NESTA QUARTA-FEIRA (14/11/18) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS: 

RADAR 1 – AV. TRABALHADOR SÃO-CARLENSE (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H; 

RADAR 2 - AV. TRABALHADOR SÃO-CARLENSE (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H. 

RADAR 3 - RUA JOSÉ BONIFÁCIO X RUA 1º DE MAIO (CENTRO/BAIRRO) – VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

Os protestos que ocorrem por todo o Brasil nesta sexta-feira (28), mostra que as forças sindicais, trabalhadores organizados, centrais, movimentos de lutas etc..., estão bem vivos. Em São Carlos a situação não foi diferente. Quase 20 mil participaram do ato que foi realizada na baixada do Mercado Municipal.

Eles não estão mortos, estão bem vivos II

Sindicatos organizados como Metalúrgicos, Servidores Públicos, Químicos entre outros, mostraram que ainda tem muita lenha para queimar. O protesto desta sexta nesta cidade considerada conservadora, serviu para mostrar que a população não está satisfeita com as reformas propostas pelo presidente Temer.

Eles não estão mortos, estão bem vivos III

Serviu para mostrar que a maioria dos trabalhadores ainda acredita na força do seu sindicato. Ninguém leva a toa quase 20 mil pessoas em uma sexta-feira para um protesto.

Positivo

Durante todo percurso dos trabalhadores nenhum incidente foi registrado, tanto para quem veio da região norte como a sul. Parabéns!

Negativo

O ponto negativo foi à questão do transporte coletivo. Os sindicalistas disseram que os motoristas e cobradores haviam aderido a greve, já a empresa disse que estava sendo impedida pelos sindicalistas de sair com os ônibus. A “vigília” dos sindicalistas na porta da empresa Suzantur durante toda a manhã, no nosso ponto de vista foi desnecessária. Vacilaram!

Passou da hora do censo

Nesta quinta-feira na Prefeitura de São Carlos aconteceu uma reunião  com representantes das secretarias municipais de Governo, Cidadania e Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda e Saúde, com o objetivo de dar início à construção de um protocolo de atendimento a moradores de rua da cidade.

Passou da hora do censo II

De uns tempos para cá é assustador o numero de pedintes em cruzamentos da cidade, na área central, região do cemitério etc...O que antes se via muito pouco, agora já é comum nessas regiões.

É muito mais

Dados da Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social registram que atualmente cerca de 40 pessoas frequentam o Centro de Referência para População em Situação de Rua (Centro POP).

É muito mais II

Esse número é bem maior, podemos dizer que dentro desses 40 estão aqueles moradores de rua já “conhecidos” na cidade. Hoje estima-se que entre pedintes, moradores de ruas e desocupados, possam haver na cidade mais de 200 pessoas.

Resultado

Bom voltando para a reunião, o protocolo desse encontro prevê inicialmente a realização de um censo para identificar quantos moradores em situação de rua realmente vivem em São Carlos. As propostas e a definição de novas diretrizes serão discutidas em novas reuniões. O próximo encontro acontece no dia 5 de maio.

O que ele estava fazendo lá

A fotografia desse encontro que foi distribuído pela Prefeitura sobre essa reunião, mostra presente na mesa de discussão, o ex-vereador Eduardo (Toy) Brinquedos. O que ele estava fazendo lá. Ou ele já não é mais superintendente da TVE ?

Centrão

Esta cada dia mais desanimador andar pelo centro comercial de São Carlos. Lojas e mais lojas fechando suas portas e fazendo daquela área um lugar sinistro.

Centrão II

O vereador João Muller publicou nas redes sociais um texto comentando seu ponto de vista sobre essa região. Muller resume seu ponto de vista com os seguintes questionamentos: O que fazer no Centrão? Quem devemos incentivar com sua frequência para serviços, consumo, diversão e lazer? Seria necessário criar um ambiente agradável, com sentimento de pertencimento da cidade? Teríamos, enquanto poder público que buscar atrativos para nossos moradores e visitantes? Destacar a relevância do passado na vida atual? E aí o que fazer?

Centrão III

Bom no passado tentaram fazer alguma coisa. Lembram do Boulevar? Pois o projeto todo, ficou apenas no papel. Uma pena agora a cidade amarga em ter uma região “rica” da cidade, vazia.

Centrão IV

E adiantamos, se tirar a Prefeitura Municipal do local ou região onde está, conforme é a vontade do prefeito Airton Garcia, o centrão morre de vez, podem esperar.

Quem foi então

O prefeito Airton Garcia disse essa semana na Rádio São Carlos que não foi ele quem fechou as UPAs. “Agora, dizem: se eu fosse prefeito, não fecharia UPA. Eu nunca fechei UPA. Quem fala que eu fechei UPA é caluniador, que não tem um pingo de noção das coisas. Eu nunca fechei UPA. Agora, os médicos não vão trabalhar, os funcionários chegam lá e não podem consultar, medicar, então fecham UPA por falta de médicos. Agora, vão à imprensa e jogam a culpa no prefeito, que tinha um TAC e não quis assinar. Quando a pessoa vem e fala isso, é malandragem. Querem fazer politicagem e jogar nas costas do Airton”, desabafou.

Quem foi então II

A fala de Airton foi uma resposta as declarações feitas por alguns vereadores, entre eles o presidente da Câmara, Julio Cesar que na sessão da terça-feira disse que se ele fosse prefeito as UPAs não estariam fechadas.

Cabe uma pergunta

Se não foi Airton Garcia quem fechou as UPAs é ele quem mantém as mesmas fechadas então concordam?

Contra ataque

No mesmo programa participava do bate papo o vereador Lucão Fernandes que disparou após a fala do prefeito: “Eu não vou permitir que o senhor me chame de malandro. Não vou ser indelicado e usar dessa falta de educação de chamar um gestor público de malandro. Não tem nenhum vereador desgraçado na Câmara”.

Abismo

Lucão continuou: “ O senhor não pode colocar esse abismo entre os poderes. Nos colocamos à disposição para te ajudar. Agora, se você não mudar essa forma de conduta, vamos nos recolher ao parlamento. Queremos te ajudar porque você fala algo que é correto. Você pegou uma cidade desgraçada, abandonada, em estado de morte. A Câmara está do seu lado para te ajudar. Hoje, não existe oposição ferrenha ao senhor. E se existe, ela nasce da sua base aliada, na sua casa”, comentou.

Clandestinos

A Internet e as Redes Sociais são ferramentas fantásticas de comunicação, mas também são um território sem lei. Não é necessário muito esforço. Basta alguns minutos de busca para encontrarmos serviços de táxi clandestinos em São Carlos.

Clandestinos II

Os serviços são oferecidos sem o menor pudor, à sombra da lei. Como curiosidade, consultamos junto a taxistas quanto se gasta para se trabalhar em São Carlos. Além das taxas, o veículo tem o seguro para passageiros em torno de R$ 5 mil. Se for cooperado, a mensalidade beira os R$ 1 reais, fora combustível, manutenção do veículo, entre outros gastos.

Quem fiscaliza?

E a fiscalização? Bem, fiscalização só existe mesmo para quem é legalizado. A última delas foi a aferição dos taxímetros pelo IPEM. Sim, a fiscalização é legal e necessária, mas não vimos ações efetivas de fiscalização das polícias e dos organismos de segurança, como Guarda Municipal e Agentes de Trânsito.

Como descobrir

E para montar uma operação que coíba os clandestinos é simples: basta vasculhar as redes sociais. São Carlos tem uma lei que proíbe a instalação do Uber. Aqui não entramos no mérito da legislação nesse momento. É um tema complexo e que necessita de muita reflexão, mas São Carlos instituiu uma espécie e Uber genérico, sem fiscalização e muito menos punição.

Fiquem atentos

Se os taxistas de São Carlos não se organizarem e exigirem fiscalização efetiva, a ilegalidade tende a tomar espaço. Pobre dos passageiros que, num infortúnio, não têm a quem se socorrer.

Bom feriado 

Quando o governo é justo, o país tem segurança; mas, quando o governo cobra impostos demais, a nação acaba na desgraça.(Provérbios). Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Comentário(s) 

+1
Aécim Pódemais | 03 Maio 2017
Quando o governo é justo, o país tem segurança; mas, quando o governo cobra impostos demais, a nação acaba na desgraça. Nos países nórdicos como Filnandia , Noruega , Suécia , Holanda etc . o imposto é nada mais nada menos que aproximadamente 68% do que o povo ganha e ninguém chia o problema ñ é pagar impostos , mas sim o que os governos lhes devolve. quanto ao vereador Julio Cesar , se ele fosse prefeito nem UPA existiria , ele junto com outros na gestão passada arrasaram a cidade.
+9
testemunha ocular | 02 Maio 2017
Segundo Lucão, Aírton pegou uma cidade abandonada, desgraçada, em estado de morte. Só não falou que ele e PMDB fizeram parte do governo Altomani e contribuíram para que o caos se instalasse na cidade. Ô gente medíocre, incompetente e venal! Usufruíram os carguinhos de confiança, indicaram e nomearam um batalhão de vagabundos, sabujos e indolentes, que só queriam mamar, e não assumem que ajudaram a espalhar a [...]. Sem falar que estão se oferecendo para o Aírton, porque têm muita gentalha para acomodar. Vade retro, coisa ruim, que seu tempo acabou!
-1
LUIZ ANDRÉ | 02 Maio 2017
PREFEITO, QUEM É O VEREADOR DESGRAÇADO QUE VOCÊ FALOU AO VIVO E O LUCÃO TE DEU UM COICE MERECIDO NA HORA? NA CÂMARA MUNICIPAL NINGUÉM É DESGRAÇADO NÃO.
+1
Jefeson | 30 Abril 2017
Negativo mesmo, além da vigília oportunista do Sindicado é ter que ler as notas emitidas pela assessoria de imprensa da Suzantur são carlos. Amadorismo puro e aquilo sim é incitar possíveis conflitos. O excelente advogado da concessionária precisa ficar atento para esses detalhes que comprometem a segurança dos funcionários.
-11
Pinóquio | 29 Abril 2017
Aonde tinha 20.000? Desafio a publicarem qual a metodologia utilizada para chegar neste número. Se realmente vocês tiverem coragem e credibilidade irão publicar e responder. Não se esqueçam que tem outros meios de comunicação para nos manifestarmos e questionar essa informação!
-6
cesar | 29 Abril 2017
Massa de manobra, porque os sindicatos não poderão mais cobrar a taxa(sindical) de imposição, na marra, sem consentimento, imposição e covarde. Não tenho que pagar o que não quero e para quem não me ajuda; as demais reivindicação são justas, mas proibir a sindicalização imposta, está correto, quem quiser de livre e espontânea vontade paga a taxa sindical.
+8
AGENTE DE TRÂNSITO | 28 Abril 2017
Responder uma coisa sobre a fiscalização de taxi clandestino a um mes atras foi impresso todos os anuncios de clandestinos denunciados pelos taxistas que estão regulares e os agentes de trânsito se propuseram a fazer a fiscalização mas foi impedida pela diretoria de transporte e pelo secretário coca e está la na mesa deles todos os anuncios impressos, se quiserem podem procurar os agentes na rua e perguntar e também verificar junto a secretaria, só tô respondendo pra defender os Agentes que nesse caso não tem culpa, pois foi dado ordem pra não fiscalizar.