NESTA TERÇA-FEIRA (29/09) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - RUA MIGUEL PETRONI (RODOVIA/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - RUA JOAQUIM RODRIGUES BRAVO (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

 

 

A comissão mista que analisa a medida provisória que eleva tributos para bebidas quentes (vinho e cachaça) e produtos eletrônicos (MP 690/2015) marcou para terça-feira (10), a partir de 14h30, a votação do relatório final a ser apresentado pelo senador Humberto Costa (PT-PE). Se o texto for aprovado, a MP seguirá para exame na Câmara dos Deputados e posteriormente para votação no Senado.

A medida provisória muda a maneira de tributar bebidas quentes (cachaça, vinho, uísque, vodca, rum, entre outras). Além disso, acaba com a isenção do PIS/Pasep e da Cofins concedida a produtos eletrônicos pela Lei do Bem (Lei 11.196/2005), como computadores, smartphones, roteadores e tablets. A expectativa do governo é de arrecadar R$ 8,2 bilhões no ano que vem.

Reclamações

Em debates na comissão mista, no entanto, produtores de eletrônicos e de bebidas quentes reivindicaram mudanças na medida provisória. Alegaram que o impacto será muito ruim para a produção, geração de emprego e para o consumidor (em razão do aumento dos preços), em troca de baixo aumento da arrecadação.

Segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o preço de cada garrafa de vinho, por exemplo, vai ficar entre R$ 2,00 a R$ 5,00 mais alto.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo