Av. Morumbi
(sentido Centro/Bairro)
50 km/h
Av. Morumbi
(sentido Bairro/Centro)
50 km/h
Rua Cel. José Augusto de Oliveira Salles
(sentido Bairro/Centro)
50 km/h

Em entrevista publicada pelo Jornal Primeira Página deste domingo (06), o prefeito municipal Airton Garcia, fez um balanço do primeiro semestre de 2017, seus primeiros meses de administração. Airton disse que a prioridade foi de acertar as contas e recuperar o nome da Prefeitura de São Carlos. “Foram meses muito intensos, não perdemos nenhum dia. Todos os dias nós lutamos de cedo até à noite, mas nós conseguimos colocar a vida financeira da prefeitura em dia”, disse o prefeito.

Quando recebeu o balancete do último bimestre de 2016, Airton Garcia afirma ter constatado o caos que se encontrava as dívidas da cidade. R$ 100 milhões em compromissos de curto prazo, com fornecedores, prestadores de serviços, empreiteiras e R$ 198 milhões com a dívida consolidada. Capacidade de investimento inexistente e uma rede de serviços públicos a ser oferecida ao cidadão contribuinte.

A decisão administrativa tomada foi buscar o equilíbrio das contas públicas municipais no primeiro ano, para investir, melhorar os serviços públicos e criar capacidade de novos investimentos nos próximos anos. “Era preciso tomar uma decisão. Nós tiramos a cidade do Serasa como fala o povão. Com as contas em ordem, a prefeitura está preparada para pleitear novos recursos e fazer investimentos”, disse Airton Garcia.

Airton disse na entrevista que passado sete meses de governo, o que conseguiu fazer até agora foi manter o básico e ainda que com deficiências, os serviços essenciais à população. A administração de Airton pagou, entre dívida de curto prazo e longo prazo, próximo de R$ 75 milhões.

Manteve a política de valorização das receitas próprias (IPTU, ISS e ITBI), lançou REFIS e já arrecadou R$ 5 milhões. Outra receita veio da venda da folha de pagamento, no valor de R$ 6,6 milhões. A prefeitura afirma que tragédia só não ficou pior porque em julho o município atingiu a marca de R$ 400 milhões arrecadados, o que significa 8% a mais do que exercício anterior. Destaque especial para o incremento na arrecadação de ISS (Imposto Sobre Serviços).

A administração afirma que, em contrapartida, está reduzindo despesas com um forte controle nas autorizações de gastos. O prefeito determinou o contingenciamento de R$ 31,5 milhões, ou seja, 5% da previsão de receita anual. Isso significa está havendo um rígido controle no emprego de novas despesas.  “O controle é difícil, os secretários tem suas demandas normais, mas em todas as nossas reuniões deixamos claro a necessidade de economizar”, disse o prefeito.

A orientação a Secretaria da Fazenda é tentar fechar 2017 com 70% a menos de despesas empenhadas para o exercício seguinte. Nos últimos anos do governo anterior, os empenhos/déficit estiveram próximos de R$ 100 milhões. 

 

Para aliviar as contas mensais, a Secretaria Municipal de Fazenda conseguiu a Certidão Negativa de Débitos (CND) e fez a repactuação dos débitos junto ao INSS, e reduziu o valor de R$ 1 milhão/mês para R$ 250 mil/mês. O passivo deixado pela administração passada foi de R$ 50 milhões de INSS. “Todas as ações tem nos auxiliado a manter o equilíbrio entre receita e despesas. Essa associação faz com que o município hoje, não tenha dívidas com nenhum fornecedor, os encargos trabalhistas e precatórios estão em dia e isso possibilitou ter a CND, o que nos deu muito orgulho”, afirmou Mário Antunes, secretário de Fazenda. (Com informações do Jornal Primeira Página)



Comentário(s) 

+4
Mario | 09 Agosto 2017
A mesma ladainha do Altomani ou seja a incompetência é a mesma, Airton e Altomaniaco dis[...]m cabeça a cabeça qual é o pior prefeito da história de São Carlos.
-12
Joca | 07 Agosto 2017
Airton está no caminho certo, tem tudo para nos próximos anos fazer São Carlos prosperar como nos tempos do Newton Lima
+9
cesar | 07 Agosto 2017
Agora eu pago imposto em dia e não tenho nada da prefeitura, saúde tenho que pagar plano de saúde, escola tenho que pagar, buracos quebrou meu carro, segurança zero tem que pagar privada, mato em toda parte. Quando alguém assume e promete tudo, tem antes que saber a situação do caixa. Precisamos criar o crime de estelionato eleitoral, com penas severas para evitar o que vemos sempre, mentiras na eleição,após chororo e zero de cumprir o prometido.