NESTA SEXTA-FEIRA (25/09) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - RUA MIGUEL PETRONI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 - AVENIDA JOÃO DE GUZZI X RUA MARCOS VINICIUS DE M. MORAES - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - AVENIDA HENRIQUE GREGORI (SHOPPING/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

 

 

Com a proximidade do Dia Internacional do Trabalho, comemorado no dia 1º de maio, um levantamento feito pelo Ministério Público do Trabalho em Campinas constatou um aumento de 40% no número de inquéritos trabalhistas instaurados nos últimos quatro anos contra empresas no interior de São Paulo, passando de 6.400 procedimentos em 2011 para 9.000 em 2014.

Em 2011, o MPT instaurou uma média de 538 investigações por mês, número que saltou para 737/mês somente no primeiro trimestre de 2015. As maiores altas nas taxas mensais estão relacionadas a procedimentos com temas relacionados ao combate ao trabalho infantil e adolescente - aumento de 95% (19/mês par a 37/mês) -, e à discriminação no trabalho - aumento de 52% (46/mês para 70/mês). Em terceiro lugar verificou-se um amento do número de inquéritos que investigam empresas por trabalho escravo, com um aumento de 42% da taxa mensal nos últimos quatro anos.

            

Do total de procedimentos abertos em 2011, a maioria se refere a problemas relacionados à formalização de contratos, jornada de trabalho e não pagamentos de verbas rescisórias (35%), seguidos de irregularidades no meio ambiente de trabalho, como risco à segurança e problemas de higiene e conforto (24%) e fraudes trabalhistas (13%). A distribuição de casos por tema confirma a tendência de alta no número de inquéritos envolvendo o trabalho da criança e do adolescente, trabalho escravo e problemas relacionados à falta de igualdade e oportunidades no trabalho, únicas com crescimento percentual. Para Catarina von Zuben, procuradora-chefe do MPT em Campinas, "o aumento do número de investigações   é justificado pela maior presença do Estado e pela maior conscientização da sociedade em torno da importância da denúncia"

           

Distribuição dos casos por região

Das nove regiões atendidas pelo MPT Campinas, a de Sorocaba foi a que teve uma maior alta estatística, passando de 390 inquéritos em 2011 para 817 em 2014, ou um aumento de 66%. As regiões de Araçatuba, Bauru, Campinas e São José do Rio Preto também tiveram um aumento superior a 50% no mesmo período. Na contramão, a região de Presidente Prudente foi a única das nove macrorregiões a ter queda, de 516 em 2011 para 440 em 2014.

Em 2011, Campinas, Bauru e São José do Rio Preto foram as regiões com a maior quantidade percentual de inquéritos instaurados, respectivamente 36%, 12% e 11%. Em 2014, as duas primeiras cidades mantiveram as posições, com aumento de 2% cada, e Rio Preto deu lugar a Sorocaba, como pode ser visto na tabela abaixo:

           



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo