NESTA SEGUNDA-FEIRA (17/12/18) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS: 

RADAR 1 – RUA MIGUEL PETRONI, 338  - CENTRO/BAIRRO - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 – AVENIDA JOÃO DE GUZZI X RUA MARCOS VINÍCIUS DE M. MORAES  - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 – AVENIDA TRABALHADOR SÃOCARLENSE, OPOSTO 1130, RODOVIÁRIA/USP - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 M/H.

 

A crise desencadeada no Transporte Coletivo de São Carlos, bomba esta que todos sabiam que iriam explodir cedo ou tarde, traz a tona novamente o comportamento do prefeito Airton Garcia. A pergunta é: Até onde vai a coragem do prefeito Airton Garcia?

Bezerrão

Na rede social Airton disse que era preciso desmamar o maior bezerro da cidade de São Carlos. Ele não citou nomes, mas entendemos que ele quis dizer que o transporte público estava nas mãos de alguns poderosos desta cidade.

E ele tem razão

O transporte coletivo de São Carlos, antes da Suzantur, ficou quantas décadas nas mãos de um mesmo grupo de pessoas? Essa era uma ferida que ninguém ousava mexer.

Este até que tentou, mas...

Altomani chegou perto, mas infelizmente, procurou mexer na ferida, jogando álcool e não um anestésico. Fez um processo emergencial totalmente obscuro e por debaixo dos panos, tanto é que corre um processo na Justiça.

Calamidade  

Airton escreveu que até terça-feira (23)  São Carlos estava vivendo 531 dias numa situação de calamidade no transporte público, “a datar de 10 de agosto de 2016, quando a atual prestadora do serviço iniciou suas atividades. Desde então, a população tem sofrido com um serviço que não atende plenamente suas necessidades e que não contempla tudo o que foi prometido”.

Terrorismo

O prefeito ainda escreveu que quando assumiu a Prefeitura em 2017, por diversas vezes tentou buscar uma solução para este impasse.  “Sempre que eles sentiam que precisariam se submeter às nossas diretrizes (todas com amparo legal), eles (Suzantur) começavam a fazer terrorismo com a população, com notícias de tempos em tempos sobre a paralisação do serviço e discursos bravateiros, cheios de informações inverídicas, de pessoas ligadas direta ou indiretamente a essa empresa”.

Não havia mais tempo

“Estou em busca de justiça, para os usuários do transporte e para os bons funcionários da empresa. Não havia mais tempo a perder nessa questão e por isso colocamos a intervenção em prática. São Carlos merece um transporte de qualidade e é por isso que estamos batalhando. Lutando pelo interesse da população contra quem briga por interesses próprios e suga a cidade há anos”, esclareceu o prefeito.

Feridas

Bom, com essas declarações Airton mostrou que não tem medo de mexer em feridas bem inflamadas e como todos sabem, mexer em feridas dói demais. E é aí que mora o problema.

Povo sofre

No caso de Airton as feridas cutucadas por ele, vêm provocando dores e dificuldades na população mais carente. Foi assim na saúde com a falta de médicos e agora está sendo assim na questão do transporte público.

Efeitos colaterais

Mas sem se preocupar com efeitos colaterais, Airton está se mexendo. No caso dos médicos, a situação vem sendo equacionada (falta reabrir a UPA Santa Felícia). Na questão dos buracos... gente esse problema já existe há décadas na cidade. O problema é que a maioria do povo tem memória curta e “esquece” disso.

Mas estão fechando

Mas ainda assim na questão de buracos, mesmo levando pedradas, ele conseguiu contratar uma empresa para amenizar o problema, ainda em seu primeiro ano de governo.

Questão do lixo

Logo no início de sua Administração, Airton logo de cara foi ameaçado de ficar sem a coleta de lixo na cidade. Na época a São Carlos Ambiental, empresa que administra o serviço na cidade, cobrava uma dívida de R$ 5,7 milhões. Airton quis negociar o valor.

Ameaça não!

“Botar a faca no meu pescoço é algo que não funciona. Se pararem a coleta de lixo, vou pedir para a população ter paciência por uns 30 dias, que coloco uma firma nova na cidade”,disse o prefeito na época.

Resultado

Depois de várias reuniões a Prefeitura e a São Carlos Ambiental chegaram a um acordo para a readequação técnica e operacional do contrato de prestação de serviço da coleta de lixo na cidade.  Foram ainda definidos os valores para a contraprestação do ano de 2017 e as condições para o pagamento da dívida existente.

E por aí vai

Quem conhece um pouco da história do homem Airton Garcia, sabe que ele nunca teve medo de nada. Nos seus negócios, sempre foi assim, entrava desacreditado, atropelando, desafiando e ousando. Deu no que deu, o homem é um dos políticos mais ricos do Brasil (Pelo menos as declarações que são passadas para o Tribunal de Justiça Eleitoral, diz isso.)

E por aí vai II

Airton, apesar da sua idade, continua sendo o Airton que os mais velhos da cidade conhecem. Teimoso, duro na queda, ousado e audacioso etc...

A diferença

O que pega no Airton empresário e no Airton Prefeito? É a Justiça. Airton empresário, parece não se preocupar muito com a Justiça, haja vista o histórico de rolos que ele tem na sua vida empresarial.

A diferença II

Já o Airton Prefeito é mais cauteloso e temeroso. Ele não é bobo e sabe que como político, pode perder muito do que conquistou com “pisadas na bola na Administração”. Por isso que Airton demora às vezes em agir, para resolver problemas graves da cidade.

E o forasteiro?

Bom, aí entra o papel do Sr. Ademir Souza e Silva, chefe de gabinete da Procuradoria do município de São Carlos. Mesmo tendo mais de uma dezena de advogados na Prefeitura (alguns ganhando até mais que o prefeito), Airton confia no Dr. Ademir.

E o forasteiro II?

Sendo de outra cidade e não tendo vínculos com “poderosos” de São Carlos, Ademir até aqui, vem demonstrando não se preocupar muito (ou quase nada) com esses “vínculos”. Se ele entende muito ou pouco das questões jurídicas que envolvem a Administração, não cabe a nós julgar e sim a Justiça.  

E o forasteiro III?

Nas brigas que entrou até o momento, Airton Garcia e o Dr. Ademir, vem conseguindo vitórias. Será assim também na questão do transporte público? Logo descobriremos...

Truco ou Xadrez

Pelos últimos lances desta novela que envolve o transporte, hoje conseguimos responder a esse questionamento, lançado nas colunas anteriores. Achamos que é Xadrez. Quem está com o Rei ou com a Rainha? Ainda não sabemos.

E o Legislativo

No meio desse problema todo, não percebemos nenhuma ação mais “ostensiva” dos vereadores da Câmara Municipal. Um ou outro, disse algo nas redes sociais ou na imprensa e foi só. 

E o Legislativo II

Já a Comissão de Transporte da Casa, composta pelos vereadores Leandro Guerreiro, Dimitri e Malabim, pouco ou quase nada fizeram, durante todo esse tempo.

Só para lembrar

A Comissão de Urbanização, Transportes e Habitação – CUTH, tem como obrigação de acordo com o Artigo 60 do Regimento Interno: Opinar sobre projetos que tratem da denominação de próprios municipais, vias e logradouros públicos, planejamento urbano, controle do parcelamento, uso e ocupação do solo, organização do território municipal, bens imóveis municipais, concessão de uso, retomada de bens cedidos as instituições filantrópicas e de utilidade pública para programas de relevante interesse social, permutas de áreas, obras e serviços públicos. Também opina sobre assuntos referentes à habitação, transportes coletivos, individuais, frete e carga, vias urbanas e estradas municipais e à respectiva sinalização, economia urbana e desenvolvimento técnico científico.

Só para lembrar II

A única que lembramos que esta comissão fez em relação ao transporte foi uma audiência pública que foi pessimamente conduzida e que na verdade virou uma troca de acusações entre um advogado da Suzantur (que deu um show a parte) e representantes da Prefeitura.

Falando nisso

O vereador Leandro Guerreiro disse hoje na Rádio São Carlos que audiência pública na Câmara não resolve nada. Nas entrelinhas deu a entender que a Câmara não serve para nada em determinados assuntos. Bom isso a gente sabe já faz tempo...

Pisando na Bola

O pessoal da Associação do Jardim Araucária, que vem fazendo um ótimo trabalho no bairro, vem tentando ajudar a Prefeitura Municipal no que diz respeito a limpeza das ruas e áreas do bairro. Mas está difícil.

Pisando na Bola II

O pessoal está iniciando um projeto em parceria com a UFSCar que é o projeto “Pomar Urbano”. Existe no bairro uma área que precisa ser limpa para que o projeto saia do papel.  O que pode ser feito pelos membros da Associação, já foi feito. O pessoal já fez ligação para água na área, limpeza ao redor, mas o pesado mesmo só com trator.

Pisando na Bola III

A única coisa que a Associação pediu para a Prefeitura foi de enviar um trator para limpar essa área. Bom, já se passaram mais de dois meses que esse pedido foi feito e até agora nada.

Pisando na Bola IV

O pessoal da Associação informou que o Jurandir Ferrante, diretor do Departamento de Manutenção de Áreas Verdes da Secretaria de Serviços Públicos, só promete e na “hora H”, liga desmarcando. A última mancada de Jurandir foi nesta quarta-feira (24), quando ele ligou às 23h45 para o presidente da Associação Eduardo Costa Pereira, desmarcando pela enésima vez o trator.

Pisando na Bola V

Se não tem condições de cumprir o que promete, não prometa! É simples assim. Coisa feia hein Jurandir? 

Inté... 

Coragem é a resistência ao medo, domínio do medo, e não a ausência do medo. (Mark Twain). Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo