NA QUARTA-FEIRA (21/08) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - Avenida João de Guzzi X Rua Marcos Vinicios de M. Moraes VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - Avenida Henrique Gregori (BAIRRO/SHOPPING) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - Avenida Henrique Gregori (SHOPPING/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 kM/H. 

Nos cinco primeiros meses desse ano, a arrecadação com multas de trânsito atingiu R$ 1,1 milhão, um aumento de 16 % em relação ao ano passado, quando foram arrecadados R$ 991 mil no mesmo período. Segundo a prefeitura, esses recursos são usados em ações voltadas ao trânsito. Uma pena que ainda muito pouco é visto na cidade.

O trânsito nosso de cada dia II

O secretário Coca Ferraz tem experiência e isso ninguém duvida. As primeiras intervenções aconteceram no principal corredor de São Carlos, a avenida (leia-se alguns trechos dela). A tal revitalização ainda não chegou a pontos nevrálgicos do centro, em que a movimentação de motoristas, motociclistas e pedestres é intensa.

O trânsito nosso de cada dia III

As ações também não chegaram às sinalizações por placas, muitas delas mal conservadas. além disso, muitas ruas sequer tem sinalização de trânsito.

O trânsito nosso de cada dia IV

Multa é um mecanismo de punição dos motoristas que ninguém gosta, mas é um mal necessário. É um freio no índice de mortes, não resta dúvida. Contudo, o dinheiro arrecadado de quem desrespeita as leis se torna ineficiente na educação do trânsito, se o dinheiro é mal ou nada empregado. Que os administradores desse recurso, tenham essa consciência cidadã.

Falando nisso

Quando a secretaria de Trânsito vai asfaltar aquela “readequação” na rua Dona Alexandrina com a César Ricome em frente ao Terminal Rodoviário? Da o que lá, uns 10 metros de massa asfáltica no máximo?

Ideia para o tíquete

Um servidor dias atrás sugeriu a seguinte ideia para acabar de vez com o problema de usar o cartão refeição em supermercados. Ele sugeriu em incorporar o valor da cesta-básica  de R$ 180,00 no valor do cartão refeição, eliminando a cesta, e transformar o cartão refeição em cartão alimentação no valor total de R$ 470.

Ideia para o tíquete II

É importante destacar que o cartão alimentação é aceito tanto em restaurantes como também em supermercados. Fica a sugestão para o próximo acordo coletivo em março/2018.

R$ 60 mil

Esse é o valor que a Prefeitura irá pagar para a dupla Rick e Giovani se apresentar neste domingo na festa da Laranja com Açúcar. Esse valor é referente apenas ao cachê dos artistas. Vai indo bem...

Enceradeira

E a Prefeitura ficou até ontem, girando igual uma enceradeira para chegar a um acordo em relação a médicos e dentistas que se enquadram na tabela salarial “J”. Ela vai cumprir a sentença propondo cumprimento de tarefas.  

 Enceradeira II

A decisão judicial determina a regulamentação da jornada de trabalho desses profissionais, dando a opção de 20 horas semanais para os médicos e 40 horas semanais para os cirurgiões dentista ou regime de tarefas para ambos, desde que justificado o interesse público.

Enceradeira III

Para o cumprimento da sentença, ficou deliberado que o município editará um decreto para regulamentar a jornada de trabalho por tarefa. Para o secretário de Saúde, Caco Colenci esse é mais um dos problemas herdados de administrações passadas que se caminha para solução definitiva.

Enceradeira IV

No final tudo ficou do jeito que os médicos planejam desde o início do “problema”. Hoje 81 médicos e 83 dentistas estão enquadrados no sistema de tarefas e incluídos na tabela salarial ‘J’. Os profissionais envolvidos nessa sentença prestam serviços nas unidades básicas de saúde e no Centro Municipal de Especialidades (CEME) e no caso dos dentistas, também em unidades escolares.

Bacana

Está decidido que no próximo dia 24 de julho será realizado o lançamento do concurso para a escolha de projeto arquitetônico para ampliação e reforma do Velório Municipal, localizado junto ao Cemitério Nossa Senhora do Carmo. A ideia foi do vereador Luís Henrique (Kiki)

Bacana II

O custo estimado para a execução da ampliação, e reforma do Velório Municipal não deve ultrapassar R$ 1,2 milhão. A Prefeitura é que irá tocar o concurso e ela informou que serão oferecidos três prêmios em dinheiro, além do contrato de prestação de serviço para a equipe vencedora no valor de R$ 50 mil.

Bacana III

Hoje o Velório Municipal tem 940 m2, com 10 salas de velório, hall de acesso às salas de velório, estacionamento para veículos, 3 bancas para floricultura, hall de concentração da procissão para o enterro, recepção, administração, sanitários públicos, lavabo dos funcionários, copa/cozinha com refeitório, almoxarifado, depósito para material de construção, vestiário, lavanderia e depósito de material de limpeza.

E o transporte público

Esta semana a Prefeitura divulgou uma notícia relatando que o Ministério Público Estadual considerava irregular e sem efeitos a contratação da empresa Suzantur, concessionária que opera o sistema de transporte coletivo em São Carlos desde agosto de 2016. O MP pede a nulidade integral da contratação por certame licitatório emergencial, ao entender que o processo foi irregular, direcionado e tipicamente fraudulento.

E o transporte público II

A notícia diz ainda que o MP quer o ressarcimento (devolução) aos cofres públicos dos valores pagos e o não pagamento a qualquer tempo, a título de subsídios ao transporte coletivo e as condenações do ex-prefeito Paulo Roberto Altomani, do ex-secretário de Transporte e Transportes Márcio Marino e dirigentes da empresa Suzantur, sendo que a última citação ocorreu no dia 25 de junho, cabendo defesa dos citados.

E o transporte público III

Já a Suzantur divulgou nota esclarecendo que “não existe nenhuma determinação judicial para o não pagamento do subsídio. O Ministério Público não fez nenhum pedido para que a Prefeitura deixe de pagar os subsídios ou eventuais créditos da Empresa neste momento. Tal situação está vinculada a sentença, ou seja, apenas no final do processo da Ação Civil Pública (1004832-20.2017.8.26.0566) e, ainda, se a tese do Ministério Público for aceita pela Justiça.”

E o transporte público IV

A empresa divulgou ainda que esta Ação não teve o mérito julgado, sendo assim, nada impede a Prefeitura de repassar os subsídios e que até ontem a dívida da Prefeitura com a Suzantur superava os R$ 4 milhões.

Conclusão

Esta questão do transporte público em São Carlos, sem dúvida foi mais uma lambança do ex-prefeito Altomani e sua turma. Mesma lambança iria acontecer se ele, Altomani, conseguisse privatizar o SAAE.

Balanço

O presidente da Câmara Municipal de São Carlos, vereador Julio Cesar apresentou um balanço das atividades legislativas e de sua gestão no primeiro semestre de 2017. No período, foram aprovados 91 projetos encaminhados pela Prefeitura, 29 projetos de iniciativa dos vereadores e 4 da Mesa Diretora. Ao todo, tramitaram na Casa 63 matérias de autoria parlamentar e 111 do Executivo.

Balanço II

Foram apresentados nos primeiros seis meses do ano 1074 requerimentos, 313 indicações, 254 moções, 6 Resoluções, 12 projetos de Decretos Legislativos, uma emenda à Lei Orgânica do Município e instauradas duas comissões parlamentares de inquérito.

Balanço III

No semestre foram realizadas 24 sessões ordinárias, 9 sessões solenes, 24 audiências públicas e duas consultas públicas (sobre o transporte coletivo urbano e necessidade de obras na rodovia Washington Luis). O \"Projeto Visite a Câmara\" recebeu 23 grupos de visitantes.

Balanço IV

Vai indo bem a Câmara né?

Bom final de semana

A nova fonte de poder não é o dinheiro nas mãos de poucos, mas informação nas mãos de muitos.(John Naisbitt). Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 

 

 



Comentário(s) 

+3
Sancho | 08 Julho 2017
O subtítulo BALANÇO é ótimo, principalmente a parte dos requerimentos, todos requerendo alguma coisa para alguém ou para um pequeno grupo, ou seja, uma máquina de favorecer eleitores amigos! Para o resto o rigor da lei.
+8
A Verdade | 07 Julho 2017
A historia toda do nosso Maestro, Toddy e suzantur, estão sendo contadas no processo que está em andamento na Vara da Fazenda Pública aqui da cidade. Esse processo é uma verdadeira caixa de Pandora. Pena que a população nunca vai saber de toda verdade, porque o processo, depois de julgado, será arquivado. Mais uma vez peço à Juíza que está analisando esse Livro de Corrupção, que use de bom senso e esteja ao lado daqueles que foram, estão e serão prejudicados, caso esse "livro" seja arquivado e esquecido. No caso em questão, Nós cidadãos e pessoas comuns, que somos as vítimas, mais uma vez. Estamos de olho...
+4
Tricolor | 07 Julho 2017
Colunista, o servidor já teve incorporado ao salário o auxílio alimentação, em 2006. Por conta disso, a Prefeitura não pode criar um novo cartão alimentação. Só pode oferecer ao servidor o cartão refeição e a cesta básica. Alimentação já está incorporado ao salário, e todo servidor deveria saber disso, pois vem escrito em todos os holerites, no rodapé.
+11
eleitor cético | 07 Julho 2017
As lambanças do governo altomani não param no ex-prefeito e no ex-secretário márcio marino. Investiguem o o enriquecimento súbito de jú........ e conhecerão as causas desse enriquecimento. Causam estranheza a indiferença e a omissão no Ministério Público quanto aos inquéritos civis existentes. Foram arquivados?
+10
manoel | 07 Julho 2017
Quando é que o promotor público tornará indisponiveis os bens do Dr. Paulo Altomani e do seu secretário Marcio Marino ?
+5
Cidadão | 07 Julho 2017
A Sucatur entrou com um processo pedindo 10 milhões em subsídio, hoje já disseram que são 4 milhões. Quem está falando a verdade, a prefeitura ou o molhador de rua? Segunda opção é desmerecida de crédito, isso é inegável.
+12
cesar | 07 Julho 2017
Estranho a fábrica de multas funciona e o resto não funciona, porque? O que causa acidentes são os buracos e as matas que se formam nas vias, deveria ser multado o secretário e o prefeito por má gestão. Para ajudar o douto em trânsito vereador Lucão, quer multar no interior do shopping, será que tem Upas suficiente, merenda, tapa buracos, etc . Fiscalizar o caos ninguém quer, mas chutar cachorro morto, todos querem.