NESTA SEXTA-FEIRA (14/12/18) OS RADARES MÓVEIS ESTARÃO NAS SEGUINTES VIAS: 

RADAR 1 – RUA CORONEL JOSÉ AUGUSTO DE OLIVEIRA SALLES, PRÓXIMO AO SESI - CENTRO/BAIRRO - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 2 – RUA CORONEL JOSÉ AUGUSTO DE OLIVEIRA SALLES, PRÓXIMO AO SESI - BAIRRO/CENTRO - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 50 KM/H; 

RADAR 3 – AVENIDA GETÚLIO VARGAS OPOSTO AO GINÁSIO MILTON OLAIO FILHO - CENTRO/BAIRRO - VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 M/H.

 

 

Na semana passada, as entidades de assistência social foram à porta da Prefeitura e protestaram contra a falta de repasses de recursos, o que implica em atraso dos pagamentos dos servidores. É sabido que diversas entidades fazem o papel de creches e atendem a centenas de crianças carentes. Sem elas, muitos pais não têm condições de prestar serviços à comunidade. Consequentemente, fecharão as portas. 

E agora? 

Por que colocamos no título o seguinte questionamento: E agora, Guerreiro? Simples. O vereador eleito Leandro Guerreiro é um crítico feroz das emendas parlamentares. Infelizmente, por um sistema político viciado, centenas de entidades passam o pires nos gabinetes dos vereadores em busca de recursos para tocarem os serviços. Será que Leandro Guerreiro teria uma solução? 

Fiscalização 

Se as emendas parlamentares forem extintas, assim como quer o vereador eleito e o prefeito do seu partido, Airton Garcia, é preciso conhecer qual seria o mecanismo ideal de se tocar uma entidade. Os eleitores de ambos são compostos de famílias carentes, que dependem das creches, como ficariam os dois perante aos eleitores? 

Controle 

O que precisa ser exterminado é o uso político das emendas parlamentares. É inadmissível que pessoas travestidas de bons samaritanos usufruam das emendas parlamentares ou as usem a se bel prazer. É preciso controle e fiscalização. Se conseguirem isso, é um bom passo. 

Rachadura 

É preciso acionar a Defesa Civil para conter a rachadura no grupo de Airton Garcia, que pode desmoronar a qualquer momento. Agora, quem expõe os bofes é Azuaite França, vereador eleito e presidente do Centro do Professorado Paulista. 

Motivos 

Comenta-se nos bastidores que Nino Mengatti, candidato à Prefeitura de Araraquara e que não conseguiu 9 mil votos, poderia ser o secretário de Educação. 

Consulta 

Na visão de Azuaite França, se não houver uma consulta ao Centro do Professorado Paulista (CPP), a entidade – leia-se Azuaite – está fora da base de apoio a Airton Garcia. 

Fissura 

Ainda sobre o grupo de Airton Garcia, não convidem Luiz Luppi e Edson Ferraz para um cafezinho. Luppi revelou que a briga começou após Ferraz querer realizar a Copa São Paulo de Futebol Júnior em São Carlos, mesmo diante de tantas dificuldades financeiras. 

Desabafo 

Segundo Luppi, uma cidade com as contas quebradas não pode discutir Copa São Paulo. “É claro, não vamos viver apenas de injeções, o lazer se faz necessário, mas quando pudermos. Copa São Paulo traz esquemas com transporte, hotelaria, alimentação... tudo custa. Agora, temos que pensar no esquemas para o social, para as creches, para as internações compulsórias”, frase forte, não acham? 

Mal na fita 

Ainda sobre o grupo de Airton Garcia da parte do vice Giuliano Cardinali, quem está mal conceituado é o vereador eleito João Muller. Por causa da amizade dele com Edson Ferraz e Edson Fermiano, estão dizendo que o político faz parte do esquema.

Veja bem... 

Interessante é a atitude da Prefeitura. Exonerou vários cargos de confiança e depois reviu a questão. Ou seja, os cargos foram mantidos. O que não faz um compromisso político. 

Até sexta 

Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar. (Machado de Assis). Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 



Comentário(s) 

+7
cesar | 18 Novembro 2016
Assunto em vão. O novo prefeito prometeu creches, escolas, asfaltar a cidade inteira, remédio a vontade, postos de saúde em todos os bairros, escolas, uniformes ,merenda, etc; e isso vai acontecer porque o vereador Leandro Guerreiro vai fazer cumprir, segundo eles disseram. Então fechem as entidades de assistência social, não precisa mais, coisa do passado. O Prefeito e o vereador se comprometeram a assumir tudo, entidades é coisa do passado, para que verba. É o minimo que eles tem a fazer, cumprir promessas de campanha, o Cidade Aracy agora será um bairro de primeiro mundo, assim espero.
+3
Fora Araraquarenses | 18 Novembro 2016
notícia que me deixou indignado:- trazer arqui-inimigo araraquarense para chefiar Secretaria de Educação com tanta gente gabaritada disponível e competente trabalhando nos dois campi de universidade pública que possuímos nesta cidade é uma bofetada na cara do povo sancarlense.Por favor Airton, não deixe isso acontecer!
+9
MANÉ | 17 Novembro 2016
O governo Ayrton Garcia nem começou e os urubus já estão brigando pela carniça, ou Ayrton dá um murro na mesa e mostra quem manda agora ou seu governo ficará inviabilizado como ficou o governo de Altomani, que virou refém dos malandros mamadores.
+3
Aécim Pódemais | 17 Novembro 2016
Realmente Leandro , as entidades não podem se viciar em verbas públicas , elas tem que se mexer e conseguir suas verbas no setor privado pois eles se contribuírem tem os descontos do imposto de renda , mas como no BRASIL todo empresário é esperto e sonega , isso não interessa.
+3
Eu | 17 Novembro 2016
Na boa, o editor deste site está defendendo tanto essas emendas parlamentares que nos faz pensar que é alimentado por elas. Ou estou enganado? Elas são sim um câncer na política e devem ser extintas. As instituições que delas necessitam não as deveriam necessitar, e sim buscar outras formas de financiamento, como o colega comentou anteriormente. Teoricamente, a prefeitura deixando de repassar estes milhões para a câmara, poderá direcionar o dinheiro para estas instituições. Sendo assim, vai complicar a vida desde portal, já que receber diretamente da prefeitura será bem difícil. Né?
+1
cidadã | 17 Novembro 2016
Concordo plenamente com o guerreiro, quem fiscaliza essas entidades? Sabemos do comprometimento de algumas, mas sabemos que outras são simplesmente cabide de emprego. Alguém já teve acesso a folha de pagamento dessas entidades, pra saber quanto está sendo pago e pra quem? Essas entidades deveriam ser obrigadas a ter algum tipo de portal de transparência para que pudéssemos saber onde e como esses recursos estão sendo empregados. Afinal de contas o dinheiro utilizado é publico.
+10
oráculo político | 16 Novembro 2016
Quando a coluna comenta esquemas, não pode esquecer o esquema conspiratório entre marquinho e lucão, que querem trocar Rodrigo por júlio soldado na diretoria da câmara. Rodrigo conhece toda a verdade sobre os esquemas e j.soldado está sendo investigado pela Polícia Federal. As reuniões de marquinho, lucão e júlio em locais distantes do centro político indicam que eles querem sigilo, mas já foram descobertos. Se a troca se efetivar, marquinho e lucão podem se ver às voltas com a Polícia Federal. Aí, bem, aí, a casa cai de vez. Aguardem! Esse assunto deve interessar, também, ao Ministério Púbico.
+6
Leandro | 16 Novembro 2016
Eu estou com o Guerreiro. As emendas parlamentares não deveriam existir. Vereador não foi eleito para direcionar verba para nada, foi eleito para discutir leis municipais e fiscalizar o executivo.

As entidades, por sua vez, não podem se basear em verbas públicas, pois isso é uma forma de terceirização do dever da prefeitura com pouca transparência. É preciso uma política pública e regras claras para o uso de ONGs e instituições privadas como provedoras de serviços públicos, e isso deve partir do executivo, não do legislativo.

Defender a manutenção de emendas parlamentares é, em sua medida, defender uma parte da política com p minúsculo, que a sociedade tem se manifestado contra já há algum tempo.