Imprimir esta página

A quantidade de consumidores que não honraram as dívidas em outubro cresceu 5% em relação a setembro, de acordo com levantamento divulgado hoje (13) pela empresa de consultoria Serasa Experian. É a primeira alta mensal depois de quatro quedas. Na comparação com outubro do ano passado, a inadimplência cresceu 15,3%, assim como no acumulado do ano.

A alta na passagem de setembro para outubro foi puxada principalmente pelos protestos e os cheques sem fundos, que cresceram 51,8% e 19,7%, respectivamente. As dívidas bancárias não pagas tiveram elevação de 3,5% e as de cartões de crédito, com financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços (como telefonia e fornecimento de energia elétrica) cresceram 2,2% em outubro.

O valor médio das dívidas com os bancos caiu 1,2% no ano, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Já o valor médio das dívidas não bancárias, dos títulos protestados e dos cheques sem fundos tiveram alta de 3,7%, 6,9% e 12,3%, respectivamente.

Segundo os economistas da Serasa, a alta registrada em outubro indica que mesmo com melhoras na condição financeira do consumidor, ainda há dificuldades para o pagamento de dívidas. "Além disso, as compras dos presentes para o Dia da Criança e a fraca base de comparação devido ao número de dias diferentes de um mês para o outro produziram ampliação mais intensa no volume de negativações decorrentes, principalmente, dos protestos e dos cheques devolvidos por falta de fundos pela segunda vez."



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores
e não representam a opinião deste site.
Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.