NESTA TERÇA-FEIRA (15/10) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1- AVENIDA GETÚLIO VARGAS (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - AV.DR. HEITOR JOSÉ REALLI (BAIRRO/RODOVIA) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - RUA JOSÉ BONIFÁCIO X RUA 1º DE MAIO (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

 

O volume de cheques devolvidos no país apresentou redução de 0,23 ponto percentual em novembro na comparação com o de igual período do ano passado (2,19%), segundo levantamento divulgado hoje (18) pela empresa de consultoria Serasa Experian. A taxa ficou em 1,96% no penúltimo mês do ano, o que representou a primeira queda na variação anual em 21 meses.

O último decréscimo na comparação em 12 meses havia sido registrado em fevereiro de 2011, quando o percentual de cheques sem fundos ficou em 1,83% ante 1,85% de fevereiro de 2010. Para os economistas da Serasa, esse resultado sinaliza uma tendência para o próximo ano de normalização gradual dos níveis de inadimplência com cheques.

No acumulado de janeiro a novembro deste ano, o índice apresenta alta de 2,01%. A taxa é levemente maior do que a do mesmo período de 2011, quando o percentual ficou em 1,95%. Em relação a outubro deste ano, o número de cheques devolvidos por falta de fundos também é ligeiramente superior, com taxa de 1,94%.

Na comparação entre estados, Roraima apresentou o com maior percentual de cheques devolvidos (11,73%) no acumulado de janeiro a novembro. Em seguida aparecem o Amapá (10,36%) e o Acre (10,10%). Os estados com menor percentual de devolução foram São Paulo (1,47%), o Rio de Janeiro (1,55%) e o Amazonas (1,59%).

Entre regiões, o índice do Norte (4,43%) é mais do que o dobro da média brasileira (2,01%). O Nordeste aparece em seguida com 3,74%. O percentual de cheques não compensados no Centro-Oeste é 2,84%. As regiões Sul (1,95%) e Sudeste (1,58%) registram taxas menores do que a média do país.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo