Av. Trabalhador São-Carlense
(sentido Centro/Bairro)
60 km/h
Av. Trabalhador São-Carlense
(sentido Bairro/Centro)
60 km/h
Av. São Carlos
(sentido Centro/Bairro)
60 km/h

Urna eletrônica na aceita desaforo. E quem vive de passado é museu. Acho que essas duas frases sintetizam a segunda derrota do PT em menos de dois anos em São Carlos. O PT de São Carlos fez muito pela cidade. Mas o fez é verbo conjugado no passado. Pode parecer incrível, mas apesar de toda a liderança que emana do deputado Newton Lima, o PT de São Carlos perdeu a eleição para a própria arrogância.

Fuga

Não adianta dizer, ah! o Newton Lima Lima trouxe R$ 62 milhões em recursos para São Carlos. Muito bem, está de parabéns. Mas faltou outras coisas essenciais. Uma delas foi o contato com a base.

Cadê

Dizer que o deputado Newton Lima estava trabalhando em Brasília, daí a distância das bases não é desculpa aceitável. Que tinha assessores cuidando disso pra ele, é desculpa esfarrapada. Deputado tem de ter assessor trabalhando por ele, mas a presença do deputado nas bases não tem preço. E Newton distanciou-se das bases.

Dependência

Newton Lima foi pouco visto em São Carlos, não reuniu lideranças que efetivamente tem voto. Apenas dois vereadores se engajaram na sua campanha. Roselei Françoso e Ronaldo Lopes. Lineu Navarro tem sido pouco visto em São Carlos nos últimos tempos.

Arrogância

Newton Lima teve excesso de confiança. Acreditava em 150 mil votos, teve 32 mil a menos que os 110 mil recebidos em 2010.  Falar que os escândalos petistas atrapalharam a votação é besteira. Se tivesse a mesma votação da eleição passada, seria eleito com os pés nas costas. O eleitor, hoje, vota mais no candidato que no partido.

Ficha

Falar que essa história de ficha suja atingiu a sua votação é relativo. Pode ter influenciado em outras cidades, em São Carlos, o deputado manteve a mesma média de votação

E o Lobbe?

Lobbe Neto cercou-se de virtudes, apesar de ter gasto muita energia com essa história que o Newton Lima era ficha suja. Primeiro, reuniu ao seu lado a maior liderança política de São Carlos, o vereador Marquinho Amaral.

Nas costas

Marquinho trabalhou e muito pelos seus candidatos – Lobbe e Massafera. Além disso, o ex-deputado trouxe consigo um terço da Câmara de Vereadores para o seu apoio. Além de Marquinho, Rodson, Zé do Mato, Júlio César, Maurício Ortega, Paraná e Catharino foram alguns deles que trabalharam pelo candidato.

Região

Lobbe obteve maior votação que Newton em Ibaté (4.583 a 2.708) Descalvado (1.065 a 812), Porto Ferreira (1.300 a 166), Itirapina (1.326 a 520), Dourado (802 a 336), Analândia (599 a 97), além da própria São Carlos (36.721 a 34.427). O petista só levou em Ribeirão Bonito (1.298 a 412).

Mais

Lobbe também surpreendeu e bateu Newton na capital (5.020 a 3.391). Já nas cidades importantes próximas a São Carlos o tucano superou o atual deputado em Matão (1.842 a 73), porém Lobbe ficou atrás em colégios eleitorais maiores como Ribeirão Preto (615 a 1.717), Araraquara (956 a 1.409) e Jaú (218 a 985).

Geral

Lobbe venceu o adversário político por 77.793 votos contra 74.598. O candidato do PSDB também está melhor colocado entre os suplentes da coligação que ainda reúne o DEM e o PPS: é o segundo nome. Já Newton é apenas o sétimo colocado na suplência na coligação PT-PCdoB.

Fator Scardoelli

A queda expressiva da votação de Newton Lima pode ser explicada, em parte, em algumas cidades. É o caso de Matão, onde o ex-prefeito local Adauto Scardoelli, também do PT, concorreu igualmente a deputado federal com apoio forte de Edinho Silva, ex-prefeito de Araraquara. Em Matão foram apenas 73 votos. Até o reeleito petista Arlindo Chinaglia teve mais votos que seu 'companheiro' em Matão, com quase 400 votos.

Água no chope

Em Ribeirão Preto, onde obteve ótima votação há quatro anos, Newton foi superado até pelo candidato de Matão, Adauto Scardoelli (2.065 a 1.717).

Rio Claro

Newton Lima também obteve quatro vezes menos votos que em 2010 em Rio Claro, onde tem o apoio da vice-prefeita Olga Salomão (PT).

A coluna não fala do Altomani hoje?

Claro que vamos falar das estripulias do prefeito Paulo Altomani, que subiu a um caminhão de som no último sábado para pedir votos para Alckmin e Aécio, provocou eleitores e cabos eleitorais.

Baderneiros

A torcida do São Carlos Futebol Clube foi chamada de baderneira pelo prefeito. O fato foi, inclusive, relatado pelo vereador Walcinyr Bragatto na sessão de ontem.

Mensaleiros

Além disso, o nobre prefeito de São Carlos provocou cabos eleitorais do PT, chamando-os de mensaleiros e dizendo que eles eram os responsáveis por ter pego uma cidade quebrada.

Puxão de orelha

O vereador Bragatto criticou na sessão de ontem a postura de prefeito Paulo Altomani durante carreata tucana, realizada no sábado. Bragatto, além de exigir compostura, exigiu respeito do prefeito para com as pessoas.

Não terminou

Para concluir as Vídeos Cassetadas Verbais do prefeito, ele bateu boca com o juiz eleitoral Vilson Palaro Júnior, após a queda de uma eleitora, em santinhos espalhados na porta do Luís Augusto de Oliveira.

Guião

Na escola Álvaro Guião, o juiz e o prefeito se cruzaram. O juiz cobrou limpeza das escolas que serviram para a votação dos eleitores, uma vez que o episódio envolvendo a eleitora, foi parar em rede nacional.

Cobrança

O juiz eleitoral foi cobrado pelo Tribunal Regional Eleitoral para tomar providência, já que o caso ganhou destaque nacional. "A Globo filmou tudo", dizia o juiz.

E o prefeito?

O prefeito, então, disse. Manda a Globo ir filmar as cirurgias eletivas que nós fizemos. Ora, o que uma coisa tem a ver com a outra!

Não falamos?

Essa coluna denunciou as trairagens do PTB e foi vítima de muitas calúnias. Disseram que tudo o que falamos era mentira, que o Campos Machado seria bem votado, e blá, blá, blá!

Pois bem

O candidato, que havia recebido 1.200 votos na eleição passada, agora recebeu 386. E aí, senhores? Teve trairagem ou não! Falamos aqui que lideranças do partido pediram votos para no mínimo quatro deputados estaduais, fora Campos, e três federais.

Não foi bem assim

Na coluna da sexta-feira passada informamos que João Muller, foi escarrado da mesa de debates de uma emissora de rádio. Segundo informações obtidas pela coluna Muller era o único da mesa que não escondia votar em Dilma.

Não foi bem assim II

Pois bem, na terça-feira à noite, recebemos a ligação do Gérson Edson de Toledo Pizza o Juquita da Rádio Intersom FM e âncora do programa Intersom Debates, da qual Muller participava regularmente. Juquita nos disse que a informação divulgada não era verdadeira. Ele nos disse que foi o próprio Muller quem pediu para se afastar por uns dias a fim de se dedicar a campanha do deputado Newton Lima. Feito o registro Juquita.

Não foi bem assim III

Olha como estamos ficando importantes, até o Juquita está ligando pra gente. Eita...

Porrada

O presidente da Câmara Municipal de São Carlos, vereador Marquinho Amaral (PSDB), desceu o porrete na Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano que não estaria atendendo as demandas do setor imobiliário são-carlense.

Porrada II

Marquinho lamentou que projetos importantes para a cidade estejam parados aguardando o parecer e a aprovação por parte da Secretaria. "Não podemos conviver com os desmandos, a falta de atendimento, a inércia, a incapacidade que assola a Secretaria de Habitação". Lógico que o recado tinha como alvo a secretária Lauanna Campagnoli.

Hummm

E o vereador Aparecido Donizete Penha (PPS) apresentou um requerimento na sessão desta terça, 7, pedindo a criação da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que tem por objetivo esclarecer dúvidas sobre a prestação de contas do convênio 018/2013 celebrado entre a Prefeitura de São Carlos e a Associação Corpo e Alma.

Hummm II

Segundo o vereador, se existem dúvidas sobre a questão do convênio é fundamental que a Casa de Leis esclareça a verdade. "É função do vereador investigar e acompanhar o andamento dos trabalhos, por isso propus essa CEI para que a verdade seja apurada", salientou.

Hummm III

Olha se for verdade tudo o que estão falando a respeito desse convênio, hummmm a coisa vai feder. Vamos aguardar.

Ele voltou

E o fiscal Wilson do Meio Ambiente, voltou ao seu posto de trabalho. Depois de ser penalizado e ter sido transferido, por capricho político da Administração, para atender telefone em Água Vermelha, ele retornou oficialmente para a Coordenadoria do Meio Ambiente.

Ele voltou II

A cidade tem apenas dois fiscais ambientais, um é o Wilson. O promotor do Meio Ambiente Marcos Funari foi quem "recomendou" a Prefeitura a colocar o fiscal em sua devida função. Ponto para o promotor e mais um comida de bronha da Administração.

Até sexta-feira

O homem nasce sorrindo, vive fingindo, cresce traindo e morre mentindo... Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo