NESTA TERÇA-FEIRA (13/11/18) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS: 

RADAR 1 – RUA RAY WESLEY HERRICK (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 - RUA RAY WESLEY HERRICK (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H. 

RADAR 3 - RUA DR. MARINO DA COSTA TERRA (BAIRRO/CENTRO) – VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H.

Nos últimos dias, o vereador Leandro Guerreiro (PSB) bate de frente com Marquinho Amaral (PMDB), que curte férias na Riviera de São Lourenço. Na terça-feira, Marquinho faltou à primeira sessão legislativa. Estava de férias com amigos. Primeiro, a ausência foi justificada. Disseram que o parlamentar estava resolvendo problemas pessoais, mas a verdade, como sempre, vem à tona.

Documento

Nos bastidores, ninguém soube explicar a Guerreiro o motivo da falta do vereador Marquinho. Dizem que na sala da presidência, o silêncio foi sepulcral. Na quinta-feira à noite, o vereador do PSB expôs, nas redes sociais, o documento da justificativa. A assinatura trêmula, divulgada por Guerreiro deixa dúvidas. Até nesta sexta-feira de manhã o vídeo já tinha quase 5 mil visualizações.

Palhaçada

Fazendo jus ao título, Guerreiro bota o dedo na ferida. Vale lembrar que as faltas de vereadores com a famosa frase: “justificou a ausência” nunca foram justificadas na acepção da frase. Já que é para mostrar transparência, fica uma ideia para o vereador: fazer um pedido à mesa diretora, quanto foi descontado do subsídio dos vereadores na última legislatura por faltas.

Caso

O ex-vereador Paraná, na legislatura passada, ficou muito doente, uma pena!. Muitas ausências foram registradas no período. Como a Câmara tratou essas ausências? O presidente da Câmara, Julio Cesar (DEM), cobra transparência. Infelizmente, no passado, não notamos nada disso.

Lembrando

O espaço está aberto ao vereador Marquinho Amaral, para rebater, caso julgue necessário os tópicos acima.

Patropi?

O chefe de Gabinete da Prefeitura, Ademir Souza e Silva, que soltou um ‘seje’ na entrevista coletiva, disse que não pode responder pelo passado, mas em todo o momento imputava a lambança da mudança de concessionária do transporte público à ex-administração tucana.

Falta

Por sinal, a coletiva da Prefeitura foi muito mal planejada. A imprensa foi recebida no saguão do Edifício Sesquicentenário. O procurador jurídico atrasou por 40 minutos e dava a nítida impressão de desconhecimento, em partes, do assunto transporte coletivo.

Não é só!

Oras! Na coletiva era imprescindível a presença do secretário de Transporte e Trânsito, Coca Ferraz, para explicar: qual é o modelo de licitação que a Prefeitura deve adotar? Qual é o modelo de transporte traçado por Airton Garcia? Bola fora!

Emergência

A situação de emergência, pelo visto, deve se tornar moda em São Carlos. Primeiro para o tapa-buracos. Até relatório da Defesa Civil já foi elaborado para respaldar a Prefeitura juridicamente. Agora, fala-se em situação de emergência na Saúde para se contratar uma Organização Social. Vamos verificar como o Tribunal de Contas encara tudo isso.

Sangrar

Médico revela uma estratégia que custamos a acreditar: a intenção é sangrar a saúde para contratar Organizações Sociais para todos os cantos, inclusive na Santa Casa.

Inadmissível, mas...

A coluna concorda que não é possível a Prefeitura pagar salário de R$ 89 mil para médicos plantonistas, mas quem trabalhou, precisa receber. E ponto!

Sinais

Os médicos dão sinais de diminuírem o ritmo de atendimento. A portaria do Ministério da Saúde preconiza 48 consultas por plantão de 12h. Hoje, num plantão ‘bombado’, a UPA da Vila Prado recebe 400 pacientes em 24h.

Nota

“Sem pagamento desde novembro do ano passado e buscando tentativas de negociações, simplesmente somos, repetidas vezes, enganados pela administração municipal com falsas datas e informações inverídicas sobre o nosso pagamento. Sob a alegação por parte das autoridades municipais de ilegalidade do regime salarial vigente há anos, simplesmente não temos perspectivas de recebimento pelo trabalho realizado nesse período em que prestamos serviços à população”, revela a nota dos médicos.

Bom final de semana

 

O primeiro método para estimar a inteligência de um governante é olhar para os homens que tem à sua volta.(Maquiavel). Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Comentário(s) 

+6
Decepcionado!!! | 21 Janeiro 2017
Nossa... Íamos pedir ajuda para o Guerreiro a respeito de melhorias no transporte coletivo, mas depois dessa declaração, vejo que estamos todos lascados!!!! Perdemos o nosso voto duplamente...!!! Tanto para prefeito quanto para vereador.... É... o jeito é ir embora para Ibaté ou outra cidade onde o respeito pelos cidadãos existe.... Decepcionadíssimo com tudo e todos...
+16
Dedo na Ferida II | 21 Janeiro 2017
Ele questiona como o Marquinho vai presidir a comissão de Ética da Câmara.
Ai eu questiono, como senhor "guerreiro" vai presidir a comissão de transportes se ele é FUNCIONÁRIO do mega empresário dono de jornal e EMPRESAS ( empresas no plural mesmo) de ônibus, porque ele nunca questionou o contrato emergencial da referida empresa. Traidor, esse rapaz vai decepcionar muita gente, começando pelo nome, mudou o nome, sempre foi Word Dance, mas a máquina engoliu ele e mudou ate de nome.
+11
dona Jupira | 20 Janeiro 2017
vesguinho raçudo ou traque de salão?
+11
Replay | 20 Janeiro 2017
Bom, primeiro que em São Carlos não tem mais carfo de procurador geral (somente procuradores concursados) assim, não se qual a legitimidade desse Ademir. Quanto a estado de emergência, só se for pela falta de competencia para licitar. Agora imagina, se não conseguem dar início a uma licitacao de RECAPE ( tapa buraco é jogar dinheiro fora), imagina contratar OS para a saúde. Mais uma vez, acho q veremos um monte de trapalhadas. Prefeito bater boca com servidor na rádio já mostra o despreparo. O anterior bateu boca com o motorista da atenas
+13
Servidor | 20 Janeiro 2017
O Diário Oficial de 20 de janeiro de 2017 vai ficar na história de São Carlos. Não pela péssima e quase indecifrável redação dos Decretos, que, inclusive, "criaram" duas Secretarias (vide artigo 7º, do Decreto 15/2017), mas pelo alto teor de irresponsabilidade e autoritatismo de suas prescrições. O Governo Municipal, por meio de um Decreto, ato unilateral e desprovido de qualquer fiscalização externa, suspende a eficácia de inúmeros contratos, violando regras e princípios básicos do Estado de Direito, como ato jurídico perfeito, segurança jurídica, previsibilidade, entre outros.
+5
nelson | 20 Janeiro 2017
Quero parabenizar o vereador Leandro, ja esta mostrando trabalho e a transparência no legislativo, será que os outros 20 nobres edís, terão a mesma coragem ou irão se curvar, até o Presidente da Camara terá que mostrar a sua imparcialidade e dignidade, parabens Leandro
+10
Observador | 20 Janeiro 2017
E não é que o chefe de gabinete da habitação já deu folga de uma semana para um fiscal sem que seja necessário compensar sua ausência? Isso é coisa boa?
0
Joaquim | 20 Janeiro 2017
Estou orgulhoso do Guerreiro trazendo a tona toda sujeira destes vereadores antigos,mt boa a sugestao da coluna qt as faltas na camara na gestao anterior,este vereadorzinho tem muita coisa por tras dele,sempre digo aqui se faz aqui se paga!!!!# Da lhe Guerreiro.