NESTA QUINTA-FEIRA (21/11) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS: 

RADAR 1 - RUA LOURENÇO INNOCENTINI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 – AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 3 - RUA DR. MARINO DA COSTA TERRA (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

Arquitetas e diretores da Secretaria de Estado de saúde estiveram em São Carlos, ontem. Finalmente, alguém do governo Alckmin apareceu na cidade para dar uma resposta a respeito do AME  (Ambulatório Médico de Especialidades).

Novela

Vale lembrar que a inauguração deste AME mais parece uma novela mexicana, nunca tem fim. Começou durante a administração do PT. Newton e Barba diziam que o governo e o tucanato local faziam corpo mole e não queriam viabilizar esse equipamento de saúde para a cidade.

Tucanato

Depois, quem assumiu as rédeas do poder foi Paulo Altomani, que conquistou o AME. A secretaria de Estado de Saúde alugou um prédio, fechou uma galeria comercial (É só em “São Carlos a Capital da Tecnologia” que transformam uma “galeria em um Ambulatório Médico)  e começou a pagar aluguel. Passaram-se mais de dois anos, terminou a gestão tucana e nada de AME.

Discórdia

As polêmicas prosseguiram no governo de Airton Garcia. O prefeito reclama do valor do aluguel e até cogitou mudar o AME para o prédio da Estação Ferroviária. Algo descabido, diga-se de passagem. Imagine um doente recebendo atendimento ao som das buzinas do trem.

Imposição

Nessa lenga lenga toda, passaram-se quase cinco meses e até que enfim o Estado botou juízo na atual administração, que de rabo entre as pernas, teve de engolir: se quiserem o AME, será na avenida Sallum e não ser fala mais nisso.

Porcaria

Lógico, o prédio precisará de readequações que devem custar mais de meio milhão de reais, o que demonstra que a administração de Altomani coordenou uma obra porcaria, sem qualidade. Os principais problemas são instalações do sistema de ar-condicionado feitas de maneira errada, paredes com infiltrações e a necessidade de colocação de pisos em alguns locais.

Fotos

O vereador Roselei Françoso e Moisés Lazarine, acompanhou a vistoria e fez algumas fotos do interior do prédio. Françoso divulgou várias delas em sua página pessoal no Facebook. As fotos revelam uma situação triste do prédio.

Fotos II

Canos do ar condicionado expostos, umidades em diversas paredes, fiação exposta, sistema de combate a incêndio feito pela metade, enfim um prédio com muitos detalhes para serem arrumados.  

Estacionamento

Sem contar que o prédio não tem estacionamento. É pra rir ou chorar? O prefeito Airton Garcia procura uma solução para o estacionamento do local, que é muito importante para o funcionamento do Ambulatório.  “É incabível a implantação do AME sem um estacionamento”, afirmou o chefe do Executivo.

Estacionamento II

“Aqui foi um negócio que começou errado. O prédio não era adequado. Mas agora temos que resolver e colocar para funcionar. Vamos tentar resolver a questão do estacionamento. E vamos abrir o AME”, afirmou o prefeito.

Quer mais?

Bom além de tudo isso que foi relatado acima, o prédio também vem sendo alvo de furtos.

A pergunta

Agora vem o principal dessa história toda. Onde estavam os vereadores da legislatura passada que permitiram esse “desperdício” de dinheiro público. Onde estava o Ministério Público que permitiu um absurdo desses?

A pergunta II

Onde estão os órgãos fiscalizadores como o Tribunal de Contas do Estado que não vê o Governo do Estado jogando dinheiro fora em uma galeria de lojas que não pra frente? A prefeitura quando dá uma “mijadinha fora do pinico” é notificada quase que automaticamente pelo Tribunal. E o Governo do Estado, quem fiscaliza?

Capenga

Pra finalizar é fato que a saúde de São Carlos está capenga, isso não é novidade pra ninguém. A cidade não pode se dar ao luxo de abir mão de um AME.  Aliás, o prefeito Airton Garcia é a prova viva de que há uma dificuldade enorme para se contratar médicos.

Pregões

Essa semana a Prefeitura Municipal finalizou dois pregões. Um que definiu a empresa que irá fornecer o tíquete refeição aos servidores públicos municipais (Nunca ouvimos falar dela) e da venda da folha de pagamento dos servidores para o banco Santander.

Pregões II

Os dois transcorreram sem novidades e rapidamente chegou aos vencedores.

Pregões III

E o pregão para definição das empresas que irão fechar os mais de 60 mil buracos (dados do início do ano) existentes na cidade? Por que tanta demora? Será que o prefeito Airton Garcia tem razão e dizer aos quatro cantos que tem vereador que está prejudicando o processo? Perguntar não ofende.

Promessas

Em 2008 foi a fábrica de helicópteros, chips e Agrishow. Em 2012 a fábrica da Nissan. Agora em 2017 é a vez da fábrica de caminhões e ônibus. Até quando teremos de aguentar essas promessas?  Ninguém torce contra,  se a fábrica vier, ótimo. Mas esses anúncios feitos de forma prematura vêm sendo tiro no pé de ex-prefeitos. Cautela faz parte do sucesso nos negócios não é mesmo?

Embate

Os vereadores Leandro Guerreiro (PSB) e Gustavo Pozzi (PR) voltaram ao embate na sessão de ontem. O motivo desta vez foi a pintura do Cristo da rotatória do Shopping. Pozzi elaborou um requerimento solicitando informações acerca do uso de um caminhão Munck da Secretaria de Serviços Públicos.

Embate II

Leandro se defende dizendo que suas ações já gerou uma economia de R$ 100 mil aos cofres da Prefeitura. Leandro Guerreiro perguntou sobre a implicância de Pozzi.

Embate III

Pozzi afirmou que o uso do caminhão Munck por Guerreiro foi ilegal e mostrou documentos assinados pelos secretários Mariel Pozzi (Serviços Públicos) e Coca Ferraz (Trânsito). “Se as suas ações estão acima da legislação, se as suas ações podem desrespeitar o Direito, aí... o seu problema é que o senhor faz juízo de valor; eu estou buscando aqui a legalidade”, disse Pozzi.

Embate IV

A única coisa que não foi legal nesse embate (na nossa modesta opinião) foi Guerreiro misturar a família, ainda mais a mãe do parlamentar do PR. Guerreiro disse que a mãe de Pozzi prestou serviços no gabinete do deputado federal Miguel Lombardi (PR) por alguns meses.

 A resposta

Pozzi confirmou que a mãe trabalhou como assessora de Lombardi, mas ele não era vereador e que a ex-assessora do deputado federal tem uma folha de serviços prestada à Oficina Cultural.

Até sexta 

A vida não é complicada como achamos, nem tão simples como dizem, ela é apenas como você faz ela ser...(Diego Éboli). Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo