Av. Comendador Alfredo Maffei
(sentido Bairro/Centro)
60 km/h
Av. Comendador Alfredo Maffei
(sentido Centro/Bairro)
60 km/h
Av. Getúlio Vargas
(sentido Centro/Rodovia)
60 km/h

A fábrica de problemas chamada governo Paulo Altomani produziu mais um mico essa semana. A bola da vez é o tal processo seletivo para a contratação de professores da Rede Municipal de Ensino, que gerou, num primeiro momento, reclamação de 15 candidatos, terminou a segunda-feira, com 132 reclamações e na terça-feira já eram os 1.735 candidatos protestando contra as falhas grotescas e infantis da prova. E tudo isso poderia ser evitado de uma forma bem simples, quase infantil: buscando no Google, assim como fizemos.

Iranduba – Amazonas

Um processo seletivo para 739 vagas na Prefeitura foi suspenso pelo Tribunal de Contas em janeiro. De acordo com o órgão, foram verificadas falhas como a não divulgação do edital, na íntegra, no Diário Oficial do Estado --o que teria ocorrido após o encerramento das inscrições.

Itaporá – Santa Catarina

Uma prova do concurso para 92 vagas na prefeitura teve que ser refeita após reclamações de pessoas que prestaram o teste. Questões repetidas ou semelhantes entre as provas prestadas, provas invertidas dos cargos, alternativas repetidas dentro de uma mesma questão, candidatos colando, entre outras reclamações foram registradas pelos candidatos.

Taubaté – SP

Candidatos apontaram ao menos 12 erros no processo do concurso para professores. Entre eles estão mais de uma resposta correta para uma questão, data errada nas folhas de prova, questão sem nenhuma resposta correta e até endereço errado da empresa no edital.

São Carlos – SP

Junta tudo isso que foi mencionado acima.

Enquanto isso...

O ano termina, e as escolas municipais estão com escassez de professores. Quem sofre são os alunos.

Crise

Marquinho Amaral disse que o governo Altomani não tem capacidade administrativa. O vereador teceu duras críticas à empresa que realizou o processo seletivo para a contratação de professores e levantou uma grave suspeita. O parlamentar questionou se houve o 'toma lá, dá cá' para contratar a empresa.

Sequencia

Maurício Ortega, Ronaldo Lopes concordaram sobre a incapacidade do governo. Enquanto a Câmara vivia uma situação pra lá de tensa, Júlio Soldado estava em São Paulo. Vai bem, não vai?

Mais crise

O estafe político de Altomani, se é que ele existe, é medonho. Veja bem: Alckmin visitou o prédio do Sistema Clube de Comunicação em São Carlos e ninguém convidou o Poder Legislativo. Com razão, Marquinho ficou puto da vida, pois estão desprestigiando o Poder que ainda dá sustentação ao governo.

Sabe o que aconteceu ?

O projeto das emendas parlamentares de R$ 250 mil para cada vereador foi retirado de pauta por duas semanas. Nos bastidores, comenta-se que os vereadores não vão aceitar esse valor para cada um deles ajudar as entidades. Até que a tempestade passe, que fique bem claro!

Aviso ao JC

Júlio César Pereira, a sua batata tá assando na Câmara. De cada 10 vereadores, nove têm alguma coisa de ruim para falar de você. E mais: a retirada do projeto de crédito adicional à sua secretaria, no valor de R$ 245 mil, foi uma resposta a essa insatisfação.

Pauta

Na sessão da Câmara de ontem, alguns projetos que chegaram em caráter de urgência não entraram na pauta. Foi uma resposta à desarticulação política que permeia o governo tucano.

Queremos o Fermiano!

Os funcionários do SAAE estão bem articulados politicamente. Na sessão de terça-feira, eles queriam porque queriam falar com Edson Fermiano, o relator da Lei Orgânica do Município. Eles queriam ouvir do parlamentar a garantia que o artigo 128 da lei não sofrerá alteração.

O que diz

O artigo 128 é o que garante a prestação do serviço de água e esgoto pelo município. Fermiano não quis discussão, mas Marquinho prometeu a formação de uma comissão de funcionários, vereadores e sindicalistas para discutir o assunto.

E aí, prefeito?

Adail Alves de Toledo, presidente do Sindspam, cobrou: quer que Altomani se pronuncie publicamente sobre a privatização do SAAE.

Lampejos de humildade

Quando Altomani veste a sandália da humildade, o que é bem raro, a cidade ganha. O prefeito deixou de ser turrão e prepotente e admitiu a federalização do Hospital Escola. E mais: depois de um conselho do governador Alckmin, aceitou construir o AME em terreno ao lado do Hospital Escola. Parabéns, maestro! Tomara que não seja maestro de uma nota só.

Maré

O jornal Mais Cidade, dos nossos amigos Sérgio Ferrão e José Augusto "Botinha" Santana noticiou uma multa trabalhista aplicada ao PMDB de São Carlos, que é presidido por Eduardo Cotrim.

Maré II

Uma funcionária fez uma reclamação trabalhista que não foi cumprida e até um carro foi penhorado. Que fase, hein!

Por outro lado...

Cotrim demonstra prestígio no governo Altomani. Dois fiéis escudeiros (eu disse, fiéis escudeiros e não puxa-sacos) foram nomeados na prefeitura. Um no Orçamento Enganativo, ops!, desculpe, Orçamento Participativo, e outro como diretor da Secretaria mais hilariante de São Carlos: a de emprego e renda.

Trânsito

Nota zero ao secretário de Trânsito Celso Higashi por mais uma "invenção" maravilhosa no sistema viário da cidade. Agora ele mexeu lá na frente da entrada dos Timburis e no Vila Verde Sabará.

Trânsito II

O gênio do trânsito são-carlense, destruiu os canteiros que uma construtora havia feito no local e simplesmente ele e sua turma pintou "faixinhas" como a gente pintava na escola (pré-primário). Mas não é só isso, eles também deixaram um poste no meio da via. E ainda por cima chamou aquilo lá de rotatória.

Trânsito III

Palavras oficiais do secretário: "O sistema viário que existia no local era confuso e deixava o condutor na dúvida". Dúvida???  Quem falou isso para o senhor? Será que foram as mesmas pessoas que o senhor diz ter pedido mudanças lá no São Rafael.

Trânsito IV

Mais palavras oficiais: "Fizemos essas modificações em cima de algumas restrições, respeitando a largura do viário, sem desapropriação, e principalmente, sem a remoção do poste que continua na rua, no centro da rotatória que criamos. Essa retirada demandaria alto custo e como não prejudicou em nada o nosso projeto, optamos por mantê-lo".

Trânsito V

A Prefeitura está tão ruim de dinheiro assim que não tem nem um din-din parta tirar um poste do meio da rua? Bom, espero que não aconteça nenhum acidente grave nesse poste, se não se prepare Higashi.

Até tu, Taú?

O vereador Paulo Taú, que pouco critica o governo Altomani, criticou o secretário de Trânsito, Celso Higashi. De acordo com o vereador, o secretário não tem votos e caiu de paraquedas num cargo de primeiro escalão, porém não tem humildade quando erra.

Até tu, Taú II?

O vereador cita o caso das mudanças de trânsito na rua Costa do Sol, que desagradaram moradores e comerciantes. E vai mais além: os Bombeiros, para saírem em socorro da população, precisam rodar seis quadras a mais para atingirem a mão correta de direção, uma vez que a rua Argentina sofreu alterações no trânsito.

Exemplificando

Para um infarto ou um acidente grave, seis quarteirões fazem a diferença, viu senhor Higashi e o seu guru, o grandalhão que se sente o verdadeiro Coca Ferraz, mas que precisa tomar muito Toddynho para chegar aos pés do especialista.

Até sexta-feira

Quem sabe, sabe. Quem não sabe é chefe! Fale conosco: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo