Nesta terça-feira (24), os radares móveis estarão nos seguintes locais: 

RADAR 1 – Av. Getúlio Vargas (Centro/Rodovia) velocidade máxima permitida de 60 km/h; 

RADAR 2 – Av. Getúlio Vargas (Rodovia/Centro) velocidade máxima permitida de 60 km/h; 

RADAR 3 – Av. Comendador Alfredo Maffei (região da chaminé) velocidade máxima permitida de 60 km/h.

A coluna pretende encerrar com essa história de greve dos servidores. Isto é: se não houver casos de retaliação aos grevistas, conforme ventila-se por alguns cantos da administração pública. Quem ouve o Dr. Waldomiro, conhecido pelos amigos como Wardô, falando que a negociação exitosa, mal sabe os perrengues dos bastidores, inclusive em Campinas, mas nós fazemos questão de contá-las.

Paciência

É bom deixar bem claro neste espaço. O desembargador Henrique Damiano, do Tribunal Regional do Trabalho, teve uma paciência de Jó para conduzir as negociações, tendo em vista que a Prefeitura chegou a Campinas com a proposta de 7% no salário e 7% no tíquete. E a administração Altomani não queria papo. Era isso ou a barra dos tribunais.

Paciência II

O desembargador e a procuradora do Trabalho, Adriana Bizarro, chegaram a sugerir uma segunda reunião, caso contrário o julgamento da greve seria só em julho. E até lá... só Deus sabe o que aconteceria.

Intransigência

Depois de duas horas e algumas ligações telefônicas, a Prefeitura cedeu e ofereceu R$ 140 no tíquete de alimentação mais os 7% de reajuste. E a proposta foi apreciada e votada pelos servidores. A greve acabou.

Lição

A greve afetou os dois lados da moeda. Como disse o pedreiro Pedrão, do Saae, os servidores saíram machucados da greve. Para conseguirem um reajuste no mínimo decente paralisaram parcialmente alguns serviços, a população chiou bastante, mas o prefeito Altomani saiu sangrando, pois naquela desastrosa entrevista coletiva, mostrou o seu lado turrão e teimoso de negociar com os servidores.

E se a greve continuasse?

Marquinho Amaral, o presidente da Câmara, deixou claro nos bastidores: se a greve continuasse, na sessão de ontem não seria votado um projeto sequer. A greve branca permaneceria no Legislativo.

Fura fila

Enquanto muitos empreendedores imobiliários esperam na interminável fila da competentíssima secretaria de Habitação para a aprovação de projetos, um político da esfera estadual, que adora dizer que tem raízes em São Carlos, tem um projeto vultoso a ser aprovado na Marginal.

Fura fila II

Um engenheiro que estava encostado nas administrações passadas, está com o projeto embaixo do braço e, para puxar o saco, disse que vai cuidar pessoalmente da aprovação. Doa a quem doer.

Debandada

Tocamos o pau no João Muller na coluna retrasada, mas aqui é bom fazer um adendo. João Muller foi quem articulou o PTB para a eleição de dois vereadores - Sérgio Rocha e Catharino. Agora, muita gente trazida por Muller está batendo em retirada, pois sacaram a estratégia de Catharino. Conseguir muitos candidatos com menos de mil votos para garantir a sua eleição.

Falando nele

Falando no Muller, a quantas andas a situação do Pros em São Carlos? Ninguém fala mais nada, não existe nenhum comentário.

Ovos

Estamos apurando a história de um político que fez política com 40 caixas de ovos de Páscoa daqueles que foram distribuídos aos alunos da Rede Municipal de Ensino. Vergonhoso!

Recado

Júlio Soldado, o senhor conquistou o respeito da imprensa séria de São Carlos por não fugir do confronto e responder a qualquer questionamento. Porém, o senhor toma o caminho errado ao ser flagrado descendo do elevador com os irmãos metralha. Curiosamente, logo após, surgem perguntas direcionadas ao ataque político. Esperamos que isso não faça parte de um teatro, afinal a imprensa não é feita de otários.

Aliás...

Está coluna está observando atentamente o investimento em uma mídia impressa de baixa circulação nos últimos meses para tirar as suas conclusões sobre determinadas aquisições no aspecto profissional.

Canequinha

Depois de 17 dias sem água em parte do Aracy, o vereador Paraná revelou que para tomar banho de canequinha, precisou buscar um tambor de água em outro bairro. É o fim!

Nervo

O vereador Lineu Navarro puxou a orelha da Secretaria de Comunicação. É que o Complexo Esportivo José Luiz Rocha, no Santa Felícia, tem grana do ex-deputado Ricardo Berzoini (emenda parlamentar) e a assessoria esqueceu do detalhe. E mais: o vereador deu uma aula. Disse que a Caixa é o agente financiador e não deu dinheiro, assim, na boa, para a Prefeitura. Será que fizeram de tudo para esquecer o empenho do Lineuzinho? Justo agora que o Paulinho Sopinha tornou-se o melhor amigo do petista!

1º de maio

A Secretaria de Trabalho, Emprego e Renda, realizou com sucesso a Festa do Trabalho no feriado de 1º de Maio na Praça do Mercado Municipal. Além dos shows musicais, o evento promoveu diversas atividades de prestações de serviços e entretenimento à comunidade. Os organizadores, liderados pelo secretário Hilário Apolinário de Oliveira, conseguiu, mesmo com a greve dos servidores públicos, fazer com diversas lideranças sindicais da cidade, passassem pelo palco do evento para enaltecer a data. Hilário e sua equipe mostrou, com este evento que tem jogo de cintura para lidar com adversidades partidárias. Parabéns a todos.

Não quero, não quero e não quero...

Na coluna passada citamos que o vereador Maurício Ortega, morria de vontade de ser secretário de Educação. Erramos, o homem ficou uma fera e disse a esse colunista que não tem vontade e nem o desejo de assumir a referida pasta. "Fui eleito pelo povo para ser vereador e não secretário, além de não querer eu nem posso assumir uma pasta dessas". Tá registrado.

Pense

"Você nasce sem pedir e morre sem querer. Aproveite o intervalo!" Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo