação a fevereiro de 2017. Os dados são do Boletim Termômetro Tributário do CEPER/FUNDACE do mês de abril.

Todas rúbricas analisadas apresentaram crescimento, principalmente a COFINS (18,8%), IPI (17,7%) e CSLL (17,4%). O resultado obtido com o COFINS, que se deu principalmente em razão do volume de vendas (PMC-IBGE), foi o principal responsável pelo aumento observado, segundo os pesquisadores do Ceper. Também houve acréscimo na arrecadação do IPI, em particular no IPI-Vinculado a Importações, devido ao aumento de 20,06% no valor em dólar dos itens importados.

No estado de São Paulo, o total de impostos federais arrecadados em fevereiro de 2018 chegou à ordem de R$ 31.025 milhões, valor 23,5% superior ao observado no mesmo mês de 2017. As rubricas apresentaram variações positivas, com destaque para o IPRJ (83,7%) e CSLL (63,0%).

Os municípios da região de Ribeirão Preto acompanharam a alta na arrecadação registrada no cenário nacional e, em conjunto, arrecadaram um total de R$ 352.362 mil, valor 14,4% superior se comparado com fevereiro de 2017. O aumento foi puxado, principalmente, pela arrecadação expressiva do PIA/PASEP (18,6%), CSLL (17,0%) e IRPJ (16,9%). A única rubrica a apresentar resultado negativo foi a IRRF, com queda de 4,7% em comparação com o mesmo mês de 2017.

Em Ribeirão Preto, a arrecadação de impostos federais atingiu a marca de R$ R$182.227 mil, valor 20,5% superior ao arrecadado em fevereiro de 2017, e todas as rubricas apresentaram aumento com as seguintes variações: COFINS (26,6%), IRPJ (21,6%), PIS/PASEP (17,2%), CSLL (15,9%), IPI (9,1%) e IRRF (7,2%).

Acumulado por período – Na comparação do acumulado em janeiro e fevereiro entre 2017 e 2018, houve um aumento de 11,8%. Este ano, o montante atingiu a cifra de R$ 183.719 milhões. Todas as rubricas analisadas apresentaram variação positiva, com destaque para o IPI (18,4%) e a COFINS (15,8%).

Em Ribeirão Preto, o total de R$ 514.868 mil representa um aumento de 21,9% de um ano para outro. Todas as rubricas evidenciadas apresentaram aumento, sendo as mais significativas a COFINS (43,0%) e o PIS/PASEP (36,5%).

Setores – A análise da arrecadação tributária a partir do comportamento da economia, segundo dados do IBGE, mostra que o setor de serviços registrou aumento dessazonalizado de 0,1% em relação ao mês anterior, após ter recuado 1,9% em janeiro de 2018. A variação positiva foi sustentada apenas pelo ramo de serviços profissionais, administrativos e complementares, que ao avançar 1,7% nesse mês recuperou parte da perda de 2,3% observada nesse setor no mês passado.

Ainda na comparação em relação ao mesmo mês do ano anterior, houve retração em três das cinco atividades listadas pela pesquisa, sendo que o maior impacto negativo veio de Serviços de informação e comunicação (-4,9%). As outras contribuições negativas desse mês vieram dos ramos de Serviços prestados às famílias (-5,2%) e de Serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,6%). A contribuição positiva veio por parte de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (+0,6%) e Outros serviços (+1,5%).

Quando avaliado o crescimento em relação ao mesmo mês do ano anterior, a indústria assinalou expansão de 2,8% em fevereiro deste ano. Houve resultados positivos nas quatro grandes categorias econômicas, em particular bens de consumo duráveis (15,6%) e bens de capital (7,8%). Entre as atividades, destaque para veículos automotores, reboques e carrocerias (16,8%), que exerceu a maior influência positiva na formação do resultado deste mês.

O Boletim Termômetro Tributário completo pode ser acessado no site da Fundade neste link: https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201804_00362.pdf.

Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto) da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros. A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Stéfani Nogueira Incorporação e Construção, São Francisco Clínicas, Citröen Independance e CM Agropecuária e Participações.

Fundace – A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada sem fins lucrativos criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo