NESTA QUINTA-FEIRA (01/10) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - AVENIDA HENRIQUE GREGORI (SHOPPING/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA BRUNO RUGGIERO FILHO (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

Rodovias do país continuam parcialmente interditadas por caminhoneiros que em novos protestos cobram do governo a fixação de um valor mínimo para o frete. De acordo com relatório da Polícia Rodoviária Federal (PRF), liberado no início da manhã de hoje (24), as manifestações ocorrem em cinco estados e provocam prejuízos no fluxo de trânsito em 11 rodovias.

Em Mato Grosso, são sete interdições, que ocorrem em Lucas do Rio Verde, Rondonópolis, Diamantino, Nova Mutum, Sorriso e Guarantã do Norte. No Ceará, a manifestação se concentra próximo a Tabuleiro do Norte, na BR-116. Em Mato Grosso do Sul, o protesto é feito próximo à capital, Campo Grande. Também ocorrem interdições em Barracão, no Paraná, e em Santa Rosa, no Rio Grande do Sul.

Na quarta-feira (22), representantes da categoria apresentaram ao governo federal a proposta de fazer uma tabela nacional com preços dos fretes, mas o Executivo considerou impraticável. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, disse que o governo apresentou uma proposta de tabela referencial de custos que não foi aceita pelos caminhoneiros.

Para tentar solucionar o impasse, a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) informou que será publicada nesta sexta-feira uma resolução que institui o procedimento para a elaboração da tabela referencial dos custos de frete.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo