Av. Trabalhador São-Carlense
(sentido Centro/Bairro)
60 km/h
Av. Trabalhador São-Carlense
(sentido Bairro/Centro)
60 km/h
Rua Joaquim Rodrigues Bravo
(Centro/Bairro)
50 km/h

Dias após a vinda de Aécio Neves a São Carlos, surge essa imagem nas redes sociais. A de um caminhão-pipa tentando adentrar à sede da Abasc, sede do encontro tucano. Ninguém pode provar nada, afinal o motorista, ao perceber o flagra, deu meia volta volver e caiu fora, mas a nossa mente sugere muitas hipóteses para a presença do caminhão-pipa na porta da Abasc.

Será?

Será que o motorista foi dar um rolezinho? Afinal rolezinho está na moda! Ou foi perguntar se o baile do jeans tem volta? É bem provável que não! O baile já era. Será que foi buscar água da lagoa da Abasc para abastecer a cidade? Bem provável que não. Aquela água não é própria para consumo. Ou será que depois de um dia de muito trabalho, o caminhão foi refrescar-se nas piscinas do clube? Difícil, hein! Diante de tantas hipóteses, não acreditamos em algo ilícito. E você?

Pensamento

O poder nos leva a perder a noção do que é certo e errado. Do que é público e privado. Tem muita gente nessa cidade que precisa pensar bem nisso.

Municipalização

São Carlos aprovou a Atividade Delegada, uma iniciativa que pretende colocar mais policiais militares nas ruas. Agora, a Prefeitura lança a ideia de armar a Guarda Municipal.

Municipalização II

Duas medidas que podem soar bem politicamente num primeiro momento, contudo precisamos adotar um outro viés na análise dos fatos. A Atividade Delegada nada mais é que empurrar uma atribuição do Governo do Estado, que tem o dever de remunerar bem o seu policial, mas não o faz. Como o policial ganha uma porcaria, joga-se a batata quente para os municípios darem uma "gorjeta oficial" para o policial trabalhar em seu horário de folga.

Armas

Agora, a Prefeitura de São Carlos estuda a possibilidade de armar a Guarda Municipal, que quando foi criada tinha o propósito de ser uma guarda cidadã. Ou seja, a Prefeitura corre o risco de assumir outra atribuição: de oferecer segurança, que, repetimos, é um dever do Estado. Tá tudo errado.

Por falar em guarda...

No final do governo Barba abriram uma sindicância para apurar uma imagem de um guarda municipal que, em horário de serviço, apontou uma arma para um mendigo. Ao que consta, a ação foi gravada por câmeras instaladas na região do Mercadão e até hoje nada foi feito.

Por falar em mendigos...

As seguidas denúncias da imprensa sobre a presença maciça de moradores de rua em São Carlos trouxe alguns efeitos para cargos de confiança. Jean, chefe da Divisão de Políticas de Atendimento à População em situação de rua e Celso Luiz, o Celsão Tonelada, foram exonerados da secretaria de Cidadania e Assistência Social. Será que só os cargos são culpados da proliferação de moradores de rua em São Carlos?

Investigação

Há informações que problemas no Bolsa Família podem trazer novidades interessantes em breve. Vamos aguardar as apurações.

Armação ilimitada

Falta aproximadamente 1 ano para as eleições da Mesa Diretora da Câmara e o PMDB quer porque quer a presidência da Câmara. Falaram em Lucão Fernandes, agora falam em Laíde Simões. O dr. Edson também quer a presidência, mas não é do PMDB, logo trabalha calado.

Armação ilimitada II

Cotrim tem um sonho: ser diretor administrativo da Câmara. Como ele mesmo diz pelos cantos "um homem abandonado é capaz de muitas loucuras". Rodrigo, habilidoso que é, adota a tática de Fermiano. Fica calado. Essa disputa pelo comando da Câmara pode dar um bom caldo, ou não. Vamos esperar

Ixtranho

Lineu Navarro aparece durante a discussão da pauta da sessão de ontem e durante a votação das contas do seu companheiro de partido, não amigo, diga-se de passagem, Newton Lima, o homem desaparece. Depois, na justificativa, diz que se estivesse presente votaria favorável as e justifica a ausência ao presidente Marquinho alegando que não tem dinheiro. O que tem a ver o fiofó com as carça, vereador. Todo mundo, na sessão, ficou com cara de segunda-feira.

Casa de caboclo

Outro que não dá para entender são os vereadores Catharino e Freire. O vereador Maurício Ortega tenta disciplinar o trânsito de veículos de transporte de caçamba em São Carlos, proibindo a circulação noturna para evitar o descarte irregular. Freire é contra porque na opinião dele fere o direito de ir e vir do cidadão.

Casa de caboclo II

Na sessão de ontem, o projeto seria votado. Freire cutucou Catharino, que pediu o adiamento por uma sessão por entender que o processo precisaria de mais um parecer da Comissão de Constituição e Justiça. Ora, Catharino, por favor! O projeto tinha parecer favorável à aprovação. Com todo o respeito ao decano, mas tem projeto que chega 16h do dia da sessão, recebe parecer e é aprovado. Isso cheira, sim, boicote ao projeto de Ortega.

No grito

Duas pessoas seriam exoneradas da Prefeitura por falta de vontade de trabalhar, mas aconteceu o contrário. Um vereador antigo gritou, berrou, esperneou e o cargo ficou na condição de chefe de divisão. O vereador novinho também pressionou e o cargo ficou. E trabalhar? Ninguém pensa em trabalhar? Só fica no serviço porque o vereador gritou?

Gafes

Na vinda de Aécio a São Carlos, o senador o chamou de Altomári e, depois, de Altomano. Esse não é irmão, como Alckmin, né Altomani.

AME

O AME deve ser instalado, provisoriamente, num prédio que abrigava galeria de lojas na Avenida Sallum. Ai, ai, ai...

Presente

E o Celso Higashi da Secretaria de Trânsito, compareceu a audiência pública na sexta-feira passada e tomou bordoada de tudo que é lado, tantos dos vereadores da base como da oposição.  Ocorreram tantas coisas, ele falou tantas coisas, mas não convenceu ninguém.

Brincadeira

Primeiro ele disse que existe dialogo com moradores e comerciantes onde são feitas as intervenções no trânsito. Depois outra fala que chamou atenção foi quando disse que as prioridades dadas nas mudanças são para os pedestres e deficientes.

Brincadeira II

Higashi conseguiu tirar vários vereadores do sério com essas afirmações, um deles, Lineu Navarro do PT, ficou até vermelho de raiva. Não foi só o vereador não, teve gente da platéia que ficou da mesma forma. Outro detalhe curioso é que cada vez que falava de algumas das suas mirabolantes intervenções, ele olhava para José Bernardes Felex, ex-professor da USP e especialista em trânsito na cidade.

Frase

"Ele pensa que a cidade é um autorama ou ferrorama..." (frase dita por uma autoridade de trânsito referente às explicações de Celso Higashi na audiência pública. Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo