NESTA SEXTA-FEIRA (13/12) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 – Rua Rui Barbosa (CENTRO/BAIRRO) vELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 40 kM/H; 

RADAR 2 – Avenida Francisco Pereira Lopes (usp/ shopping) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H; 

RADAR 3 – Rua Miguel Petroni (rodovia/centro) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H.

Uma pergunta: Do que adianta releases, entrevistas, campanhas publicitárias de grandes obras, como o Recape se amigos do prefeito Airton Garcia acabam queimando seu filme. E quando digo amigos, estou falando de laços antigos, antes de assumir a Prefeitura. A nomeação de Carla Campos para o cargo de diretora do departamento de Patrimônio Cultural da Fundação Pró-Memória é um exemplo claro disso. Só relembrando, ela foi exonerada a cerca de um mês após denúncia de racismo contra duas colegas de trabalho da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Carlos.

Só falam nisso

O assunto desta semana não é o recape, não é a possibilidade de transferir o AME para o prédio do antigo DER e tantas outras coisas que acontecem na cidade. O assunto é a nomeação de Carla Campos.

Repúdio

O Sindicato dos Servidores Autárquicos e Municipais de São Carlos (Sindspam) emitiu nota dizendo que estranha e repudia a nomeação de Carla Maria Campos para a Fundação Pró-memória e espera o cancelamento da portaria, a qual classificou de “infeliz”.

Repúdio II

O Coletivo de Mulheres Negras de São Carlos também se manifestou. "Este ato foi de total desrespeito e descaso com a população e com a comunidade negra de São Carlos. Por mais que ainda estejam correndo as investigações, o mínimo da moralidade era que ela não fosse nomeada novamente, no mínimo, até o fim do processo", diz nota da organização que aguarda convite do prefeito Airton Gacia para falar sobre o assunto "para que possamos conversar de forma respeitosa, e que ele explique para toda a comunidade negra seus argumentos referente a essa nomeação", afirmou o texto.

Repúdio III

A Câmara Municipal emitiu, por meio da Comissão de Direitos Humanos, uma moção de apelo à prefeitura para que aguarde a conclusão da sindicância aberta para apurar o caso antes de qualquer nomeação da servidora suspeita de racismo em “respeito à sociedade”. A moção foi lida na sessão da Câmara desta terça-feira (3).

Repúdio IV

Fora as opiniões dos internautas pelas redes sociais. Aí fica novamente a pergunta: Do que adianta releases, entrevistas, campanhas publicitárias de grandes obras, como o Recape se amigos do prefeito Airton Garcia acabam queimando seu filme.

Nem o ministro

Desse jeito nem o Primeiro Ministro e Secretário de Esportes, Edson Ferraz consegue fazer alguma coisa.

Conclusão

A Prefeitura de São Carlos por meio da Secretaria de Comunicação, chegou a informar que o gabinete do prefeito entende que nomeação de cargo de comissão é de livre escolha e que só iria se manifestar após conclusão de sindicância.

Conclusão II

Oras, não poderiam esperar então a conclusão da sindicância para nomeá-la?

Conclusão III

Para encerrar, a impressão que fica com essa nomeação é de que o prefeito Airton Garcia lamentável não respeita algumas entidades que estão acompanhando esse lamentável fato, como a Comunidade Negra, OAB, SINDSPAM e Câmara Municipal, além é claro a própria população.

Na sessão

E ontem teve mais uma sessão da Câmara. Os vereadores aprovaram por unanimidade um veto parcial aposto pelo prefeito a projeto aprovado pela Casa, um projeto de urgência especial, nove projetos de lei e um  projeto de decreto legislativo que estavam na pauta da ordem do dia. Na sessão, os vereadores apresentaram 36 requerimentos, 2 indicações e 7 moções.

Na sessão II

O plenário estava lotado de motoristas de aplicativos que foram acompanhar a alteração de dispositivos da Lei Municipal nº 18.915 de 06 de dezembro de 2018 que dispõe sobre a regulamentação do serviço de transporte motorizado privado e remunerado de passageiros, por aplicativos ou outras plataformas de comunicação em rede de âmbito do Município, e dá outras providências”.

Aprovado

O projeto foi aprovado por unanimidade com seis emendas de autoria dos vereadores Gustavo Pozzi e Dimitri Sean. Entre as alterações, tem a que estabelece que a exploração do serviço de transporte motorizado privado e remunerado de passageiros dependerá de credenciamento prévio das pessoas jurídicas operadoras de plataforma tecnológica emitida pela Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito.

Tumulto

A sessão foi tumultuada, tendo em vista que havia um grupo minoritário que não aprovava alguns itens do projeto de lei e os membros queriam que prorrogasse a votação.

Tumulto II

O vereador Leandro Guerreiro, estava na tribuna livre pedindo para os grupos se manifestarem quem era a favorável ou contra a aprovação da regulamentação. A maioria levantou a mão aprovando e o vereador pediu para o outro grupo aceitar. Eles começaram a gritar e ele falou que eles queriam baderna.

Que pulada

No calor da discussão Guerreiro saiu da Tribuna,  pulou a divisória de madeira e foi bater boca com um motorista da UBER que estava se manifestando enquanto os vereadores apresentavam o projeto de lei. Guerreiro foi  contido pelo advogado Antônio Donizeti Luppi.

Falando nele

Leandro Guerreiro, antes desta confusão, usou a Tribuna para descer “porradas” no ex-vereador petista Lineu Navarro. Com um boneco parecido com Lineu, Leandro bateu na cara, deu chicotadas e por aí vai. Na semana passada já havia ocorrido um problema entre os dois.

Na semana passada

O bate-boca entre Guerreiro e Navarro foi prá lá de quente. O petista meteu a boca na Mesa Diretora da Câmara. Na visão do ex-vereador, Guerreiro descarregava um caminhão de ofensas na tribuna da Câmara aos olhos da mesa e ninguém tomava providências.

Empregos

Quem usou a Tribuna também foi o vereador Julio Cesar que teceu críticas a política de trabalho que está sendo desenvolvida na Secretaria Municipal de Trabalho e Renda. Para Julio a pasta liderada por Walcinir Bragatto (o homem do Conexidades que gastou quase R$ 1 milhão em uma festa política) não tem nenhuma política de “trabalho”.

Vai indo bem

João Muller deu um novo ritmo na Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano. Na semana passada houve o anúncio da regulamentação do condomínio de lotes em São Carlos.  Esta semana esteve junto com o prefeito no gabinete do deputado Baleia Rossi reivindicando infraestrutura para Jardim São Jose, recursos do FNHIS para conveniar com a AEASC e retomada do convênio do CIE, no Jardim Munique.

Vai indo bem II

Outro que não para é o primeiro ministro Edson Ferraz. O homem está em praticamente tudo o que a Prefeitura faz, promove, pensa, articula etc...

Cultura

Falando no ministro, lembramos do amigo Caromano. No domingo acontece no teatro de arena do Bicão um encontro de bandas de garagem à partir das 17hs. Se você gosta de rock’n roll, bora curtir os shows.

Até sexta-feira

Infelizmente, vivemos tempos difíceis, em que as pessoas são cheias de si, as palavras são vazias, os sentimentos são rasos e os encantamentos são poucos... Mesmo assim, prossigamos com as nossas verdades! (Nanda Araújo). Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Comentário(s) 

+6
Antenado | 04 Setembro 2019
Para leitor atento:
ótima pergunta! Vou mais além, e se o MP resolvesse trabalhar e investigar mais coisas, tais como compras direta da PROHAB, a Máfia dos cemitérios, as compras da agricultura, os materiais comprados e não entregues que é de costume de várias pastas, as viagens de veradores que vão passear para ganhar diaria, os sócios ocultos de diversas empresas que prestam serviços milionários para prefeitura e tem em seu quadro associativo secretários e diretores, etc... enfim, essa [...]istração tem muita sorte do MP ser omisso como é. Até parece que esse governo é dirigido pelo PSDB.
+8
leitor atento | 04 Setembro 2019
Qual será o destino do primeiro secretário Édson Ferraz, quando e se o Ministério Público tiver a iniciativa de investigar os escaninhos da Secretaria de Esportes e Cultura e descobrir os esqueletos nos armários trancados a sete chaves?