Av. Miguel Petroni
(sentido Bairro/Rodovia)
60 km/h
Av. João de Guzzi
(sentido Bairro/Centro)
60 km/h
Av. Bruno Ruggiero Filho
(sentido Shopping/Bairro)
60 km/h

São Carlos vive um bom momento político? Ou melhor, vamos formular a pergunta de outro jeito: O que os políticos fazem para melhorar a política? Dois episódios chamaram a atenção no dia de ontem. 

Primeiro 

O Secretário de Ciência e Tecnologia fez um importante anúncio: Faltam R$ 3 milhões de reais para a cidade concluir o Citesc. Um futuro pólo de conhecimento científico e desenvolvimento de novas tecnologias da saúde. 

Ousado 

O secretário José Galizia Tundisi classifica o centro como a ‘Embrapa da Saúde’, um espaço que abrigará 26 laboratórios. São Carlos caminhará a ser referência nesse segmento, promete o secretário, que também é um renomado pesquisador. 

Mas... 

Esta tinha tudo para ser a principal notícia do dia, mas os nossos políticos, ah! Os nossos políticos, tratam de colocar água no chope. 

Bate boca 

Na tarde de ontem, a Câmara de Vereadores protagonizou um episódio lamentável, uma troca de acusações que pouco interessa ao cidadão comum. 

Bate boca II 

O Chefe de Gabinete da Procuradoria Jurídica, Ademir Souza e Silva, e Paraná Filho, que se estranham faz um bom tempo, chegaram às vias de fato, pelo menos de acordo com o relato de Ademir Souza e Silva, que acusa o jovem parlamentar de agressão. Paraná se defende, disse que não chegou a tal ponto. 

Atrasou 

As provocações começaram com um atraso de Ademir à oitiva da CPI da Saúde. Ademir justifica: disse que estava em audiência no Ministério do Trabalho, mas erra ao dizer que não devia satisfação a Paraná Filho que o vereador deveria explicar a presença de 22 carretas em seu sítio, na estrada do broa, suscitando dúvidas. 

Insinuações 

Inclusive, o vereador alega que o advogado da prefeitura falou de veículos furtados ou roubados. Ademir afirma que não fez declarações nesse sentido. 

A quem interessa? 

Este jogo de acusações interessa algo ao cidadão comum? O cidadão comum, aquele que trabalha todos os dias para cumprir as suas obrigações, quer o retorno dos seus impostos, ruas sem buracos, UPAs abertas e um transporte público decente, três coisas que carecem em nossa cidade. 

Feio 

No jogo do poder político, mais uma vez a cidade perde e feio. O que será do futuro da cidade? Fica difícil prospectar, pois aqueles que são eleitos para nos representar apresentam senões que atiram a cidade no limbo da mediocridade política. Pobre São Carlos... 

Aplicativo 

O vereador Chico Loco quer revogar a lei que proíbe o UBER e outros aplicativos de transporte em São Carlos. 

Aplicativo II 

A lei foi sancionada pelo prefeito Paulo Altomani, em 2016. De autoria do ex-vereador Freire, a justificativa que respaldo a lei foi a preservação de inúmeros empregos de taxistas. 

Aplicativo III 

No meio desse caminho, o assunto ganhou outras dimensões. Recentemente, o senado aprovou a lei que regulamenta o uso desse tipo de aplicativo. Duas das mudanças aprovadas foram decididas por acordo dos líderes partidários. Elas retiram a obrigatoriedade do uso de placas vermelhas e a exigência de que o condutor seja proprietário do veículo. 

Aprovado 

Também foi aprovada emenda que atribui ao município apenas a competência para fiscalizar o serviço dos aplicativos. A prefeitura não terá o papel de autorizar o exercício da atividade como estava previsto no texto original da Câmara. 

Bicho Pega 

É aí que o bicho pega e deixa contrariado inclusive o taxista. As cooperativas e os sindicatos da categoria querem uma participação efetiva dos municípios não só na autorização do exercício da atividade, mas na cobrança de impostos. 

Reclamam 

Os taxistas reclamam que pagam muitos impostos, inclusive asseguram a vida dos passageiros, garantindo-lhes o seguro de vida. Mas há um adendo: o taxista tem linhas de financiamento que barateiam os veículos. 

Isenções

Taxistas têm isenção de IOF e IPI na compra de veículo e, no Rio e em São Paulo, também podem pedir isenção de ICMS e não pagam IPVA. 

Mas enfim 

Esse não é o centro da discussão e queremos trazer o debate para São Carlos. Os taxistas hoje chiam em relação à possibilidade de implantação do UBER ou outro aplicativo qualquer na cidade, mas sequer tem um sindicato atuante que representa a categoria. 

Mais

Desde Deolindo Carlos Húngaro não se houve falar do sindicato dos taxistas em São Carlos. Então, o que reclamar se a classe é desunida? 

Outro detalhe 

Se a lei passar pela Câmara, a legislação municipal torna-se sem efeito. É claro que os nossos corajosos Deputados Federais não vão querer meter a mão em cumbuca. Ano que vem temos eleições. Esse debate voltará à cena apenas em 2019.

Retorno as cavernas 

Um conhecido fez uma comparação interessante sobre o UBER e que vale a pena colocar neste espaço para a reflexão de todos. Lutar contra os aplicativos de transporte como o UBER é o mesmo é lutar pelo retorno da máquina de escrever. Os avanços tecnológicos são inevitáveis. 

Encerrando 

Isso não significa que os motoristas dos aplicativos trabalhem à margem da legislação. As prefeituras devem marcar território, exigindo o pagamento de impostos. Assim, o consumidor ganha com a livre concorrência. 

Bom final de semana 

Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te. (Friedrich Nietzsche). Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 



Comentário(s) 

+5
Eleitor | 14 Novembro 2017
Fui para sta Catarina, lá todas cidades têm Uber desde as maiores joenville a pequena Brusque, ou seja o Brasil aderiu ao Uber, será que seremos exceção e mais uma vez a capital da tecnologia fica de fora por causa de políticos e sindicatos mafiosos viciados.
+4
Hamas | 14 Novembro 2017
Bate boca no legislativo por picuinha é foda , mas o cidadão comum também precisa saber se seus nobres edis , estão alinhados com o crime organizado , cabe sim uma explicação aos eleitores.
+7
Observador | 11 Novembro 2017
Que vergonha... O Mimi dando escândalo na Câmara, enquanto podia estar resolvendo a Emergencial do Transporte Coletivo. Essa pessoa está achando o quê; que nós usuários do transporte coletivo somos otários???? Meu querido, há duas semanas atrás, era pra ter sido lançada a Emergencial do Transporte, mas quê!!! Tinha que pôr esse cara pra andar todo dia de ônibus. Fazer ele ir e voltar do "serviço" dele usando o transporte coletivo. Aí eu queria ver, se essa licitação não saia rapidinho... Escrevam o que vou dizer. Eles estão esperando só os ônibus novos chegarem em Mauá para abrir a licitação aqui. Será depois do dia 09/12. Eles vão esperar a suzantur despejar os lixos velhos de Mauá aqui. É por isso que a licitação não sai. Esperem para ver...
+13
leitor assíduo | 10 Novembro 2017
Motorista de Uber, também, vota. Se os políticos amarelarem na resolução do assunto, que está em discussão no congresso nacional, poderão ficar sem os votos dos que trabalham com o aplicativo. Na verdade, como sugere a coluna, não dá para ignorar os com[...]dores em benefício dos fabricantes de máquinas-de-escrever. Taxista inteligente adere aos aplicativos e não os combate, porque essa tendência veio para ficar. É o futuro do transporte nas cidades, porque custa mais barato que bilhete de ônibus e respeita o usuário, oferecendo-lhe conforto e privacidade. Se os políticos locais insistirem no comportamento atrasado, caberá à população situá-los.