NESTA TERÇA-FEIRA (29/09) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - RUA MIGUEL PETRONI (RODOVIA/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - RUA JOAQUIM RODRIGUES BRAVO (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

 

 

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, da Câmara dos Deputados, marcou para a próxima quarta-feira, 30, uma audiência pública para debater a situação atual da implantação de recursos de acessibilidade para pessoas com deficiências visuais nos meios de comunicação eletrônica. 

A audiência foi proposta pelos deputados federais Lobbe Neto (PSDB-SP) e Carlos Gomes (PRB-RS). 

Foram convidados para participar da audiência: o presidente da Associação Brasiliense de Deficientes Visuais (ABDV), Flávio Luís da Silva; o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Juarez Martinho Quadros do Nascimento; o presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Paulo Tonet Camargo; o diretor-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Laerte Rímoli; o representante da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), Álvaro Vasconcelos; um representante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. 

“É importante observar que a introdução de recursos de acessibilidade nas emissoras de radiodifusão impacta financeiramente as atividades das empresas de comunicação, porém, precisamos analisar esses impactos com os também fundamentais aspectos sociais da inclusão de significativa parcela da sociedade”, explicou o deputado Lobbe Neto. “Os deficientes visuais precisam estar devidamente integrados à sociedade e as emissoras de radiodifusão possuem importante papel nesse sentido”, completou o parlamentar. 

A audiência pública deve ocorrer no plenário 13, a partir das 15 horas.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo