NESTA QUARTA-FEIRA (14/11/18) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS: 

RADAR 1 – AV. TRABALHADOR SÃO-CARLENSE (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - AV. TRABALHADOR SÃO-CARLENSE (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H. 

RADAR 3 - RUA JOSÉ BONIFÁCIO X RUA 1º DE MAIO (CENTRO/BAIRRO) – VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

E mais uma vez a região da baixada do Mercado Municipal foi castigada pelas chuvas. Problema histórico da cidade e longe de ser resolvido. Culpar antigos administradores de omissão não é o correto. Pois sempre teve um ou outro que tentou “resolver” o problema. Mas esse é o tipo de problema que do jeito que está à região, jamais será resolvida. 

Curiosidades 

A região do rio Gregório que atravessa o centro de São Carlos na chamada "baixada", era antes das construções das primeiras casas da povoação que se transformou na cidade, uma área chamada "Chácara do Brejo". 

Curiosidades II 

O desenho da cidade no começo de sua formação urbana foi estruturada a partir de vias ortogonais que ignoraram as características do meio físico, sendo que as vias se sobrepuseram ao Córrego do Gregório e suas margens foram progressivamente construídas e impermeabilizadas. 

Curiosidades III 

A constituição do espaço urbano de São Carlos ocorreu com o reiterado ocultamento de seus córregos, através da impermeabilização de suas margens e retificação, canalização e tamponamento de seus cursos. 

Problema antigo 

O antigo jornal do município, o Correio de São Carlos, apresenta exemplares do período que mostram que enchentes nesta região já faziam parte da realidade urbana em 1899.

Só lembrando 

O córrego do Gregório nasce em área rural numa região de aproximadamente 900 m de altitude. Tem como afluentes pela margem direita o córrego Água Primeira perto da SP-310 antes do córrego do Gregório atravessar a rodovia, córrego Sorregotti perto da Educativa, córrego Lazarini próximo a Rua Major Manuel Antônio de Matos, córrego da Biquinha na Rua Visconde de Inhaúma (canalizado), e pela margem esquerda o córrego Simeão na região do mercado (canalizado), e corre no sentido oeste numa extensão aproximada de 7 km, onde desaguá no rio Monjolinho, perto do Shopping Center. 

Só lembrando II

Nas regiões onde estes afluentes passam, tinha o que antes do desenvolvimento? Mato e vegetação e mesmo assim, tínhamos episódios de enchentes lá em 1900. Com a impermeabilização do solo, construções em lugares impróprios, etc..., etc..., etc..., o que esperar de chuvas intensas e rápidas em uma cidade com o relevo de São Carlos? 

Pois bem 

A situação que aconteceu nesta terça se repete a anos e até hoje não se achou solução. Na verdade, com um pouco de pesquisa se percebe que o que foi feito desde o início foi um conjunto de coisas erradas. E esse conjunto vem desde quando começaram a ocupar esta área sem “se preocupar” com os limites do córrego. 

A solução 

Muito se fala que o problema poderá ser resolvido quando abrirem o “gargalo” lá na passagem da ferrovia na região do Shopping. Balela, o problema será apenas amenizado, não resolvido. Sim vai precisar chover mais forte e mais rápido, mas jamais iremos nos livrar deste problema, chamado enchente na região da baixada do Mercado. 

Enfim 

Culpar prefeito A,B,C ou D, não irá resolver esse problema. Quem já fez estudos em relação ao tema é categórico em dizer que o “histórico levantado mostra que as enchentes nunca cessaram, mas que de tempos em tempos algumas mais marcantes são as que mais trazem malefícios à população. A pesquisa realizada com os órgãos competentes mostra  que a maioria das obras realizadas são de correção e que, portanto, não resolvem o problema”. 

Enfim II 

Agora independente de quem é ou foi o prefeito, não é correto, enganar a população e informar que esse “problema um dia será resolvido”. 

Rio acima 

E olha que só falamos aqui nesta coluna nos problemas do Gregório na baixada. Mas acima dele, região Azulville até do Fórum Cível, o problema é ainda mais grave. O córrego está cada dia mais assoreado e com erosões nas duas margens. Em breve, corremos o risco de ter aquele trecho da Marginal interditada. 

Paraíso 

E ontem com todos os transtornos que a chuva provocou, os vereadores se reuniram para mais uma sessão. Alguns estavam preocupados, outros revoltados, outros até tentando ajudar de alguma forma. 

Paraíso II 

Já os vereadores, Moisés Lazarine e Azuaite França, estavam preocupados mais com assuntos de interesse nacional. Tá bom né, aqui nem temos problemas uai... 

Quanto Mimini 

O prefeito de Ibaté Zé Parrela em um gesto solidário enviou dois caminhões para São Carlos para ajudar na limpeza da região da baixada do Mercado. Qual o problema nisto? Nenhum. Ah, mas nas redes sociais o assunto foi polemizado.  

Quanto Mimini II 

Essas redes sociais já encheram o saco viu. A sociedade definitivamente perdeu o senso crítico. São verdadeiros “leões” atrás de um computador. Foras os “fakes” da vida. 

Por aí... 

O secretário municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia de São Carlos, Profº Drº José Galizia Tundisi, participa em Brasília, do Fórum Mundial da Água, maior evento global sobre o tema organizado pelo Conselho Municipal da Água. 

Por aí...II 

Enquanto que aqui em São Carlos, sua pasta está indo a cada dia por água abaixo. 

Ebaaa 

E o vereador Luis Enrique (Kiki) apareceu na foto. Na terça de manhã ele em companhia do presidente Julio Cesar foram recebidos pelo Bispo Diocesano de São Carlos, Dom Paulo Cezar Costa, em sua sala de reuniões na Cúria diocesana para tratar de diversos assuntos. Um encontro sem dúvida “muitooo importante”. 

Mesmice 

E o vereador Chico Loco está preocupado com a mídia da mesmice. “E é mesmice mesmo, porque essa mídia não evolui, fica na mesma, não faz nada pela cidade. Aliás a mídia da mesmice deveria ser classificada também como a mídia das ofensas”, disse ele na Tribuna. 

Mesmice II 

Olha em relação às ofensas até concordamos vereador, agora que a mídia não faz nada para a cidade ou não evolui, achamos que “vossa excelência” pegou pesado demais.  A Casa que o senhor representa vem fazendo o que nos últimos tempos? 

Mesmice oras... 

Nomes de ruas, homenagens daqui e acolá, projetos de pouquíssimos interesses coletivos, discursos vazios, etc...,etc...etc... E tudo isso custando muito caro para os cofres públicos. 

Realidade 

Mas a outra parte do seu discurso chamou atenção. Chico perguntou se na “Realidade” temos em São Carlos uma miniatura de Odebrecht “interferindo nas ações públicas de São Carlos”? Boa pergunta vereador... 

Até sexta 

É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve. (Victor Hugo) Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo